sábado, 8 de julho de 2017

J-fashion: Lolita


Olá, galera! Pasmem, eu estou aqui fugindo das minhas obrigações nessa véspera de AF (eu vou, me encontrem lá!) pra trair o movimento de vez e postar de verdade sobre lolita nesse blog.

Eu sei, eu sei - é realmente bizarro que eu esteja finalmente me rendendo e postando sobre um estilo que eu dizia "nunca postarei" e ainda justamente na época do meu hiato, mas a realidade é que eu nunca tive dinheiro pra comprar roupas lolita e agora que tenho resolvi me aventurar brevemente (ainda sou do Larme e do Fairy Kei mais que do Lolita, porém, tranquilizem-se). E não é que eu descobri várias coisas muito legais e que me fizeram até simpatizar com o estilo? Meu objetivo aqui é então o de fazer uma espécie de tutorial básico do estilo lolita para iniciantes. Se você é uma pessoa completamente novata na moda japonesa e que caiu de paraquedas nesse blog através desse post (afinal, vai que) - Olá! Eu já escrevi "o que é o estilo lolita" aqui e até comentei os subestilos, mas nunca falei a fundo.

Apesar de conhecer o estilo e ser razoavelmente fã do kodonapra lá de uma década eu só comprei recentemente meu primeiro vestido (já sabendo de todos os riscos e armadilhas pra não ser ita!) e queria repassar os meus conhecimentos pra você que quer se aproximar cautelosamente desse estilo como moda e não como cosplay lolita, mas não sabe bem por onde começar e nem é "amadrinhada". ^_^ O diferencial desse tutorial é que ele é feito do ponto de vista de uma entusiasta de outras modas japonesas - vulga eu - e ele pretende não complexificar, que é o que tutoriais lolita frequentemente fazem, mas sim desmistificar algumas coisas que eu mesma acreditava sobre o estilo; por exemplo, que não dá pra fazer um coord lolita sem muito dinheiro (bem relativo, e vou explicar!), que não dá pra ser lolita eventualmente (na verdade, a maioria é) e que não dá pra entender nenhuma das dezenas de siglas bizarras que lolitas utilizam sem ser expert (que na verdade são apenas siglas pra coisas que você provavelmente conhece). Então, sem mais delongas, vamos a esse post sobre esse estilo incrível que eu torço pra que agrade tanto a vocês quanto tem agradado a mim! ~

Primeiramente, antes de começarmos: Do que se trata o lolita? Trata-se de um estilo de moda japonesa que é inspirado nos estilos rococó e vitoriano; é portanto bastante aristocrático e elegante, e é bem definido por uma série de regras não só estéticas mas também de comportamento. Uma das principais características do estilo é o uso da saia em forma de sino, que dá ao corpo uma silhueta característica (ou: se você viu um monte de garotas com saias de sino algum dia na rua de São Paulo ou coisa parecida, relaxe, era um meeting.). Curiosidade: apesar do nome do livro de Vladimir Nabokov associar o estilo à história de pedofilia e etc. para muitos ocidentais que sabem pouco, o estilo na verdade ganhou popularidade como uma reação à crescente sexualização dos corpos femininos na sociedade japonesa da época. Com tecidos finos e jeitão recatado & do lar, o objetivo é transmitir pureza e doçura. Mas por que chamaram assim? Vamos voltar às origens do estilo Lolita pra explicar a sua história.
Obs.: É interessante notar que sites diferentes trarão informações diferentes, então citarei as fontes que achei confiáveis e nas quais estou acreditando: Wikipedia em japonês, sites de marcas e o livro "Japanese Fashion Cultures: Dress and Gender in Contemporary Japan". Se estiverem errados eu peço desculpas.  

O estilo surgiu principalmente graças a uma moda de roupas chamadas DC (Designer & Character; roupas que tinham características de roupas ditas Designer, aquelas que eram de marcas exportadas e vendidas internacionalmente, e Character, aquelas que podiam ser compradas por reles cidadãos e estampavam as páginas das primeiras revistas de moda japonesas; não coincidentemente essas coisas explodiram na época da bolha econômica dos anos 1980). Essas marcas não fabricavam o que atualmente conhecemos por Lolita; fabricavam, sim, roupas e acessórios "Natural Kei" (o antecessor do Mori Kei) e outras roupas ocidentalizadas e clássicas, finas e femininas (e caras). Algumas dessas marcas seriam a Angelic Pretty (então Pretty, fundada em 1979), considerada por muitos ocidentais a principal marca durante as origens do Lolita, e também a marca MILK (fundada em 1970) considerada por japoneses a origem do estilo Lolita. Sobretudo a MILK era reconhecida por fabricar roupas caras e elaboradas muito usadas por celebridades em programas de TV, por exemplo, ou ainda em ocasiões especiais; marcas similares em estilo seriam a Pink House (1972) e a Jane Marple (1985). Sobretudo por conta do estilo ocidentalizado e o refinamento excessivo, essas marcas não poderiam ser consideradas apropriadas para serem vestidas no dia-a-dia; entretanto, algumas mulheres começaram a vestir-se frequentemente nelas. 

