quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

"Eu assisto anime e sou melhor que o outro que assiste anime" - um rant.


E depois de ter feito o post sobre Yuri On Ice!!! e não ser linchada, eu voltei aqui com uma outra polêmica porque aparentemente estou louca por arranjar treta na Internet. Ok, é só que eu por estar um pouco distanciada do fandom finalmente consegui encontrar uma forma de encorajar aqueles que se sentem coagidos por uma coisa que não devia ser coercitiva: o discurso do "eu vi mais anime que você então eu sou melhor". Também por causa do video recente do That Japanese Man Yuta, sobre gente que é tão weeaboo quanto qualquer weeaboo mas insiste que não é. E aí eu lembrei desse assunto que eu queria falar há tempos.

Vai parecer shade, indiretinha, tal. Eu prometo que não é, porque eu não tenho me aproximado da blogosfera há uns 3 meses. É apenas um pensamento que eu tenho entalado desde muito antes de ter um blog de anime, e eu queria compartilhar porque eu não aguento o quanto as pessoas andam diariamente mais quantitativas e menos qualitativas (e a Internet é essa grande batedeira de ideias, principalmente ideias estúpidas) e queria lembrar que ainda existem opiniões contrárias, aguente firme.

Vamos começar deixando claro que esse discurso é furada porque ter mais tempo pra assistir mais anime não significa absolutamente nada em relação a uma pessoa ser melhor que outra, sério. Mas deixando esse aspecto de lado, vamos falar do que me levou a escrever essas reclamações. Eu já comentei sobre o fenômeno bizarro antes, mas enfim. O fenômeno pode ser resumido em "gente que se considera autoridade em entretenimento", seja séries, anime ou qualquer outra coisa que deveria ser entretenimento. E a pessoa não se considera autoridade porque ela estuda o assunto de maneira aprofundada, em um nível acadêmico ou não, mas sim porque ela viu mais séries.

A questão desse entendimento de ser autoridade é que a pessoa insiste que, por "ter uma bagagem (teoricamente) maior", ela vai conhecer mais daquilo que a outra pessoa também conhece. É claro que ter mais bagagem talvez lhe permita opinar mais, mas isso de forma alguma significa que você terá opiniões melhores ou, pasmem, sequer mais embasadas. A questão é que a sua opinião não vale mais porque você assistiu mais séries. Certo, você assistiu quantitativamente mais séries, mas o seu aproveitamento qualitativo não pode ser julgado por números.

Ainda que o ato de ser espectador seja por definição passivo, há formas mais ativas de interação e é nessa direção que o entretenimento tem evoluído, não só animes como também filmes, séries e outros. Muitas pessoas hoje em dia fazem fanworks, por assim dizer, e outras coisas em cima de trabalhos feitos anteriormente. Há gente que tem um aproveitamento de séries dessa forma - eu mesma sou uma pessoa que sempre fui menos de curtir séries fazendo binge watch do que fazendo fanfic, por exemplo. Há outros que despendem seu tempo com traduções ou, pasmem, blogando ou lendo sobre anime. Eu gostava de frequentar sites de wallpapers, de todas as coisas possíveis, quando não podia baixar anime nos early 2000s. E todas as pessoas que fazem essas coisas são, digamos, tão fãs de anime quanto o sujeito que assistiu 1000 séries no MyAnimeList. Nós estamos no mesmíssimo barco, colega. E, spoilers: se você é de fato alguma autoridade pelo quanto de coisas você assistiu, provavelmente nem tem consciência disso porque está ocupado demais assistindo coisas pra se dar conta. Ter 1000 animes completos sendo que 500 são filmes que você dormiu na metade não te faz mais autoridade que ninguém.

Eu odeio a figura do caga-regras, e dizer que é preciso ter visto mais que X animes para opinar em algum lugar - como eu efetivamente já vi gente fazendo na terra chamada MyAnimeList - é bem terrível. Quando uma pessoa chega no MyAnimeList da outra simplesmente para dizer que "se você viu menos anime você entende menos do que eu", um lado do meu cérebro coloca a opinião daquela pessoa na latrina, de verdade. Não, ter visto mais ou menos anime quantitativamente não indica absolutamente nada do seu aproveitamento qualitativo, do quanto você efetivamente é capaz de comentar sobre um anime, etc.

E que opinião vale mais: a opinião de uma criança que assistiu 300 animes sem entender muita coisa porque tem tempo livre demais, a opinião de um senhor que acabou de conhecer animes e assistiu 10 séries, a opinião de uma jovem-adulta que assistiu 30 séries, a opinião de...? Eu respondo: Nenhuma, porque todas são opiniões igualmente. E é por isso que tem espaço para todo mundo curtir, ser fã, opinar. Porque opiniões são apenas opiniões e cada um tem o direito de ter a sua. O fim da picada é pensar o contrário.

Longo suspiro.

Outra reclamação que eu queria fazer é a do "meu gosto é melhor que o seu". O que é ser melhor? Defina, se você considera seu gosto melhor do que o de outra pessoa: por que o seu gosto é melhor? Eu considero meu gosto melhor do que os outros em um nível pessoal sim, afinal é o meu gosto, não faria sentido tê-lo se não fosse minha preferência individual; não faz sentido acreditar que as coisas que ressoam melhor com minha personalidade, história e etc. são piores que o de outras pessoas, a menos que sua auto-estima seja baixa a tal ponto, o que é perfeitamente possível. (E essas ideias são que nem respirar - você não interage com elas até que alguém te lembre que seu corpo agirá assim mesmo que você não queira.) Pra mim, é o que há de melhor; mas eu nunca consideraria meu julgamento uma verdade universal, visto que é totalmente subjetivo, muito menos jogaria isso em uma discussão objetiva.

Infelizmente existe um patamar ou campo em que isso acontece normalmente, que é o da crítica de entretenimento. O crítico precisa falar das suas impressões como se fossem verdades universais, e por mais que ele tente ser objetivo sempre haverá um quê de subjetivo nas avaliações. É por isso que eu, por exemplo, deixo claro pra quem lê o blog que sou uma mulher jovem adulta que vê anime desde criança e outras coisas que, creio eu, determinam minha percepção. Similarmente ao que eu falei na postagem sobre videogames com estéticas femininas, existem estéticas e gostos que são considerados "menos" por uma indústria massificante mas é importante considerar que o julgamento da indústria é somente produto de um tempo e circunstâncias, não são de forma alguma verdades universais (sequer verdades) e muito menos devem ser objetivadas. Ainda que a indústria queira muito produzir X, se as pessoas gostarem mais de Y, no mínimo haverá uma tensão aí. Portanto, é importante expressarmos opiniões divergentes sim, e é super importante sermos ouvidos no diálogo e não no berro.

Essas reflexões também não são shade mas advém do fato de que eu já escrevi e escrevo pra outros blogs, inclusive pro Suco de Mangá, e lá eu não posso jogar tão limpo com o que eu sinto. Mas por que o que eu sinto deveria ser menos? Em outras palavras, por que o "padrão" de gosto não pode ser josei e BL, mas sim shounen e seinen? Na prática é porque shounen e seinen são mais "populares" tanto no Japão quanto aqui, e os grandes portais visam a maioria dos leitores, portanto A + B. Mas de forma alguma o gosto é "melhor" porque mais pessoas o tem, e de alguma forma a crítica é uma verdade universal - eu mesma discordaria. Tenho certeza que mais brasileiros tem acesso a arroz do que chocolate e portanto mais brasileiros gostam, mas não é necessariamente porque arroz é melhor que chocolate, concordam? E o que define afinal o que é melhor? (Torço pra que seu cérebro não responda que é o mercado ^_^)

Resumidamente, o outro gênero de "sou melhor" que eu detesto é o "vi anime mais bem votado do que você então eu sou melhor". E é por esses motivos que eu posso dizer com segurança que não, você viu anime mais bem votado, não necessariamente melhor. Porque novamente: o que é o "melhor"? É o melhor pra você, espero (a menos que você dê uma de Espectador de Anime Nutella que só assiste o que foi bem avaliado...) mas isso não te faz melhor que ninguém. Na verdade, se você encuca muito com as notas, só te faz possivelmente babaca.

Por que eu fiz esse post sendo que não estou falando nada de novo? Porque às vezes eu preciso expressar as coisas que me ficam entaladas, porque às vezes eu preciso expressar o meu eu falei que isso ia dar merda, porque eu mesma já encuquei pra caramba com número de animes assistidos e fiquei chocada quando percebi o quanto não significava bosta. E por tal motivo eu duvido e convido todos a duvidarem de qualquer guru-super-conhecedor de anime que surge na Internet. Porque as pessoas que realmente sabem de anime em geral não despontam como gurus, simplesmente; porque a sua opinião vale tanto quanto a de qualquer outra pessoa e deveria ser tratada como tal. Eu entendo que nossa sociedade plural, globalizada e capitalista é capaz de obrigar pessoas a pensarem que são obrigados a ser melhor ou pior que alguém em relação a virtualmente qualquer coisa, mas competir em ser fã é realmente o fim da picada. Sejamos todos fãs igualmente e sem competição, gastemos dinheiro com produtos inúteis, choremos por husbandos e torçamos por temporadas igualmente.

Apesar de minha explanação talvez ter soado até um pouco agressiva, eu precisava dizer essas coisas que estão entaladas pra deixar o relato bem claro e linkar sempre que quiser falar desse fenômeno. E concluindo depois desse que foi um dos textos mais 100% pessoais e nus que eu escrevi nessas terras, queria deixar claro que vou me posicionar contra qualquer postura de "sabichão do entretenimento" sem nenhum embasamento além de "porque eu via desde criança..." ou "porque eu vi X séries...", sobretudo quando vierem mexer com anime e mangá, vou rir e te linkar pra cá. Divirta-se.

7 comentários:

  1. Escritora dando apoio total a esta postagem.

    Afinal, sempre tem alguém que parece ser mais sabido, só porque assiste mais animes ou outras obras que o outro ou faz uma análise que ao invés de pegar os aspectos que tornaram a obra o que é, ou elogia demais ou critica como se não houvesse amanhã.

    Hoje em dia, o pessoal não tem paciência em aceitar a opinião do outro, seu ponto de vista e isto tem sido muito chato. Gosto de quem fala que entende o jeito de acompanhar animes, cada um tem sua opinião e gosto, não tem como agradar a todos. Temos de ter mente aberta e isto quer dizer entender o jeito do outro, sem importar se a forma de pensar é igual ou não a sua.

    Sobre animes, três fatores me incomodam demais quando leio algo a respeito ou vejo um vídeo: animes antigos, porque tem os que falam que não vale a pena gastar tempo com obras assim, só por não ter um animação estável ou bonita; animes longos, porque reclamam de sua duração e estilo narrativo e de que toda obra adaptada tem de ser igualzinha a original, sem mudanças, tem séries que mudanças são necessárias pra atender um público maior. Quando leio isso, me dá vontade de chiar e reclamar aos quatro ventos, porque não dá! Como se as séries que gostam são melhores que as suas, olha que não dá pra simpatizar muito com gostos assim, tão restritos demais.

    Infelizmente, é o que se vê em qualquer entretenimento: os que acham melhores, porque "conhecem melhor" só por causa da bagagem, seja de longa data ou não. Nada errado ter opinião, ter seus gostos, porque cada um tem seu jeito de gostar de algo e isto não é diferente quanto a animes. Tem séries que gosto, tem as que não gosto e tem as que quero distância, por não simpatizar com seu conteúdo. Simples assim! Acontece que o pessoal gosta de botar fogo na lenha e gera uma lengalenga que é de dar dó, aos que dizem sabe-tudo.

    É isso aí! Pena que ultimamente, tenha este pessoal. Novamente, parabéns pela postagem e até a próxima!!!

    ResponderExcluir
  2. Primeiramente, olá, muito bem vinda!

    Hahah, exatamente, não poderia ter colocado melhor. Eu posso me dizer culpada disso de elogiar ou criticar demais, mas gosto de deixar claro que eu não posto mais que minhas ideias aqui (ou, eu não gostei de Yuri on Ice mais que Owari no Seraph mas certamente não quero enganar ninguém dizendo que isso não é uma opinião impopular). Toda crítica é um pouco pessoal pelos motivos supracitados, mas quando você se propõe a fazer uma crítica impessoal, obviamente suas impressões devem passar por uma análise do porquê de você se sentir tentado a elogiar ou criticar demais, afinal quem vai ler não deveria ser obrigado a partilhar desses motivos.

    Eu não entendi isso de entender o jeito de acompanhar animes, mas concordo totalmente de resto. Lembro que fiquei muitos anos sem assistir Air TV, e uma amiga minha ficou indignada porque eu ainda queria assistir e realmente tentou me convencer a não assistir porque tinha "passado o tempo" do anime. Entendo que algumas histórias só ficam populares porque são frutos de uma época e ressoam com as pessoas naquela época, mas eu discordo. Legal se o seu objetivo é ficar atualizado nas séries de anime, mas ver anime deveria ser só... ver anime, e cada um vê o que gosta, não? Então tem essas divergências todas, mas no fim das contas são apenas divergências saudáveis de opiniões.

    São críticas que a gente lê muito mesmo, né? Quanto à primeira, consigo entender que algumas pessoas tem preferências estéticas por séries recentes, mas eu só lamento porque estão perdendo obras incríveis (tenho certeza que tem gente que não viu Grave of the Fireflies porque é antiga e isso me dá uma tristezinha, confesso). A reclamação da duração também me irrita por ter se tornado tão comum, apesar de eu prefirir obras curtas mas atualmente a gente praticamente não tem nenhuma, longa o que é bem triste. Entendo também que fãs de um mangá(/LN/videogame etc) podem ficar chateados quando a adaptação muda a sua história, como acontece com algumas das minhas séries favoritas. Mas nem por isso a adaptação deixa de ter méritos que deviam ser vistos em uma análise crítica que não "WHRGAHGRLAB MUDARAM AGORA É HORRÍVEL *VOMITA NO TECLADO*". A questão da análise crítica (ou, escrever sobre) é justamente perceber por que você detestou, né!

    Exatamente! Inclusive tem gente que só vê anime, gente que vê anime e filmes, gente que vê também doramas, e... enfim, existirão sempre pessoas com diferentes bagagens, parâmetros e gostos. E é mesmo um saco a figura da pessoa que se diz autoridade por motivos arbitrários e "só o meu gosto é válido".

    Muito obrigada mesmo, adorei seu comentário e espero vê-la novamente por aqui! Até mais!

    ResponderExcluir
  3. O MERCADO É MELHOR /morte (eu precisei)
    Okay, primeiramente, eu odeio esse grupo social do qual pertenço, a minha teoria é de que o fandom otaco existe para ser uma vergonha alheia em níveis diferentes, tanto em "eu vou usar capa da akatsuki no casamento da minha mãe" quanto em "eu entendi Lain sou inteligente pessoas normais não entenderiam Lain".
    Primeiro de tudo, LAIN NÃO É ESSA COCA-COLA TODA /deja vu (eu gosto de Lain, diretivamente falando, deixe esse comentário como piada obrigatória antes de falar seriamente sério).
    Esse grupo social voltado para animes realmente só me envergonha, não no sentido do que assistem ou do que vestem, mas do que falam e do que realmente acreditam ser verdade. Todo ser humano tem uma necessidade de catequizar os semelhantes com as informações que julgam obrigatórias aos outros, e otaco (e algumas vertentes religiosas) exagera nesse ponto, exagera demais, é um grupo que cria para eles mesmos obras endeusadas por causa da concordância de um grupo de adolescentes que se tivessem outra coisa para fazer, não seriam tão idiotas.
    My Anime List é uma lixeira funda, eu me nego a dialogar com pessoas que consideram os tops do MAL como prova concreta de que "um é melhor que outro", a única //única// utilidade do My anime list é catalogar o que assistiu e poder consultar o que desconhece, por mim a parte social dele deveria morrer e os fóruns deveriam queimar no fogo do inferno de Yui-sama.
    Se eu consultar meu MAL aqui tem um total de 661 animes completados, sabe o que isso significa? QUE EU SOU UM RECLUSO DESOCUPADO, isso não me faz melhor que ninguém, não sou o maior sabidão dos animes e eu prefiro nem opinar sobre nada em relação a animes, porque eu tenho noção que os animes que eu gosto são muitas vezes considerados ruins, forçados ou até mesmo para pessoas doentes da cabeça, eu não quero ter que explicar o motivo de eu gostar de algo falando com meu coração pra pessoa chegar no final e falar "ah mas Berserk é melhor, seinen psicológico é sempre melhor, good taste". Primeiro, eu não desejo saber o que é universalmente bom ou ruim (isso nesse universo aí que a pessoa vive), e muito menos disse "r8 mah taste", eu só assisto animes e leio mangás ainda porque são a única mídia visual que eu realmente me interesso em acompanhar, me interesso em entender e ver o background por trás do que eu gosto, não preciso de um diploma de otacão do ano, só quero ver o que eu gosto e posteriormente falar do que eu gosto, sem compromisso, sem elitismo forçando que o que eu gosto deveria ser obrigatório, a minha lista extensa no MAL, minha coleção de mangás ou até mesmo minha fala cheia de firulas das mais tri não são motivos para me endeusar ou me considerar maior que algo, eu quero apenas alguém que me escute quando falar de algo que gosto e que me mostre algo legal para que eu possa gostar também, essa é a única relação social desse grupo que deveria existir.


    -Nippan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gu! Primeiramente, grata por vir aqui comentar, como sempre.

      Exato, eu também. É incrível o fato de que eu demorei para perceber o quanto eu odiava o fandom de anime, e o motivo é muito básico: existem um monte de metidos a sabichões, e parece que qualquer bosta tem que ser uma acirrada disputa de opiniões e se você perdeu a disputa a sua opinião é inválida. Eu expresso minha revolta com conhecimento de causa e de retórica, o problema é que nem a disputa de opiniões é algo real, é só "minha panelinha acha X bom então X é ótimo". Se você não tem nada pra fazer além de uma disputa de opiniões, beleza, mas eu só tenho e prefiro não me envolver. Eu entendo também que o fato de anime vir de uma cultura tão diferente da nossa ocidental faz com que muita gente se sinta o top da balada mente aberta porque consegue abstrair e entender conceitos das outras culturas. Mas, ó só: não é. A pessoa que pensa que sabe de filosofia japonesa porque é zen-budista do seisho no ie (?) provavelmente sabe também, entende? Mas existe um sentimento de nicho bem grande e... bom, você me entende eu suponho. Realmente, Haruhiismo e Madokismo são apenas personificações de um fenômeno bem real. :P

      Eu creio que tenham coisas legais nos fóruns do MAL como em todo o fandom de anime, mas é, existe um ranço e ele é forte. É, exatamente. É isso que eu queria também! Eu também gosto de umas coisas bizarras como bem sabe, misturo um pouco de mainstream, sou otaca pra caramba e tenho firme convicção de que isso me faz pouco mais que uma desocupada com gosto estético apurado. E beleza, entende? Estamos aqui pra nos ajudar. Eu adoro quando alguém curte uma coisa que eu opinei porque eu imagino que a pessoa tenha se sentido "uau, tem uma desocupada que pensa o mesmo que eu quanto a X!" e adoro sentir "ah sim, uma desocupada que me entende" lendo resenhas e etc. e é minha diversão então super te entendo e concordo que o fandom de anime em geral deveria ser mais chillax e sobretudo mais hã... informativo, menos competitivo... ou coisa assim. Resumidamente: legal que sua panelinha gosta de X! Agora deixa eu expressar por que eu gosto de Y e vamos ter diferentes panelinhas felizes e saudáveis unidas por gostos e compartilhamento de ideias e recomendações. Ou não panelinhas. Ou nada, não importa mesmo.

      Enfim, novamente, obrigada por comentar aqui e como sempre me fazer sentir um pouco menos alienígena. :~ É pra isso que eu tenho que expressar essas coisas que estou pensando afinal LOL. Até a próxima! ( E eu preciso ver os trecos no seu blog e comentar ;; )

      Excluir
  4. Saudações


    Primeiramente, nobre Chell, o seu post teve uma ideia central muito boa. Pontos interessantes foram citados e suas circunstâncias mínimas também.

    Entretanto, concordo contigo quando tu sugere que o texto pode ter soado agressivo. E de certa forma assim soou, especialmente para quem não pratica das ações nele trabalhadas.
    Acredito que esta seja a chamada "cutucada indireta", se é que posso assim nomear.

    Tenho mais de 700 animes completados segundo o MyAnimeList, e não consigo me sentir arrependido disto. Levando em consideração que ainda estudo online (e mais de 85% das obras por mim vistas foi enquanto eu também trabalhava, ou seja, em dias de folga, férias ou em alguns momentos pós retorno do serviço), além de exercer outras atividades, então pode-se dizer que (talvez) eu consiga dividir bem o meu tempo. Achismo pessoal.

    Serei sincero...
    Não vejo o menor problema se alguém quer definir regras e conceitos. Pode fazê-lo à vontade, caso assim deseje. Só não peça para eu ser à favor deste tipo de ação, intrinsecamente. Prefiro ver as obras, analisar como posso (dentro de minhas limitações), dar alguma nota quando necessário (como no caso do MyAnimeList ou de alguns trabalhos específicos que faço e/ou participo) e seguir com a vida.
    Posso indicar animes, seja por via do meu blog, pelas redes sociais ou por conversações pessoais, mas não posso esperar uma obrigatoriedade na pessoa ver. Não escondo que às vezes fico, sim, chateado quando indico algo e a pessoa não vê por quaisquer razão que seja (especialmente quando é alguém de minha estima), mas isso está longe de ser uma regra de vida então ficar "cutucando", ao meu ver, não ajuda em muita coisa.

    Engraçado, vi mais 700 animes (média de 14 simultaneamente por temporada desde abril/2011) mas não me considero entendido, muito menos expert no assunto.
    O número tem importância sim, nobre, ao contrário do que diz vosso texto (em minha concepção). Mostra que (teoricamente) a pessoa viu "de tudo um pouco" e, possivelmente, possa contribuir com opiniões das mais variadas sobre aquilo que assistiu ou que venha à indicar. Isso já é algo que acho grandioso.
    Contudo, tal número não me faz um "mestre" na área (e nem anseio por isto).
    Todo dia é uma aprendizagem nova, não importa o campo/área, e nisto incluem-se os hobbies. Se hoje assisto algo fora da minha linha convencional de apreciação, por exemplo, é porque alguém me indicou em algum momento ou porque as reações em geral chamaram a minha atenção para tanto. Nunca me senti obrigado a nada sobre isto.

    Não sei se tu está na vibe de momento para os chamados [rants], nobre Chell. E não pretendo também classificar isso como bom ou ruim. Apenas acho as opiniões devem sim ser lançadas a quem possa interessar delas saber.


    Até mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlilio, primeiramente, muito obrigada por vir comentar!

      Você é uma pessoa que está nesse meio de blogs há mais tempo que eu, então imagino que já tenha passado por muitas e li seu comentário com calma e pensando. E queria deixar claro que a crítica não foi direcionada a ti, que inclusive considero mais eclético que muitos e portanto menos propenso a um certo elitismo.

      Eu já fui criticada algumas vezes porque aparentemente quando eu me revolto demais com uma coisa eu começo a fazer lambança na hora de escrever e expressar e fiquei com essa sensação. :P Desculpa se pareceu que sim.

      Eu vou deixar claro que não entendi o que você quis dizer. O texto tem algumas cutucadas sim, mas realmente não são indiretas direcionadas a ninguém, entre outros motivos porque eu não interajo com gente assim, não tenho paciência. Quando percebo que a pessoa tem intenção de ser o/a catequizador/a (q) otaku da paróquia, digamos, eu vou embora porque minha backlog é muito grande pra dar atenção.

      Isso é ótimo e creio que você consiga fazer a divisão melhor que muitos, mesmo. O meu ponto é que o quanto você assistiu quantitativamente não diz muito do seu envolvimento qualitativo e nem do quanto você entende. Eu posso afirmar que "entendia" mais de anime em alguns sentidos em 2006, 2007, 2008 (quando tinha bastante tempo para pesquisar temporadas, analisar bem o que eu queria ver etc.) do que hoje. E em outros aspectos entendo melhor hoje, sou aberta a mais gêneros e até origens. Hoje eu procuro assistir e comentar por diversão, no tempo livre (ou, de procrastinação). E reconheço que sou muito pior em panoramas, por exemplo, por isso, e que tem crianças de 14 anos com insights ótimos sobre tendências e tal, e no fim das contas nada disso importa mas eu penso que provavelmente gostaria de ler blogs delas e tal. Em resumo, as pessoas tem compreensões diferentes (desnecessário dizer, né? Talvez, talvez.)

      Exatamente, é isso. O que me incomoda com a figura do caga-regras é que a pessoa consegue mudar o fluxo natural das coisas, e por causa disso eu detesto quando soo muito agressiva. Por exemplo: Free! (exemplo porque sou fã e vi) foi um anime ótimo que foi muito popular desde já antes de estrear, no mundo inteiro, e parece que no ocidente pouca gente que não é/foi fã mencionou ou lembra porque a galera que não curte berra as regras: é de fanservice, é besta, não vejam. É uma aproximação diferente de um AnimeNewsNetwork ou outro portal sério que procura julgar obras de forma relativamente objetiva. Eu sinto bastante isso com anime "de fujoshi" mas imagino que você passe por algo semelhante com muitas séries (mahou shoujo, séries curtas, etc). Em resumo, todos tem o direito de assistir e comentar o que querem, mas a raiz da gritaria está exatamente no "não falem de X porque eu não gosto de X" e é o que eu queria pontuar pra todos, eu inclusa, o fandom inteiro. Não se engane, nos círculos fujoshi tem muito de "eca, fanservice (feminino)" e não tem problema pensar isso ou o contrário, o problema é jogar esses julgamentos (que são basicamente preconceitos mesmo) pra dizer que tem gostos melhores e piores.

      Excluir

    2. Apesar de que o número de forma alguma garante que a pessoa viu de tudo um pouco. Cansei de ver gente que só assiste um tipo de obra com muitas séries vistas porque gosta. E ótimo! Muito bom que a pessoa tenha tempo e disposição pra fazer bastante do que gosta. Mas justamente, isso não significa nada/significa pouco a respeito do seu aproveitamento qualitativo e, sobretudo, não dá pra garantir que a pessoa sequer tem um entendimento de outros gêneros, estilos e etc. Então, julgar por volume é bem "er..." em um nível básico, e eu não estou falando nem nesse nível porque não interessa; interessa quando a pessoa que viu 700 séries chega em um fórum do MAL e manda "você só viu 100 séries, cale a boca, lolol" o que eu já vi acontecer. E quero que a pessoa que calou a boca entenda que a opinião que ela tem também é válida. Talvez até mais embasada que a do outro, depende. Enfim, opiniões. São. Opiniões.

      Era isso que eu queria dizer, não sei se deixei um pouquinho melhor expressado agora. (Subitamente não sei se é expressado ou expresso, socorro.) Novamente, não tem a ver com você certamente, e não tem a ver com ninguém em particular. É simplesmente um fenômeno que acontece e a isso chamam de silenciamento, etc.; essas mesmas pessoas se revoltariam se dissessem do anime que elas gostam o que elas dizem de outros, em geral, e o problema está exatamente nisso.

      Novamente, agradeço de verdade a visita e a sua opinião! Desculpas sinceras por não estar conseguindo visitar seu blog (até parei um pouco com as redes sociais, estou com problemas no computador etc...) mas espero fazer mais disso quando puder. Até a próxima!

      Excluir