quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Evento: Festival Geek 2018


Perdão por vacilar e tirar zero fotos

Olá! Enfim consegui ter um tempinho para sentar e escrever sobre o que foi o Geek Festival 2018, realizado na cidade de Santos, litoral do estado São Paulo, nos dias 1, 2, 3 e 4 de novembro de 2018. O evento - que foi divulgado como sendo o maior evento gratuito em seu segmento do Brasil - foi organizado pela Secretaria de Cultura da Prefeitura de Santos, vulga cidade em que habitam eu e minha família há três gerações. Estive no evento em sua primeira edição e não poderia deixar de conferir agora que os workshops e atrações se tornaram muito mais convidativos, ainda totalmente gratuitos. Havia somente uma atração paga, o bonde do Harry Potter, excluindo-se logicamente a alimentação.

Não que tenha realmente sido um evento totalmente novo, porém, como vou explicar na resenha.   
 

Vou me adiantar e dar spoilers. Bem sabem que a Yamato não tem mais um par de eventos de anime - inclusos o Ressaca Friends e o Anime Friends - e o Anime Summer que é realizado naBaixada Santista há bem uma década resistiu porém tendo uma data e não mais duas. Dessa forma os organizadores e a staff de sempre do Anime Summer trabalharam no Geek Festival - e subitamente fez sentido a mudança de nome para Anime Summer Geek Fest e talvez não fosse simplesmente questão de transparência e tal. A galera que já ia no Anime Summer acabou indo no Geek Festival porém somando-se várias crianças. O Geek Festival teve desde Turma da Mônica até Street Fighter passando por Star Trek e K-pop, então acaba sendo a velha salada de atrações mas em um nível que fez até eu pensar "bem que podia ter eventos separados né?". Não que eu seja referência afinal estou ficando velha e chata, mas... Enfim, o evento.
Eu só compareci no sábado, sendo que na sexta-feira e no domingo acabei perdendo o horário das atrações que eu queria e preferi dormir. Não que o restante das atrações não fosse minimamente interessante - é que eu realmente precisava dormir,  mas confesso que queria demais ir assistir k-pop e cosplay no domingo! A melhor parte era sempre pela manhã que era quando haviam os workshops de desenhos, mangá, HQ, jornalismo geek entre outras coisas - sempre das 10 às 12.  Resumidamente a programação profissionalizante por assim dizer sempre nesses horários que te obriga a acordar antes das 9 no feriadão.

Resumidamente, não dá.

Então lá fui eu no sábado conferir o restante das atrações - não só o k-pop e o cosplay mas também e principalmente todas as que não foram listadas em lugar algum. O espaço era tão espalhado e grande que eu acabei me dispersando e perdendo horário das atrações matinais. Os mapas não sinalizavam muito bem todas as atrações e locais - e na verdade só vi mesmo um mapão em um lugar do evento - então era fácil de perder as atrações. Cheguei por volta de meio-dia no evento com a intenção de conferir o workshop de desenho de Paulo Siqueira. Entretanto, até entender a disposição física das coisas foi preciso que rodasse 1 ou 2 horas - e o lugar dos workshops era praticamente escondido, em particular.

O evento ocorreu essencialmente em três lugares - Arcos do Valongo, Museu Pelé e Estação do Valongo, três construções turísticas dispostas alinhadas nesta ordem. Se eu que tenho mais de duas décadas existindo em Santos e conheço melhor a cidade que muito velho não tinha certeza de qual era qual, imagina os novinhos que vieram de cidades periféricas? Não só eu como também as minhas amigas que foram junto nem sequer sabiam daquelas construções - afinal apenas turistas vão no Centro Histórico passear porque a localidade tem arredores perigosíssimos e toda a população da Baixada tem consciência basicamente. E aí tem uma doente que fez photoshoot - #vlwLaurinho - e na edição 2017 eu quase fui assaltada mas enfim.  

A parte dos Arcos era dividida em três pavilhões basicamente sendo o de alimentação - que continha também a atração Hospital do Terror, que no entanto não fui conferir porque as minhas amigas fugiram pshht covardonas bléee - e o popular bonde do Harry Potter que não conferi mas sei que haviam filas;  um auditório em que ocorria palestra e que era aberto no centro e na outra ponta um pavilhão com Just Dance, estandes, Artist Alley e jogos de tabuleiro.

Seguindo naquela direção e atravessando uma rua que se encontrava fechada tinha o Museu Pelé com estandes no térreo, além de uma sala de palestras, campeonato de LoL, um espaço para as crianças pequenas tirarem fotos com personagem , Youtuber Por Um Dia e escadas e elevador que levavam ao segundo andar com exposição de jogos antigos - me lembrando que sou antiga porque tinham arcaicos PlayStation 2 e Nintendo DS Lite - além do popularzíssimo Free Play e uma salinha com uma ou outra palestra e campeonato.

Enfim seguindo naquela direção havia então a Estação do Valongo, normalmente a estação do bonde turístico entretanto não sei dizer se estava funcionando no dia mas creio que sim. Sei que vendedores de artesanatos e os carrinhos ambulantes de todos dia estavam lá com água de coco , chá mate e caldo de cana. O Restaurante-Escola que se encontra na estação estava temático com pratos geeks e a pequena salinha escondida que outrora abrigou o Just Dance na primeira edição do evento agora continha workshops. Espaço muito bem aproveitado porém igualmente escondido. Havia ainda a Vila Medieval com o clássico Batalha Campal na Estação. 

Na parte dos Arcos estavam provavelmente todas as atrações que são consideradas infantis para a maioria do público - anime, k-pop, Funko, Turma da Mônica, Harry Potter - mas que são verdadeiramente coisas que gente que nasceu nos anos 90 tem nostalgia por e curte. Não, é sério. Preciso nem dizer qual foi o lugar que mais fiquei curtindo.  Se no passado a localização da salinha do Just Dance era péssima porque ninguém conseguia passar, a organização das filas estava horrível e a música não saiam dali, agora a opção por um salão amplo permitiu que os transeuntes dos estandes e da Artists Alley pudessem curtir uma musiquinha e simultaneamente ouvir palestras . Não sei se alguém planejou mas se foi um acidente foi um acidente bastante fortuito.

Outro acerto foi a separação da parte de alimentação que anteriormente era no térreo do Museu Pelé. Separações sempre acertadíssimas porque comida implica em familiares cansados de andar querendo apenas sentar para beber drinques - e sim havia bebida alcóolica, pasmem - longe das crianças e também implica filas e pessoas fazendo sujeira. Afastar é acertado. Sempre. Sério

A única reclamação a ser feita por mim neste sentido foi que a equipe de manutenção decidiu arrumar alguma coisa bem na apresentação de k-pop no sábado e não era possível escutar as músicas dos covers por conta do barulho gritante da furadeira. De resto, tudo perfeito. Especialmente com um Orange Caramel e um Pristin V tocando O centro ficou lotado durante o concurso de cosplay e a palestra com atores mirins de Turma da Mônica Laços porém mesmo nestes momentos a passagem era dificultada mas possível.

Os estandes tinham o de sempre: camisetas, bottons, chaveiros, correntes, canecas, almofadinhas, figures, Funkos, mangás e comics, enfim - e as lojinhas de artesanatos da Estação continham alguma variedade não-geek para as famílias menos nerdonas. Comprei promoções de mangás na Comix - Vitamin a dez reais e um par de Sailor Moon Short Stories por quinze !! - e a variedade não decepcionou tendo inclusive algumas promoções legais apesar do preço salgado padrão . Quase comprei Wish porém o box não tem desconto e a culpa não era da Comix obviamente . Aliás não quase-comprei - quase ganhei mesmo. Como o meu aniversário é dia 26 de Novembro as amigas que foram comigo se ofereceram para me dar presentes comprados lá! Estava doidinha para pedir a promoção de 2 camisetas de k-pop por R$50 e qual não foi a minha surpresa ao ver que a do Block B [comentários] tinha sido vendida no decorrer do evento = 3 = Então imagino que ao menos produtos tenham tido bastante saída . A verdade é que Santos é uma cidade de custo de vida elevado então a pessoa que economiza no ingresso acaba geralmente topando gastar.

Comida era pouca mas boa. Quem queria lanche tinha opções como pizza por R$ 40 - ou pedaço a R$ 6 - crepes doces e salgados a R$ 7 , ainda porção de batatas, salgadinhos ou onion rings por R$ 10 com direito a combo por R$ 15 , fondue de chocolate, entre outras opções. Havia um truck de milkshake que é caríssimo porém popular na cidade e uma sorveteria um tanto barata , um carrinho de brownies etc. Variedade não faltou - na verdade só a falta de comida japonesa me assustou. Conforme disse tinha álcool e refrigerante e os ambulantes na Estação. Assim, havia opção de lanche em ambas as pontas do evento e aqueles que quisessem comida com sustância poderiam comer no Restaurante-Escola temático ou se aventurar pelo Centro Histórico. Com 3 amigas conseguimos dividir 3 porções e um litro de matte por R$ 12 - razoável, mas quem não tinha dinheiro era bom levar marmita ou se arriscar na rua mesmo.

No final das contas as atrações que assisti realmente antes do concurso foram uma palestra de Star Trek que tinha aproximadamente 3 pessoas assistindo - eu curto Star Trek casualmente e me chateia o momentum de Star Wras - e um pouquinho das falas do canal MRG que só conhecia de nome - e que nome - então resolvi ficar, além de partes das falars do elenco mirim de Turma da Mônica Laços. Infelizmente consegui perder as 10 atrações que julgava serem interessantes e enfim quiçá na internet irão disponibilizar. 
 
Truques que a gente aprende - a salinha do Museu Pelé continha Wi Fi e ar condicionado e estava quase sempre vazia. Ponto 2 - Quando o evento começa é que nem quando começa a liquidação das lojas. Ponto 3 - Ninguém vai dizer o que é preciso fazer no desfile cosplay então você vai lá com coragem fazer poses estranhas pra população de familiares bastante confusos então pense bem nas poses . Para ... não ... pagar micão.   



Enfim, pois é. 

Até mais! ~  



Nenhum comentário:

Postar um comentário