Foram essas as primeiras mulheres a serem chamadas de "Lolita" no Japão. O "protótipo" do Lolita vai surgindo nos anos 80 e 90, ainda muito diferente. E ainda que não fossem caracterizadas necessariamente por uma silhueta de sino e nem usassem as peças típicas de atualmente, já era possível ver o refinamento das roupas, os estilos clássicos e as rendas e babados, e sobretudo a feminilidade usual. O primeiro uso conhecido do termo "Lolita" pra referir-se a uma subcultura de moda em mídia impressa foi na revista Ryukou Tsushin na edição de Setembro de 1987, uma revista popular de moda alternativa que referia-se dessa maneira às mulheres que se vestiam nas roupas caras dessas marcas, não raramente leitoras da revista Olive e com uma postura contrária à sexualização dos estilos urbanos que emergiam à la Akamoji. Já no final dos anos 90 é possível encontrar idols de visual kei vestindo-se no que seria considerado Lolita, como a própria Arika Takarano do ALI Project (ver fotografia e link; rainha da porra in tei ri nha). Chute meu é que talvez seja correto se referir a essa época como uma primeira geração do Lolita, em que já haviam características que uniam as diferentes tribos e a nomenclatura, mas ainda muito distante das características atuais e ainda bem modesto.

A popularização de algumas dessas marcas como marcas Lolita - por exemplo, a MILK nunca se identificaria realmente como Lolita; já a Angelic Pretty abraçou de vez o estilo - e a definição clara do estilo Lolita como o temos atualmente se deu provavelmente em decorrência da divulgação do estilo através de revistas de moda de rua emergentes, como a Kera e Fruits, e também do uso do estilo por artistas de visual kei populares como Mana. Ainda no começo dos anos 2000, o lançamento do filme Kamikaze Girls (estrelando a rainha Anna Tsuchiya - ver vídeo) fez com que o estilo se popularizasse muito - e não tardou pra que isso valesse no mundo inteiro, o que culminou em desfiles de moda, na fundação de marcas Lolita estrangeiras e na abertura de lojas de moda Lolita no mundo inteiro.  


O Japão tende a considerar a BTSSB (lá apelidada Baby) a principal marca Lolita, principalmente por conta da popularidade do filme Kamikaze Girls (Shimotsuma Monogatari, 2004) que levou o estilo ao seu auge. A Baby, como chamam as lolitas japonesas, a princípio era uma marca pequena surgida em 1988 e viu uma ascensão incrível do final dos anos 90 em diante; foi a principal marca que realmente cresceu com o Lolita. No entanto são muitas as marcas propriamente Lolita surgidas do final dos anos 90 em diante, quando o estilo já estava propriamente consolidado - e sim, vou deixar um guiazinho lá no final do tutorial.❤

Enfim, desde o começo dos anos 2000 o estilo Lolita é basicamente o que já temos hoje. Claro que as marcas e ídolos que foram surgindo foram definindo melhor algumas tendências e termos, mas no geral é a mesma coisa. É interessante notar ainda que ao contrário de muitas modas de rua japonesas, o Lolita acabou se tornando bem definido por marcas e regras, e tem perdurado por um bom tempo - e não é negligenciável o papel da popularidade no Ocidente no "sucesso" dessa moda.

O lolita é hoje definido, de forma bem resumida mesmo por uma moda com roupas - saias e vestidos - com silhueta de sino e uma série de babados e rendas; sandálias delicadas, muitos laços e cores e estampas que variam com o estilo, mas tendem a ser refinadas e elegantes. Os tecidos também são bem definidos por leveza e, no geral, pouco brilho; tecidos mais caros são preferíveis, e o objetivo é vestir pra se sentir bem, elegante e feminina. Eu confesso que lolita não faz o meu estilo usual de maneira alguma, porque sua perspectiva de "feminino" também tende a definir bem o que você pensa disso tudo, mas algumas pessoas chegam a considerar o estilo empoderador.


