quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Comentários: Made in Abyss [EP. 3 e 4] - O começo da verdadeira aventura

E cá estamos nós novamente para mais discussões sobre Made in Abyss, dessa vez trazendo a despedida do mundo dos humanos para finalmente adentrarmos na imersão completa da aventura.



E após uma mensagem super suspeita supostamente da mãe dela, Riko e Reg decidem que irão descer pelo abismo, Riko em busca de sua mãe e Reg em busca de sua origem, bastante "aventura" não é mesmo?
O episódio três focou nas despedidas e amizades, afinal, temos vários personagens que, mesmo sendo coadjuvantes, são de importância para o núcleo social da obra, e esse episódio visava mostrar qual o papel das pessoas que estariam ali esperando por eles durante sua aventura. Sigy é o típico amigo nerd, inteligente, companheiro e com bom plano, tanto que a forma como eles desceriam foi escolhida por ele, e Nat, que mostrou como se sentia depois de anos ao lado de Riko e (provavelmente) sendo melhor amigo dela, deixando claro que era contra pois é de conhecimento comum os perigos do abismo, e também sabe que sua amiga pode sofrer por causa desses perigos, porém, ele tem uma alma tsundere e demora um pouco para ser realmente sincero quanto ao que sente de verdade, deixando isso para o último momento, afinal, ele acabou por ser o guia até a beira do abismo. Sem esquecer do professor Gilo, que fez seu papel de pessoa que ajuda indiretamente escondendo que sabe sobre os planos mirabolantes da Riko, um verdadeiro cara legal.

O plano de Sigy inclui um mapa detalhando o que fora descoberto sobre o abismo até o momento, mostrando uma divisão por níveis, obviamente, cada um parece um passo mais próximo do inferno, o que já deixa um gostinho do que há por vir no caminho das crianças. O plano é: descer até o segundo nível, local onde não podem mais ser "resgatados", portanto estariam livres para descer o abismo, o problema é que, tecnicamente, eles seria considerados suicidas, afinal, o abismo é extremamente perigoso.
E após tudo finalizado no orfanato, restava apenas o abismo, e é exatamente nessa cena que se encerra o episódio, timing perfeito deixando o gancho para atiçar a curiosidade, afinal, até o ponto do episódio não se sabia exatamente o que os esperava no abismo (abismo esse que eu imaginava como uma grande caverna digna de um jogo de Legend of Zelda), porém, para a surpresa de muitos, o primeiro nível que eles atingem é um bosque com luz e vegetação, água corrente com peixes e formações rochosas, um pequeno pedaço de paraíso perdido. Depois de uma pequena refeição eles começaram a se mobilizar para descer o abismo antes que fossem pegos, porém, ao horizonte, Reg enxerga uma silhueta, e depois de uma pequena cena de perseguição se mostra o perseguidor, Habo, um amigo da mãe de Riko e um explorador experiente, ele foi ao abismo a pedido dos amigos da dupla para ajudá-la a chegar no segundo nível em segurança, ajuda essa recusada pela Riko por motivos de "eu sou muito protagonista pra aceitar ajuda", e ao fim de tudo, eles chegam ao segundo nível, onde há uma floresta densa e aparentemente úmida (?).

E aqui paramos nosso episódio, foi uma construção tímida mas com boa sequência de acontecimentos, a direção de ação novamente se mostrou eficaz e fez o trabalho que devia para as cenas de mais movimentos sem exigir tanto de animação.
Foi um episódio relativamente importante em relação a construção de universo, fomos apresentados ao conceito de camadas do abismo, mostrando que ele não é apenas um buraco, e sim uma versão fantasiosa da teoria da Terra oca, e como já citado, a cada nível, maior o perigo, quase como uma como uma construção de RPG, aumentando a densidade no decorrer dos seus acontecimentos.
E também, uma cena em especial do qual Reg tem um monólogo, seguido de um momento onde Nat está fraco e zonzo por causa da "maldição do abismo", maldição essa que já fora citada mas agora foi demonstrada de alguma forma, meio que relembrando que o abismo também traz mais perigos além de formações ingrimes e feras selvagens.
Dou também um destaque para a cena da aranha gigante, ela tem um design legal mas nada fora do padrão, porém, ela tem um estilo de arte levemente diferente do resto do anime, tendo um estilo de coloração diferente dos personagens e do cenário. E a sequência que ela aparece, apesar de curta, tem uma animação bem fluída, especialmente quando Reg ataca ela com o braço do Inspetor Bugiganga, foi uma cena bem bonita e realmente me pegou de surpresa.








E enfim terminamos os comentários de hoje, já seguindo para o episódio 5, lembrando que o anime terá 13 episódios, então muito provavelmente ele não vai adaptar todo o mangá, e eu sinceramente torço por um final original, que dê um fim digno pra essa aventura sem muitos rodeios, não vejo Made in Abyss como um anime de múltiplas temporadas.


2 comentários:

  1. Oi, tudo bem?
    Só queria avisar que o layout do blog tá todo bugado -q acho que deu algum erro no upload das imagens que fazem parte do layout e está aparecendo só imagens de erro.
    Sorry nao comentar sobre o post em si, só queria avisar mesmo. Bjo~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, nós notamos, foi erro no host de imagens sim, mas a Chell já está trabalhando para consertar isso ;^)


      Nippan-

      Excluir