quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Moda: Larme

Olá, gente! A postagem da vez é uma que já vinha sendo planejada há bem coisa de um ano no mínimo.  

É para falar sobre um estilo chamado Larme kei - que fatualmente não ... existe. Ninguém no Japão diria que se veste em Larme kei porém chamamos assim o estilo inspirado em uma revista de moda chamada Larme, e é disso que escreverei.  

O que é larme kei?  

O estilo surgiu quando do lançamento da revista Larme em final de 2012. A palavra larme signifca lágrimas em francês - e o nome é porque o estilo tem um tom melancólico e depressivo (aquela coisa do soft góstico) super em alta na época do lançamento e usa uma maquiagem que imita uma cara de choro e que lembra muito a igari makeup.

O estilo no entanto é pouco mais do que o estilo pessoal de Haruna Nakagori, 33 anos, editora-chefe da Larme. A Haruna trabalhou anteriormente na revista Ageha, portanto a sua influência seria basicamente gyaru e agejo. Sucede que a Haruna era desses estilos e, como muitas garotas que crescem e se desvinculam desses estilos para adotar um visual adulto, ela deixa a Ageha e passa a escrever sua própria revista cujo estilo mistura essencialmente tendências e inspirações ocidentais à fofurice japonesa criando um visual que tem o melhor de ambos. 

A imagem que o visual pretende passar seria essencialmente o da Mônica japonesa - uma garota jovem adulta com gostos refinados, cultura, que gosta de ler e de chá - e nesse sentido atrai as fãs de lolita possivelmente - mas sem dispensar coisas meigas. Que está crescendo e se encontra naquele meio-termo - assim é Larme. 

O sentimento das modas é, entretanto, vagamente melancólico ; não é um ar alegre, mas sim de um crescimento doloroso. Talvez por essas ressoe tanto com as garotas que são o público-alvo - ex-leitoras da Ageha por exemplo que precisam agora adotar um estilo de vida tranquilo, sóbrio. Ex-gyaruzinhas basicamente. Crescer é difícil. Todos sabemos. 

Daí as cores - rosas e brancos são comuns, mas pretos também e eventualmente um vermelhão vermelhaço. Saias são comuns mas não únicas

O uso de tecidos diversos como veludo e jeans - jeans na minha moda japonesa? Pois é, vestidos jeans até - mostram a diversidade do Larme que frequentemente parece se inspirar não apenas nas tendências de Harajuku ou Shibuya, mas também e principalmente nas das altas modas e até das modas coreanas e americanas. De fato, Larme seria um estilo muito versátil e passível de uso em qualquer local. Misturando os estilos vai criando novidades sob o pretexto de imaturidade, crescimento, falta de regras rígidas estabelecidas. Somando aos photoshoots da revista, que tem formato de photobook ... Funciona bem, sim. 

As blusas permitem babados porém podem ser coladas. Não importam as regras rígidas mas sim sentimentos que a estética pretende provocar - feminilidade, melancolia, juventude. Pensem coisas que nem IU - 23 misturadas a Sara Bareilles e indie folks similares assim.  

A dificuldade do estilo é exatamente ser assim: acaba se prendendo muito ao conhecimento da editora-chefe e, agora que ela deixou a revista diz-se que muito da mágica se perdeu. Talvez a parte da identidade capaz de misturar influências de Harajuku a Shibuya tenha ido direto para a lixeira e a impressão pessoal minha é que a revista não é muito diferente agora dos websites de modas coreanas por exemplo. O que ótimo, adoro k-fashion. Mas adoro j-fashion também e entendo reclamações. 

Um ponto importante é a questão do Pheromone Fetish. Aquela modinha de vestir a lingerie por cima que pegou no Japão é totalmente a identidade Larme das antigas; conjuntinhos discretos com um bolero rendado digno de agejo, por exemplo, funciona. LARME é discreto, o intuito não é erotizar, porém é sim de misturar. Outro estilo bem normal na revista até pouco tempo atrás era o estilo francês que sem dúvida é uma das inspirações da editora. A editora declarou gostar das modas francesas de Paris - e não à toa ocasionalmente incrementava chapéus e babados franceses aos visuais. Pin Up, Grunge e Tomboy são outras inspirações.    

Mas o meu Larme é ... outro. Sabem que adoro Fairy Kei e há um ou outro estilo de Larme ultra fofinho que é basicamente o Fairy Kei das modas outras - cof, passíveis de vestir na rua, cof. Não é akamoji, mas é ... menos indiscreta. Rouponas, saionas, rosas, brancos, fofoos, fofos, fofíssimos. Saias de tulle? Perfeitas cá. Cardigãs rosas? Vai. Bolerinho? Claro, por que não. Sapatilhas de bailarina? Topamos. Saias de crepe, saionas quase-hippies, blusinha de babados, de tricoline ótimo, outras também. O melhor das modas japonesas, condensado, e generalizado. Mas sem ser frufru demais. Daí vestir cotidianamente. 

Ao final das contas legal em Larme é ter liberdade e não precisar se definir por regras mas ao mesmo tempo depender de bom senso estético e inspirações de altas modas que funcionam, digamos assim, às garotas jovens.  É por essas que divulgo: Porque não só Larme é meu estilo, digamos, mas porque eu acredito piamente que deveria ser o estilo de muitas fãs de Mote-kei, himekaji e casual lolita ou otome kei planeta afora também. Porque é menos estilo, inspiração.

Algumas marcas são Katie, Ank Rouge, Honey Cinnamon, Swankiss, Honey Mi Honey, RoseMarie Seoir, Mon Lily, E Hyphen World Gallery BonBon, Milk, EATME, Candy Stripper, Merry Jenny, Cryme, VERYBRAIN, Liz Lisa, titty&Co. , Axis Femme e DreamV. São marcas que aparecem nessas revistas mas na verdade não é possível dizer "existem marcas Larme". Larme tem muitas marcas diversas, são patrocinadoras, ponto. Muita marca mote-kei, gyaru, himekaji é passível de ser Larme e algumas lolitas também.  

E melhor: Lojas Marisa e C&A são larme. De ma is.  

Enfim, a postagem sobre Larme acabou sendo curta apesar de ter muitas coisas a dizer ou talvez precisamente por ter muitas coisas. Quiçá um dia farei outra série de postagens Larme a exemplo aquelas de FK e Lolita ^_^ ; ; ; 

Deixarei abaixo nas fontes os blogs que curto. Espero que curtam. A melhor forma de conhecer Larme seria observar páginas da revista e eu recomendo. Até a próxima ~ 

Fontes  
Inspirações criativas (menos informativas, mas ♥)   
Fontes em português  

Nenhum comentário:

Postar um comentário