Assim, não só de regras estéticas se faz o lolita; há também uma série de regras de comportamento que são rigidamente seguidas pelas lolitas japonesas, e apesar de ser mais diversificado no Ocidente, não é incomum que as lolitas tentem se comportar da forma adequada; algumas meninas são as chamadas "lifestyle lolita" - que se vestem de lolita ou roupas inspiradas o tempo todo - e outras ainda buscam seguir as regras apenas nos encontros, dos quais falarei a frente.

De qualquer forma, a história que contei acima culminou nessas garotas que encontramos atualmente nos sites e revistas de moda às quais nos referimos por "Lolita". Pra saber o que é a moda Lolita, nada melhor que ver, ver, ver. Lasca "lolita fashion" no Google. Obrigada!



Entendeu? Se interessou? Então vamos agora aos detalhes. Deu pra perceber que as lolitas vestem basicamente três tipos de vestimentas: o vestido com manga longa ou curta (OP, onepiece); o vestido de alças largas (JSK, jumper skirt) e a blusa com saia (skirt). (Há ainda subdivisões - por exemplo, o underbust JSK, jumper skirt e assim por diante.) Esses podem ser ajustáveis através de shirring (um painel de elástico atrás do vestido), lacing (amarrados como espartilhos, vulgo corsets) ou ainda elástico ou sem ajuste especialmente se a roupa for offbrand (sem marca, artesanal). Podem ainda vir acompanhados de bolerinhos ou cardigãs, que são os "casaquinhos" sendo o bolero mais curtinho e menor no geral. Indispensáveis mesmo são os 3 supracitados, acompanhados de meias, sapatinhos de boneca - os famigerados Tea Party Shoes, criados pela marca Angelic Pretty - e a indispensável anágua (chamada de petticoat em inglês ou pannier em japonês) que dá o formato à roupa. Por fim, as meias ou meias-calças e o sapatinho de boneca.

Desculpa por ter jogado todos os termos de uma vez, mas acredito que você não vá ter nenhuma dúvida de agora em diante.

Enfim, outros opcionais são os bloomers que são versões modernas daquelas calcinhas que parecem shorts muito usadas no século XX. Outras vestes são os aventais (aprons) e afins a depender do estilo (por exemplo, colete/vest em Kodona, salopettes, etc). Ainda é possível utilizar luvas com ou sem dedos expostos, brincos muito discretos, wristcuffs, anéis de acrílico com motivos, gargantilhas em couro ou tecido com bastante decoração, pulseiras (sobretudo de pérolas e afins) e outros similares. E na cabeça, vai o que? Não raramente no Lolita atual, perucas - de cores pastéis ou naturais - mas sempre com algum acessório, o tal KC. O acessório da cabeça pode ser uma ou várias presilhas, uma tiara, uma mini-cartola, um bonnet, um lacinho (ou lação) ou um headband. Os motivos comuns pra todos esses são rosas, estrelas, cruzes, pérolas, e as rendas e babados - ou qualquer mistura dos citados. O excesso de acessórios e detalhes nas roupas caracteriza o chamado OTT/over-the-top (em japonês kotekote) Lolita, que tende a ter inspirações do Fairy Kei.

Legal, entendi o que se veste. Calma. É importante tomar muito cuidado na hora de combinar os acessórios e cores pra não parecer OTT ou deco lolita sem ser, ou outra coisa. (Recomendo: uma lista interessante de "no-nos" disponível em português no Reino de Morangos!) De qualquer forma, é importante entender que você está vestindo um estilo de moda que é praticamente alta moda; é normalmente cara, detalhada e cheia de regras. É uma aventura pra um iniciante. Fãs do estilo tendem a ser apegados a marcas de roupas, especialmente os japoneses, e dizer que é Lolita vestindo um vestido do Aliexpress, do Taobao ou até da Bodyline (que é chinesa, pasmem) é um ultraje pra entusiastas hardcore. Não é nem por maldade; é que o objetivo de Lolita é parecer refinado, e não dá pra comparar o nível de detalhamento de um vestido chinês barato com um autêntico vestido de uma marca Lolita popular.


Então, dá pra fazer lolita sem muito dinheiro? A resposta que eu daria: depende. Depende do seu objetivo e da sua habilidade em costura e até, pasme, de seu país. A questão das marcas não é nem o "Ó como eu sou ryca" pra todos mas sim a qualidade da costura e coisa e tal. A comunidade Lolita de alguns países e cidades (e sites, etc) até abraçam roupas chinesas e até mesmo offbrand se não caírem nos erros básicos - costura malfeita, tamanho errado, tecidos baratos, cores e texturas inadequadas, dentre outros. Se parecer Lolita, tá valendo. Em outros lugares é difícil; é claro que não existe uma Polícia Lolita que vai te parar na rua se você vestir errado, mas existe um cantinho da comunidade Lolita que é bem elitista com marcas e etc., exatamente por ter jeitão "alta costura" e tal. Então, se você quiser se misturar bem com todas as tribos e se considerar Lolita sem um elitista pra encher, considere ceder às marcas sim. Se pra você tanto fez ou tanto faz o elitismo... ? Quem vai te parar afinal se você quiser sair na rua com um vestido reminiscente de Lolita feito em cetim e importado do Aliexpress? Não eu.

Eu confesso que por muito tempo evitei o Lolita por conta dessa questão das marcas, até perceber que algumas são compráveis. Vamos então falar das marcas. Algumas das mais comumente encontradas - e as respectivas siglas nos grupos de vendas - são Angelic Pretty (AP), Bodyline (BL), Baby The Stars Shine Bright (BTSSB) e Alice and the Pirates (AATP), e a Innocent World (IW). Menos comuns mas ainda bem populares no Japão (e portanto passíveis de serem encontradas a venda na Internet) seriam a Jesus Diamante, Mary Magdalene, Mille Fleurs, Juliette et Justine e Metamorphose temps des fille (Meta), além das góticas Black Piece Now (BPN), Moi Même Moitié (Moi-memê, MmM), Atelier Pierrot e Atelier Boz. Há ainda marcas populares que tem também itens Lolita, por exemplo, a própria DOKI DOKI 6% que mencionei em Fairy Kei, e de góticas, a Alice Auaa, a h.NAOTO (#sdd) e a Putumayo. Diria que essas são algumas das marcas "seguras" que não tendem a fazer Lolitas de qualquer país torcerem as faces.

Comprar dessas marcas nem sempre sai barato, mas existem opções. Algumas vendem pro Brasil diretamente dos seus websites; as marcas normalmente vendem Lucky Packs, que são pacotes de acessórios que acabam saindo mais baratos do que se comprados separadamente. Ademais, dá pra comprar roupas usadas (e portanto baratas) em sites de proxy como Samurai Buyer, ou mesmo de sites como Ebay e MercadoLivre; no Brasil, eu utilizo a Lolita Sales, mas existem várias comunidades de Lolita no Facebook! Enfim, dá pra jogar lá os nomes das marcas e ver no que dá. Boa sorte!

Há ainda marcas internacionais e incluo aí brasileiras, como a Suu Hideto, a Le Café e a Le Carroussel,  de designers de roupas lolita. Não, não são inerentemente piores por serem internacionais; há marcas de excelente qualidade e que acabam saindo mais em conta do que marcas japonesas. Enfim, as artesãs de outros países podem também ser encontradas em sites como Etsy. Todas tendem a ser opções mais confiáveis do que comprar um vestido com "lolita" no título em um Aliexpress da vida, especialmente se você for novata, porque são de pessoas que em geral vestem-se em Lolita e tem uma preocupação com o senso estético do estilo.

Claro que dá ainda pra fazer as próprias roupas se você for uma costureira de mão cheia. Pra isso eu recomendaria o blog da Violet le Beaux e os tutoriais da comunidade EGL, em inglês, ou ainda esses. Infelizmente não conheço blogs com tutoriais de roupas lolita em português (Vicky: estou esperando) mas sei de muitos tutoriais de acessórios em português, e ainda tutoriais em videos que podem ser acompanhados mesmo em inglês. As roupas de baixo podem ser facilmente compradas em brechó e modificadas, e não é preciso ser artesão pra fazer acessório.

Acredito que meu objetivo por hoje tenha sido cumprido com essas dicas.  Vou deixar as minhas recomendações de leitura: o Lolita Tips e o blog Violet le Beaux que mencionei anteriormente, além do ótimo e brasileiro Reino de Morango (e blogs parceiros). ^_^ Eu mesma também não sou a mais expert das lolitas, obviamente, mas espero que o post tenha ajudado você que tem uma vaga curiosidade no estilo e não sabe por onde começar. A comunidade Lolita é bem grande e eu ainda não tenho experiência pra falar sobre, mas quem sabe em um próximo post? Hohoh.

Enfim, espero que tenham curtido o post da vez. Qualquer dúvida deixem nos comentários; super obrigada por visitarem e até a próxima! ~

Nenhum comentário:

Postar um comentário