sábado, 17 de agosto de 2019

Diários de Game Design, dia 1: Introduções


Olá, gente!

Como vocês provavelmente já sabem, eu desenvolvo jogos nas horas vagas. Um dos jogos que já comentei aqui foi o 1DP e creio ter comentado também do jogo do blog, pois bem. E aí eu pensei - por que não postar meus diários de gamedev no meu próprio blog? Uma vez que a intenção para esse ano era a de deixar o blog com um ar um pouco mais personalista, nada mais justo do que compartilhar minha diversão com esse hobby ainda razoavelmente desconhecido e, de quebra, mostrar o meu progresso nos projetos e dar as minhas sugestões para os eventuais game designers. É mais para extravasar as ideias e tal, mesmo, mas vai que acaba sendo útil para alguém.


Antes, uma breve introdução.      

Aos leitores novos, olá! Meu nome é Chell, tenho 25 anos e sou uma fã de jogos indies; Desenvolvo jogos em RPG Maker desde que tinha uns 9 anos de idade e retomei o meu hobby depois de jogar alguns títulos bem legais nos anos 2000, como Very Pink Game [resenha], Very Retrouvaille [resenha], Schuld [resenha] e outros jogos do gênero. Também desenvolvo um monte de jogos em Ren'py que nunca realmente consigo terminar e tal. Um dos meus ... anseios? Sonhos? de infância era justamente o de ser uma designer de jogos nas minhas horas vagas, porque eu sempre tive escrever por meu único talento e agora que eu as tenho, tenho tentado retomar o meu sonho. O meu objetivo nunca foi tanto o de lucrar, mas sim o de fazer jogos com o objetivo de educar as pessoas e aguçar criatividade e espírito criativo sobretudo em jovens, porque eu sei bem o quanto os jogos me ajudaram crescendo. Mas a inspiração para edutainment está em baixa, então estou no clima fazer.  

Sobre meus projetos 

O meu objetivo é o de fazer entretenimento que eduque sobretudo jovens. Para isso, eu utilizo o RPG Maker VX Ace - que é o que tenho, comprei em um bundle da Humble Bundle por uns 3 dólares se bem me lembro ... - e o Ren'py, que é freeware e open source além de estar atualmente ensaiando usar o Twine pelos mesmos motivos; meu favorito é o RMVXAce pela minha familiaridade e a facilidade em criar mini-jogos com os scripts mas por questões éticas e tal - e também por serem relativamente bem fáceis de programar ... - tenho dado a preferência ao Ren'py há uns bons anos, mesmo.

Para os gráficos, eu uso as minhas fiéis mesas digitalizadoras - estou para fazer um video sobre minhas mesas, até... - e também tenho interesse em artes tradicionais em meios digitais; tenho criado os desenhos em Paint Tool SAI e Adobe Photoshop, e eventualmente pixel art em Paint. Pensando em misturar arte tradicional.


Para escrever e organizar as minhas criações, eu tenho utilizado o Bitrix24 que é uma plataforma open source e gratuita de compartilhamento de documentos e tal. Nela tenho um calendário próprio e uma série de funções que posso utilizar para organizar todos os jogos que eu desenvolvo.

Por fim, as músicas ... eu não sou boa em fazer músicas, de verdade. Eu tenho recentemente tentado muito e com afinco fazer mashups e coisa e tal mas se dissesse que já sou a próxima MACROSS 82-99 seria mentira. Eu eventualmente uso resources de produtores que eu curto, com autorização, ou de amigos e tal; por vezes utilizo do próprio OpenGameArt e, por fim, também procuro utilizar as músicas em domínio. Eventualmente me arrisco a contatar compositores populares e foi assim que acabei utilizando as melodias do ILWAG em um jogo.

Meu próximo joguinho é um projeto um tanto ambicioso a respeito de uma jovem princesa que fugiu do seu castelo porque não a deixaram ser uma estrategista de guerra. Resumindo assim parece bem engraçado, né? Enfim, é uma história que iniciei já tem um ano ou dois, mas a maioria dos arquivos estão lá no meu HD antigo, presos, e daí resolvi bolar a parte da jogabilidade em geral. Eu tenho um grande apreço por jogos que fazem convergir estilos de jogabilidade diferentes e é o que tento fazer. Fiz o Vanishing , que foi um protótipo dessa mistura do Brasil com o Egito em 2018 e estamos aí. Outro é o Dream Girl Project que começou como Cuteness Kills e que mistura RPG jogo de exploração à la Yume Nikki com dress-up e minigames.

Outros projetos em que estou trabalhando já tem um bom tempo são uma história que comecei a criar há coisa de uma década sobre um grupinho de jovens rebeldes e que é aquele projeto ultra ambicioso que todos os escritores tem engavetado; o Wizards' Gathering, que é um amorzinho, sinceramente, um jogo sobre uma au pair que serviria para ensinar inglês e um outro queridinho, basicamente um self-insert. Além desses, já pensei mas desisti de um sobre Youtubers, um yuri e um sobre, hã, egípcios. E tem ainda o meu refúgio, que é para onde eu corro sempre que o bloqueio de inspiração vem, que é um joguinho sobre host clubs e cultura gyaru/gyaruo/visual kei porque é o meu universo particular, basicamente.              

Sem contar or curtos e encerrados e curtos, como o 1DP e o Cat's Business. E os presentinhos de aniversário que eu jamais divulgaria.

Basicamente, eu gosto de criar jogos. E espero que vocês gostem de acompanhar as minhas postagens periódicas a respeito deste processo. ♥ Não posso garantir que vai ser sempre indolor, porque quando eu travo sou só o Kafka, mas vamos tentar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário