sábado, 18 de fevereiro de 2017

Handa-kun 8 a 10 - Handa odeia sapos, stalkers e pantsu shots também!


Uau. Pensaram que esses comentários nunca iriam vir a existir, certo? Eu realmente não tenho desculpa; naquela época o bicho do Mystic Messenger [resenha] me mordeu violentamente e passou a consumir 100% do meu tempo livre, e depois eu meio que desisti de Handa-kun porque o anime já tinha terminado e os posts não. No geral, a série me divertiu mas não achei nada de especial. Espero que ninguém tenha se sentido triste com minha desistência temporária da série de posts e vamos aos comentários desses 3 episódios!

Já adianto que não gostei tanto dos episódios 8 e 9 como gostei do 10, e isso porque eu gostei dos episódios 8 e 9. Handa-kun inegavelmente foi melhorando, mas nunca deixando de ser uma série de comédia que faz o que se propõe: diverte.

O episódio 8 começa com um Handa conversando com Kawafuji sobre não querer ir na excursão escolar, enquanto Kawafuji insiste para que ele vá, e com a introdução de um novo personagem: Asahi Ichimiya. Ichimiya é um white haired pretty boy que é basicamente o Handa-kun de sua escola em termos de popularidade - leia-se "seguidores loucos" - e simplicidade, ao menos aparentemente. Ele é do colégio Shiro, o colégio que está indo em uma excursão com o resto dos personagens do colégio Hai, de Handa.

Depois da abertura, temos as duas escolas no ônibus. Reo, da Força Handa, começa a distribuir algumas balinhas para as pessoas, e aí temos a primeira piada do episódio: Handa fica em dúvida se deve pegar uma bala, ou se seria muito estranho... quando a bizarra Eraser Girl o oferece pessoalmente uma bala. Ele pega, rola uma reação exagerada no ônibus - de não pode ser que Handa come balas!!, por que eu não comprei um pacote de balas para dar para o Handa?! e afins - e então Handa... cospe a bala.

Depois disso, o delinquente da escola Shiro chega no espaço da escola Hai, perguntando quem é o delinquente - ou, bancho - da escola, dizendo que quer arrumar briga. É claro que Tsutsui aparece, e eles se encaram no meio do ônibus, coincidentemente do lado de ninguém menos que Handa, a pessoa mais desinteressada no que acontece ao redor de todo o ônibus. Ele está tentando encontrar um lugar para jogar a bala, e acaba jogando-a acidentalmente no cabelão do delinquente da escola Shiro, chamado Jyomoto - um digno personagem de JoJo's Bizarre Adventure. Ele tenta arrumar briga com Handa - que tenta disfarçar o acidente olhando para a "linda vista" do lado de fora - por um segundo, quando chega Ichimiya para intervir na situação. Ele ordena que Jyomoto pare, pede desculpas pelo comportamento dos seus amigos, e sai da cena com direito a brilhos e um sentimento de superioridade em relação a Handa.

Claramente ele tem tanto problema quanto o resto dos personagens.

Depois, temos os garotos da escola Hai pegando omikuji, aqueles papeizinhos que os japoneses tiram em templos que indicam sua sorte, sabem? Handa fica incrédulo com o fato de que eles estão gastando suas escassas mesadas em algo assim, mas acha que não tem outro jeito de tentar fazer amigos na excursão, e decide pegar uma também. Tsutsui e Yukio pegam uma sorte moderada, Reo pega uma sorte um pouco abaixo de moderada, Aizawa pega uma sorte um pouco acima... e Handa? Todo mundo fica pensando sobre como ele deve ter tirado a maior das sortes, ou o maior dos azares, que são raros... e ele tirou uma meia-sorte bem, bem medíocre. Handa sabe o quanto a sua mediocridade surpreende os amigos, e tem dificuldade de contar, até que Jyomoto surge e fala por ele. Em uma cena extremamente dramática, os seguidores de Ichimiya colocam a caixa na frente dele para ele tirar a sorte - e ele tira várias "grandes sortes", porque afinal "os deuses o abençoam sempre". ^_^; Handa não liga, mas a Força Handa começa a desesperadamente gastar dinheiro em sortes até tirar uma "grande sorte", para honrar o nome de Handa - pois se Handa vai ser humilhado por tirar uma sorte medíocre, então eles vão dar a Handa a grande sorte que é digna dele! Ah, Força Handa, nunca decepciona.

Ichimiya acha que Handa tem belos "subordinados", e então vai até Handa, que está fazendo uma oração em um canto. Quando ele termina, Ichimiya conta que tem pessoas da escola Hai arranjando um tumulto, e pergunta se Handa não vai lá resolver a situação, ao que Handa responde que não, pergunta o que tem a ver com isso e sai andando, com a maior indiferença - porque afinal, tecnicamente, ele não tem nada a ver com isso mesmo. Ichimiya conclui que ele é um "rei desagradável", em mais uma cena cinematográfica como todas as cenas em que ele aparece sozinho. Depois, vemos os seguidores de Ichimiya juntos no dormitório. O "Reo" vaidosão da turma, Sousuke, vai falando enquanto tira circle lens do olho e recebe uma reação assustada de Jyomoto. A cena em que ele tira as lentes do olho e seu olho muda totalmente é engraçada, justamente por ser tão inusitada. Eles vão falando sobre espionar o Handa, e a versão da escola Shiro de um Aizawa, o Nagamasa, fala que seria uma boa ideia, mas difícil. De qualquer forma, como o dormitório deles está em um andar acima do de Handa, claramente eles já venceram de Handa nisso!... Ou é assim que um nobre seguidor de Ichimiya pensa. O garoto normal da turma, Tsukasa, diz então que tem uma boa ideia.

A cena corta para um Handa tomando banho sozinho. Ele ficou com um quarto com uma banheira só para ele, para não ter que usar a banheira comunitária do hotel. Vemos um flashback do professor contando que isso seria para "protegê-lo" em uma cena hilária que mostra as garotas escondidas atrás de plantinhas observando o Handa, mas é claro que Handa fica pensando que foi punido porque o professor deve achar que ele quer espionar as garotas no banho. Quando chega no seu quarto solitário, Handa fica ouvindo os barulhos no quarto acima e fantasiando sobre como essa deve ser a "clássica guerra de travesseiros das viagens escolares"... e começa a lutar contra si mesmo com um travesseiro. E aí acontece a seguinte cena, hilária: a Força Handa se unindo e reafirmando que vão fazer o Handa se divertir não importa o que aconteça, chegando no quarto e encontrando um Handa absolutamente melancólico com um travesseiro sobá estourado e trigo para todo o lado.

Depois, é a vez da turma de Ichimiya colocar o seu plano em prática.

Depois disso, todos vão dormir. Nesse momento, começam a falar das histórias mal assombradas de guerras e fantasmas no lugar onde fica o hotel em que estão - e é claro que Handa é o mais aterrorizado, totalmente petrificado. No dia seguinte, a turma do colégio Shiro chega para importunar a Força Handa como de costume, e temos os membros da escola Hai e os da escola Shiro notando uns aos outros. Os primeiros a se falarem são Nagamasa e Aizawa, seguidos de Reo e Sousuke - Reo, aliás, diz que Sousuke é bonito e acaba descobrindo que ele tem um crush na beleza do Tsutsui quando era shota (infelizmente para ele, e Reo se resume a explicar que ele foi transferido pra não arruinar o seu sonho). Depois, vemos o próprio lutando kendo contra Jyomoto, e por fim, Yukio e Tsukasa mostrando que até mesmo os normais tem visões diferentes - Tsukasa pensa que é incrível apoiar o grande Ichimiya das sombras e é extremamente empolgado, enquanto Yukio realmente só não se importa, ou ao menos acredita nisso.

Por fim, vemos Handa observando Ichimiya sendo fotografado por uma legião de meninas... e olhando como se quisesse também. Ichimiya faz um pedido, então, para que ele aceite tirar uma fotografia com Handa: ele precisa vestir uma roupa certa. Handa aceita e os dois tiram uma boa foto juntos. Handa, apreciando a atitude do colega, fica só olhando como se ele fosse um ator famoso... Yukio, no entanto, percebe uma coisa com sua visão imparcial: um chiclete grudado em Handa, e conclui que Ichimiya só queria se vingar (e meu coração ficou partido então com o Handa sendo sacaneado por Ichimiya). Vemos então a força Handa levando uma bronca por se envolverem com os garotos da outra escola, enquanto Yukio continua apoiando-os das sombras justamente depois de dizer que não se importa com essas coisas. Handa deixa cair um objeto seu embaixo de um balcão, e depois de ser ajudado pela escola Shiro a pegá-lo, quase mostra seu rosto e gera um caos... até que Yukio o empurra para que ninguém saiba quem era e não permiti-lo arranjar briga, e ainda empurra eles para o sósia Hanada. Depois de ter sido empurrado, Handa fica sem entender nada enquanto Yukio se desculpa. Nesse momento surge o obsessivo Tsukasa, que descobre os planos de Yukio e resolve arrumar briga com ambos.

Voltamos então para um Ichimiya cercado por uma legião de fãs. Acontece que a legião de fãs vai embora assim que ouvem que o Handa está perto, porque ele tem um ar misterioso e mais interessante segundo elas. Ichimiya obviamente não se conforma, e vai caminhar... quando ambos se encontram de surpresa. Sozinhos, Ichimiya e Handa, o garoto da escola Shiro pergunta para o outro se ele não se sente cansado com o assédio. Handa diz que não entende por que se sentiria cansado, o que sabemos que é totalmente verdade, e então Ichimiya desabafa - que se sente cansado de parecer sempre perfeito e tal. Handa diz que nunca sentiu esse tipo de pressão, e pensa que Ichimiya dramatizando desse jeito parece um personagem de mobage. Referência a Touken Ranbu? Talvez. Enfim, Ichimiya inesperadamente estende a mão e pede para ser amigo de Handa... quando de repente vamos a um flashback da turma do colégio Shiro e do colégio Hai.

A turma de Handa não consegue achá-lo, e quem se oferece para ajudá-los é ninguém menos que a turma do colégio Shiro. A turma do colégio se mostra super prestativa, mesmo com os gritos histéricos de Tsukasa dizendo que eles são rivais, e então todos vão procurar Ichimiya que certamente achará Handa em pouco tempo, já que ele sempre sabe onde todos estão e conversa com todo mundo. É aí que acabam acidentalmente encontrando os dois juntos, e a turma do colégio Shiro se mostra tão preocupada quanto a força Handa com o fato de ambos terem se encontrados sozinhos. Grande perigo, eles podiam ter brigado! Então, Ichimiya percebe que não precisam ser inimigos. Quando tudo parece bonito e feliz e todos são amigos do peito, quem se manifesta gritando e tenta atacar Handa é Tsukasa... que leva um tapão na fuça de Yukio, de todas as pessoas possíveis, que entra em um transe louco para defender Handa. Tsukasa corre e começa a chorar para Ichimiya, que pede para eles desculparem seu amigo. As turmas perdoam umas às outras. Ichimiya vai embora pensando que Handa é mesmo especial porque até Yukio revela um outro lado por causa dele, e enquanto isso... Handa termina no mesmo lugar porque se perde do pessoal.

Esse episódio me cativou especialmente pelo tratamento de uma turma com a outra e a amizade que eles fazem, sobretudo a rivalidade do Yukio e do Tsukasa - sendo que o Tsukasa é totalmente insano, e o Yukio acaba mostrando um lado insano também, o que é bem engraçado vindo dos personagens mais estereotipicamente normais da série. É hilário também como todas as cenas em que Ichimiya aparece o mostram como um verdadeiro rei. Eu confesso que só fiquei meio "eh..." com o desenvolvimento dessa história porque estava com a expectativa de que Handa faria uma amizade com Ichimiya uma vez que a série vai se aproximando do final, mas... isso não aconteceu. ^_^; Novamente, Handa se esquiva da oportunidade de fazer um amigo com maestria.

O episódio 9 começa com foco no professor responsável pela turma de Handa, que é uma pessoa que é favorável à dissecação de sapos nas aulas de biologia como forma de ensinar aos alunos a vulnerabilidade da vida e etc. O diretor, no entanto, proibira a dissecação depois de uma reunião de pais que se manifestaram contra. O professor tem então uma ideia: convidar Handa a depor de maneira favorável à dissecação, o que obviamente convenceria os outros alunos e afinal ele é um homem e portanto deve gostar dessas crueldades. Mal sabe ele que Handa é provavelmente a única pessoa que odeia sapos mais que todas as garotas juntas.  O professor chega então em Handa e Aizawa, que estão juntos colando cartazes, e faz a fatídica pergunta: você concorda com a dissecação, certo, Handa? Handa se lembra que sua mãe foi contra a dissecação na reunião, mas Aizawa obviamente responde na frente dizendo que é muito importante para aprenderem e coisa e tal. Eles começam a conversar sobre as maravilhas da dissecação, e é assim que Handa se vê pressionado a defender a dissecação de sapos.

Corta para uma cena em que Aizawa está defendendo a dissecação para a classe, que não está nem um pouco afim. Ele pressiona então dizendo que ou a turma aceita a dissecação, ou terão que plantar flores. Yukio então tem a ideia óbvia: claro que deveriam chamar o influente Handa para opinar, porque ele vai se opor à dissecação, correto? Handa, que está olhando para fora com medo do resultado, ativa a visão Handa assim que é chamado e começa a imaginar os pensamentos do pessoal de que "esse Handa deve fazer florzinhas em casa kkk"... então ele quer provar que claro que ele curte uma dissecaçãozinha, concorda com a dissecação mesmo com uma expressão de quero vomitar, e é assim que todos topam a dissecação. No entanto, algumas meninas insistem que querem fazer flores. Aizawa resolve o problema pedindo a Handa que ele diga não querer flores, mas Handa já muito cansado prefere dizer que se elas querem flores, dê-as flores. E o que aconteceu então, a revolução das flores? Não, elas dizem que querem dissecar já que é o que Handa quer, e ele obviamente tem mais certeza ainda de que todos estão contra ele.

Resumidamente, 100% dos votos foram pró-dissecação. O professor mostra os sapos aos alunos e pedem que fiquem tranquilos, porque há um para cada aluno. Handa só sente culpa e vontade de fugir, e as pessoas mais bizarras da classe - como a Eraser Girl, claro - parecem se divertir com a crueldade. A força Handa logo se acostuma a tocar os sapos mesmo contra a vontade, mas Handa, que pegou o maior por ser o maioral dos sapos e super merecedor, só quer mesmo voltar pra casa. Sua má vontade acaba causando uma bagunça na sala de aula ao se assustar com o seu sapo. Os sapos fogem, os alunos correm, os vidros quebram e ele desmaia no canto da sala; quando todos se dão conta ele está simplesmente jogado em um canto da sala, desmaiado e com um sapo em seu ombro.

E aí começa uma piada ótima que foi perdida em algumas traduções: kaeru significa sapo em japonês, mas também voltar. Handa ainda meio-desmaiado diz que quer voltar pra casa em uma linguagem patética ("ore ga kaeru"), e o sapo movimenta a boca ao mesmo tempo, o que leva as pessoas a concluírem que é o sapo que está falando em linguagem humana "sou um sapo". Tsutsui diz que é uma possessão e o Handa possuído deve ser ouvido. O Handa continua falando ore ga kaeru, e no melhor estilo pastelão, diz que os humanos o assustam e o sapo lacrimeja nessa hora. De repente, todos se sensibilizam com o terror do sapo (bem, de Handa) de humanos, e resolvem liberar os sapos. Handa, o mensageiro dos sapos, salvou-os novamente.

Em nota, Yukio pergunta se os sapos deveriam mesmo ser liberados na água do rio por causa do habitat natural deles, e o professor de biologia nem liga porque está muito ocupado se convertendo para a força Handa. Ele pensa em como Handa é incrível por ter levado os alunos a perceberem ao fim suas vulnerabilidades como ser humano, a crueldade animal e etc. sem derramar uma gota de sangue, e enquanto eles decidem que todos farão flores, o verdadeiro Handa se encontra no hospital com um sapo em cima da sua cara, asfixiando-o.

A segunda piada do episódio 9 é com Aizawa. Ele stalkeia (ele diz observa, mas não sei se é bem assim...) Handa na volta da escola, que eventualmente percebe que está sendo observado e sai correndo. Aizawa resolve convocar então uma reunião, porque obviamente não deveria ser aceitável para Handa ter stalkers, e eles precisam decidir o que fazer com o stalker que persegue-o; claro que apenas Yukio já sacou tudo, mas Tsutsui e Reo ficam revoltados e se preparam para a briga... normalmente, Yukio fica desesperado com a briga inútil que está por vir. Todos pegam então suas armas e vão à luta, inclusive um Yukio meio arrastado.

Eles vão atrás de Handa com as armas, e... começam a seguí-lo, das sombras. De repente, percebem algo atrás da moita. No entanto, Aizawa diz que não precisam se preocupar porque não é uma stalker; é só a Eraser Girl, já institucionalizada e cimentada como a stalker insana do Handa que não pode ser parada. Ela agora persegue Handa e apaga todas as garotas que se envolvem com ele... e daí o apelido Eraser Girl. Yukio nota que ela era só uma pessoa normal até pouco tempo, e aí as coisas são hilárias porque ela encontra justamente a bibliotecária com crush no Handa. Tsutsui percebe mais alguém depois do apagamento da bibliotecária, e ele e Reo se separam de Aizawa e Yukio.

Handa percebe que há mais gente que o normal seguindo-o naquele dia - porque, sim, ele já está acostumado assim com gente seguindo-o, - e sai correndo, porque terá um encontro com Kawafuji e detesta metê-lo em seus próprios problemas, mal sabendo que Kawafuji é de longe o maior causador deles. De repente, Dash-kun surge com um chamado de Aizawa e começa a correr atrás de Handa, enquanto Aizawa e Yukio o observam com uma espécie de radar do Dragão chamado radar do Handa. Enquanto a menina da biblioteca é torturada por Eraser Girl, Tsutsui e Reo vão procurar o tal stalker que viram... e de repente algo começa a rosnar? Na verdade, era o cachorro bravo que perseguiu Dash no episódio 6. Eles gritam tão alto que Yukio escuta e fica assustado, e logo Dash volta e diz que não conseguiu alcançar Handa - oxe, treinamento forte o do Handa, né? - assim como Reo e Tsutsui também voltam dizendo que tem um stalker atrás de Handa, e Eraser Girl igualmente... resumidamente, todos os stalkers do Handa estão jurando que irão perseguir o stalker do Handa.

Corta para Handa, que depois desse dia horrível precisa escalar apenas um muro para chegar no bar em que está Kawafuji. Só uma fronteira, a última fronteira... e de repente encontra a legião de stalkers exatamente atrás daquele muro. Com o sol ao fundo, todos ficam estonteados com a luminosidade reluzente do incrível Handa e... fazem uma reverência. E então Handa começa a pensar em como é horrível ser sempre perseguido, e como eles são pessoas crueis, e fala a verdade: que não aguenta ficar sendo perseguido, e pergunta por que eles fariam isso. Ele grita o que pensa, e só Yukio percebe isso, naturalmente. Os demais ouvem comovidos ao raro momento de raiva de Handa, que sai correndo... e enquanto Yukio se pergunta como eles interpretaram a cena, vemos que eles acharam que foi para o stalker que obviamente não é nenhum deles. "Ouviu, stalker?!" grita Handa a plenos pulmões. Enquanto isso, Handa encontra seu amigo que diz a ele: "vocês são interessantes". Obviamente, Handa não entende... e é, no fim das contas Kawafuji estava envolvido de novo e se divertindo com a turma de seguidores loucos do Handa.

Pessoalmente, adoro os episódios que tem Kawafuji, porque ele é mais incompreendido que o próprio Handa. Ele é o cara normal que virou amigo do Handa, ao menos aparentemente, mas é basicamente a origem de todo o mal que assola Handa diariamente - os stalkers, os fãs e todo o resto e tal... a segunda metade do episódio foi basicamente uma recapitulação de todo mundo que apareceu para cultuar o Handa até esse momento, de resto, e também do personagem Kawafuji.

A primeira metade me fez rir demais com a piada do sapo, mas a tradução que eu assisti estava errada, então precisava explicar. O medo de Handa na primeira história também é hilário, porque normalmente Handa tem um medo exacerbado porém fracamente controlado, mas o descontrole é total quando envolve insetos, fantasmas e outros medos genéricos. Handa trêmulo e pagando de corajoso é de partir o coração, mas é hilário. Percebi aí que já tinha entrado totalmente no clima da série, mas foi o episódio 10 que me ganhou de vez - e ainda não foi tão bom quanto os últimos.

Então temos o episódio 10, que começa com Yukio se apresentando novamente como um estudante mediano... que subitamente passou a ser evitado por todos na escola porque foi associado com a força Handa. Ele percebe olhares estranhos e não sabe o que fez, e então vai encontrar seus novos amigos, que dão aquele apoio moral legal, compreensivo... dizendo que ele não tem absolutamente nenhum motivo para estar se sentindo ser observado, e dão risada da cara de Yukio. Mal sabem. Reo segue se jogando em Yukio como se fosse amigão e todos ficam olhando, Handa segue com uma barreira negra fortíssima ao seu redor, e tudo parece muito normal até que... Yukio encontra uma carta com coraçãozinho na sua carteira. Sim, é uma carta de amor, aparentemente... com a típica mensagem de "te vejo na saída, ok?".

Yukio, já um verdadeiro membro paranoico da Força Handa, começa a pensar - e se não for uma carta de amor? E se for na realidade uma carta de desafio... de alguém que quer quebrar a sua cara por ser parte da força Handa? Bem, é claro que não deve ser, mas talvez... em dúvida, ele acaba sendo pego pelo professor sonhando acordado e pagou micão. Ele resolve perguntar para os seus amigos. Tsutsui diz que é certamente um pedido  de briga, porque diz que foi chamado da mesma forma para... alguma coisa censurada. (Piadas que não agradam muito: vemos em Handa-kun também.) Aizawa diz que a menina que enviou a carta é super comum também, então só pode ser uma carta de amor! Oba! Que legal, né? Enquanto isso, Handa se diverte com as flores na aula de biologia... o único membro da força Handa que não é membro de verdade.

Todos começam a elaborar cartões com flores depois da aula, e Yukio percebe que sua vida está realmente diferente... por exemplo, agora tem gente que fica falando dele pelas costas, e tem amigos e até vai conseguir uma namorada... ah, a grande guinada e redenção do garoto que não cheira nem fede, o Xaveco da galera Handa. Ele então diz que era um patinho feio que se viu um cisne e coisa e tal, até que... chega a hora da saída da escola. Ele vai encontrar sua amada com seus amigos seguindo-o, e bem, a primeira coisa que ela diz é que Yukio deveria deixar de ser da força Handa porque é muito sem sal. Os três que observam ficam chocados e vão consolá-lo, mas Yukio diz que está bem e já esperava por isso, afinal um garoto tão normal nunca receberia uma declaração digna de mangá... e sai correndo, claramente nada bem.

Ele segue pela rua até sua casa, pensando: por que será que acreditei que eu, um rapaz normal, poderia conseguir alguma coisa com uma garota... por quê? E então ele acaba esbarrando em Handa, que carrega um buquê de flores no meio da rua. Handa percebe que esse garoto é da classe dele, e então Yukio pergunta se ele estava fazendo forças. Obviamente, Handa responde que não, de jeito nenhum que ele gostaria de uma atividade tão feminina...  claro que é para irritar uma pessoa. Yukio pensa em como não entende por que Handa é uma pessoa que esconde tanto quem realmente é... e que eles são parecidos, afinal. Ele acaba dando a Handa um cartão de flor que Tsutsui tinha feito para ele entregar para a sua amada que não foi... novamente, tem uma piada com palavras japonesas aí: Tsutsui havia escrito kimochi (sentimentos), mas a tinta derreteu e quando Handa leu, o cartão de flor dizia: kimoi (nojento, desagradável). Enquanto Yukio volta para a força Handa com a consciência tranquila e alegria no coração, Handa percebe que as pessoas são ruins... esse há de ser o jeito delas de atazanar alguém usando flores, ele pensa.

Depois desse momento, temos a segunda parte do episódio 10. A história agora é sobre um clube do colégio Hai, que se chama clube de investigação de meninas lindas e é basicamente um Genshiken... É um clube bem exótico que faz mangás para vender, e conta com três meninos andróginos. Aizawa chega um belo dia na sala deles dizendo que o grupo seria dissolvido, porque não se sustenta financeiramente, e então os garotos questionam o valor cultural do clube e coisa e tal. Claro que eles se sentem afrontados por tal comentário, afinal eles vendem... mas aí Aizawa aponta as pilhas de mangás encalhados e sugere que eles façam algo. Melhor, Aizawa tem uma ideia específica: os mangás venderiam se o Handa que os protagonizasse. Exato, Handa. Meninas bonitas, bishoujo. (Ah, e a metalinguagem, né.)

Eles dizem que não podem, afinal o clube de meninas bonitas não poderia desenhar um homem mesmo se fosse um homem em versão feminina. Aizawa então diz que eles deveriam pensar nisso porque vai precisar saber seu número de vendas para fechar o clube, então ou eles fazem uma obra que vá vender, ou eles devem contar os dados do clube. Resignados, os três se põem a discutir soluções: como seria um personagem do Handa? (Sugestão: yaoi, menin...)  Como Handa é uma pessoa muito popular e os três nunca falaram com ele, não tem muita certeza mas sabem que deve ser uma pessoa popular, e... talvez oneechan, talvez assim ou assado e as ideias não batem. Decidem então resolver isso com uma competição; quem fizer o melhor mangá de Handa, ganha e vai publicar seu mangá.

Um dos garotos decide então se aproximar de Handa para entender melhor a sua personalidade. Mas é claro que ele não tem a cara de pau necessária para conversar com Handa, então ele resolve usar um artifício incrível: um (uma?) figure de uma garota genérica de anime. Ela é uma garota mágica chamada Melina, e o rapaz se esconde atrás de uma parede e começa a movimentar apenas a boneca. Handa está prestes a virar a parede, quando a boneca surge na sua frente chamando seu nome. Handa se assusta ao ver uma boneca falante - uma coisa bem de filme de terror que ele obviamente detestaria, certo? - e crê que ele está sendo confundido com alguma outra pessoa... e se pergunta então por que ela tem tão pouca roupa. Ah, Handa também tem dó da pessoa que maneja a boneca para chamar a sua atenção - claramente, losers se entendem.

A boneca diz então que Handa poderia levantar a sua saia. Handa continua olhando-a aterrorizado, e então joga um paninho para cobri-la... porque mesmo sendo uma boneca, mulheres não deveriam fazer essas coisas. (Ó O shade de anime de bishoujo aí gente!) Handa vai embora com dó da boneca e da pessoa que a maneja, enquanto o rapaz assim como todos os fãs de Handa no universo começa a idolizá-lo por mudar sua visão de bishoujo e tal.

E então chega o dia da competição. Os três surgem com suas histórias da Handa-chan. O rapaz fica especialmente horrorizado ao ver pantsu shots nos desenhos daqueles ignorantes ainda não iluminados pela visão de Handa, e... esmurra o desenhista, que diz que mangá bishoujo precisa ter um pouco de erotismo, mas ele insiste que Handa-kun não precisa de erotismo! Depois desse depoimento em tom de otaku feroz no melhor estilo Madarame, vamos à nossa próxima avaliação. O outro fez um mangá em que a Handa é parte de um harém de um protagonista genérico, e ele diz que não tem objeções mas fez melhor. Nessa semana ele deu seu máximo a Handa, e ao pegar seu manuscrito uma luz emana. Você é genial, capitão, dizem as pessoas. Os otakus choram e piram. Todos curtem... a linda cena da heroica Handa cobrindo uma menina nua. Não, eles não poderiam vencer uma cena tão nobre. E assim ele ganhou e fica super empolgado com a prospectiva de mostrar seu trabalho para seu ídolo Handa.

A cena corta para Handa encontrando os manuscritos guardados, porque está como responsável pela arrumação da classe... e ele fica assustado naturalmente, e insiste que aquilo não devia existir e que deveria dar fim naquilo. Ele foge com os manuscritos, e logo surge Aizawa com os rapazes do clube que querem mostrar o incrível e glorioso manuscrito... que sumiu. Ué, mas estava lá... sumiram. Aizawa não parece acreditar apesar do rapaz insistindo que é verdade, e logo concluem que Handa deve ter protegido os originais. Não tentado dar fim neles, claro, apenas preservar uma obra tão incrível. Handa então pensa que não deveria sumir com algo dos outros para não se meter em um problema, e devolve o manuscrito contra sua vontade. E então ele vê a pantsu shot da Handa nos manuscritos que estão no lixo... e fim. Diria que um Bad end para Handa.

Apesar da minha demora de uns milênios para comentar os episódios, eles realmente não foram ruins. Gostei especialmente do 10, com os stalkers correndo atrás de Handa sem se dar conta de que são os stalkers - um ótimo resumo do que foi Handa-kun até agora, por sinal - e todo o shade da segunda parte do episódio, que mostrava os otakus desesperados por provar que as bishoujo valem a pena... e até eles se rendendo ao poder de Handa. Que, aliás, segue sem saber do seu poder. Os próximos episódios melhoram ainda mais a série, de verdade. Eu só tenho uma decepção, mas comentarei-a no próximo post. Grata a quem leu até aqui, e até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário