terça-feira, 26 de julho de 2016

Handa-kun 3 - Aprendendo a fazer pudim com Sei Handa

Coisas que acontecem na vida do jovem Handa.

Depois de enterrar meu rosto no meio das minhas mãos e suspirar dizendo "esse anime é muito bom", eu enfim concluí que fiz a escolha certa de anime para acompanhar aqui nessa temporada.

Nesse episódio, nós descobrimos o verdadeiro poder da influência do Handa, além de como se formou o restante da Força Handa, com Yukio Kondou e Akane Tsutsui. Temos ainda mais aparições do saudoso Kawafuji, aquele amigo muito do cretino que aparece em Barakamon, aqui igualmente cretino. E, no geral, tudo é muito hilário e o nível da comédia só aumenta. Como a comédia de Handa-kun faz exatamente meu tipo, não poderia estar mais empolgada para escrever esse post, então me desculpem se eu escrever demais novamente, e 'bora comentar o episódio 3 de Handa-kun! (´・ω・`)




O episódio 3 de Handa-kun começa com uma nova historinha, que provavelmente se traduz em um novo capítulo do mangá. Handa, que agora é representante de classe, precisa entregar a lição de casa para um aluno que continuamente falta à aula. Existem diversos boatos sobre esse garoto - de que ele é um gangster violento que arruma briga com todo mundo, e assim por diante - então Handa acaba sendo o escolhido para lidar com essa criatura.

Quando Handa vai à casa de Akane, se depara com o sujeito com cara de pouco amigável da imagem ao lado. Obviamente Handa, que também não é de muitas amizades, só quer entregar a lição para o delinquente e cair fora o mais rápido possível para não se meter em encrenca. No entanto, ao invés de simplesmente deixá-lo ir, o sujeito começa a contar sua vida para Handa.

Akane Tsutsui é aquele estereótipo do sujeito que sofreu tanto bullying na escola que resolveu se tornar bombadinho para quebrar a cara dos inimigos. Ele tinha uma aparência feminina que fazia os garotos quererem bater nele (ou ficar com ele - nunca sabemos) e aparentemente as garotas também o odiavam por roubar seus namorados. Um belo dia, quando estava fechado em seu quarto vendo TV, viu uma propaganda de um aparelho esquisito que prometia deixá-lo musculoso. Comprou, e mudou de vida (haja Tekpix): ficou bombado, cortou o cabelo que nem delinquente e começou a bater nos moleques. E como não via mais necessidade de ir à escola, simplesmente parou.

Handa faz aquela cara de "cool story bro" para o sujeito desconhecido que tenta se mostrar para ele, e tenta mais uma vez entregar a lição e ir embora. Para sua infelicidade, nesse momento outros delinquentes chegam para brigar com Tsutsui.

Nesse momento, Handa acena com a cabeça para Tsutsui - um aceno que significa "pega essa lição e vou cair fora" - mas Tsutsui simplesmente não entende a mensagem, e fica convencido de que ela significa "voou lutar com você e não vou te abandonar". Enquanto Handa sai andando e vai embora, Tsutsui, de costas, agradece-o em seu coração, prometendo que nunca vai se esquecer da brotheragem de Handa... Só mais um dia na vida de Handa. Sucede que, quando Handa vai indo embora, um dos delinquentes o para e pergunta se ele é amigo de Tsutsui.

O problema é que o infeliz delinquente o parou puxando seus equipamentos de caligrafia. Com isso, Handa bate na mão dele, olha com o pior olhar de "vou te quebrar na saída". Achei engraçadíssimo como no momento em que o delinquente toca nos instrumentos do Handa, todo o medo dele de ser chamado para a briga some e ele manda aquele olhar de "vou te matar". ^_^; Enfim, o delinquente pensa em seguí-lo; no entanto, logo o reconhecem como "o popular Handa" e as fofocas começam a surgir: de que ele teria destruído vários caras, lutado contra um urso, e todo tipo de invenção esdrúxula.

Um delinquente vai passando para o outro a mensagem de que o "temível Handa" é amigo de Tsutsui, e só por isso eles resolvem sair correndo e desistem de brigar com ele. Tsutsui fica lá se perguntando se esse rapaz é mesmo tão poderoso e coisa e tal; acho que nem preciso dizer que ele entra para a força Handa, e volta até mesmo a ir para a escola para conviver com seu novo ídolo.

Menos de um terço do episódio é despendido nessa história, mas eu achei a história bem engraçada, se mal desenvolvida. O Handa chega, o cara conta a história dele, que é bem engraçada, mas aí uns delinquentes chegam do nada e...? Eles literalmente chegaram do nada, tudo pareceu meio apressado, como se uma parte da piada estivesse faltando. Fora isso, a fama até em outras escolas do quão temível é Handa é ótima, então admito que ri com a piada geral.

Depois, é a vez de sermos apresentados a Yukio Kondou. Yukio é um rapaz que sofre daquela "síndrome de personagem normal", sabe? Aquela "normopatia de anime"? Aquele personagem que diz "eu sou tão normal, não sou popular, nem odiado, nem feio, nem bonito", etc., e que podia facilmente ser um protagonista de harém genérico? Este é Yukio. Yukio se orgulha de ser extremamente normal, e faz de tudo para parecer normal sempre. E por que Yukio faz parte da força Handa, afinal?

Porque um belo dia ele não tinha como ficar no grupo dos seus amigos normais para um trabalho em grupo, e foi parar no chamado grupo de "Handa-otakus", vulgo "força Handa", que é o grupo em que estão Tsutsui, Aizawa, Reo e Handa. Ele obviamente não ficou nada feliz de ter sido jogado no grupo com as pessoas mais estranhas da sala, e ele até faz um esforço para tentar vê-los como mais normais do que eles realmente são, mas é infrutífero: A força Handa é simplesmente bizarra. Aizawa e Handa ficam disputando para ver quem vai ser o líder do grupo - apesar de Handa obviamente não ter nenhum interesse - enquanto Reo faz uma salada puramente aesthetics e Tsutsui arruma brigas com seu jeito ogro. Não importa como você tente ver, todos são bizarros.

O único normal é Yukio, que ao ver a situação toda, começa a achar que o "temível líder Handa" nem é tão temível assim e, pasme, talvez seja o mais normal do grupo. Algo que nem todo mundo de fora consegue perceber, mas ele e sua normalidade percebem na hora. Handa de fato está longe de ser perfeito, encarnação de Sakamoto. Aliás, um dos defeitos dele é justamente não saber cozinhar... e é assim que, enquanto os integrantes bizarros da Handa force estavam discutindo entre eles, Handa vai tentar agilizar o processo e acaba colocando fogo na cozinha da escola.

No fim das contas, todo mundo acha que ele estava fazendo um flambé, afinal Handa tem que ter habilidades culinárias excepcionais, e as únicas pessoas que provam o resultado do acidente culinário são os fãs do Handa, dizendo que está maravilhoso - obviamente forçando muito para dizerem isso - e jurando que ele criou aquele incêndio todo para chamar atenção, só para fazê-los pararem de brigar. Enquanto isso, Yukio prefere não contrariar o bando de malucos, e Handa, do lado de fora e escondido de todos, tenta comer um pudim em paz... mas acaba derrubando-o no chão.

Por fim, a terceira historinha no episódio 3 é com ninguém menos que Kawafuji! Ele que só tinha feito pequenas aparições até esse momento do anime finalmente aparece um pouco mais no final desse episódio. Quem que assistiu Barakamon [resenha] não se lembra do Kawafuji? Aquele "amigo da cidade" do Handa, que tem cabelo loiro, um monte de tatuagens, fuma, e é basicamente a imagem contrária à imagem certinha do Handa. No colégio, Kawafuji ainda não tinha as tatuagens, era um pouco menos rebelde, e segundo Handa era popular e "que sorte dele ter um amigo como Kawafuji"... mas logo vemos que não era bem assim. Sabe aquela relação bonita de "sanguessuga e sua presa" que vemos em Barakamon? Descobrimos em Handa-kun que a relação dos dois sempre foi assim.

Essa terceira parte do episódio começa com Handa se encontrando com Kawafuji na saída da escola. Ele se aproxima de Kawafuji tentando ser ainda mais invisível que o normal, de um jeito meio "espero que ninguém me veja com você", e pede para andarem logo. Kawafuji simplesmente vai na onda de Handa, como ele parece fazer sempre, e sempre que aparece alguém da escola ou outra pessoa conhecida, Handa se esconde. O motivo: Handa acha que Kawafuji não deve ser visto com ele, pois caso contrário a boa imagem do amigo será arruinada. Ele simplesmente se vê como esse nível de escória da sociedade escolar. É por isso que Handa nunca fala com Kawafuji quando está na escola, e é por isso que Kawafuji e Handa tem essa amizade às escondidas durante toda a época de escola.

Kawafuji fica confuso, mas continua simplesmente aceitando Handa com suas extravagâncias. E nisso se resume o relacionamento deles: Kawafuji aceita as ideias insanas de Handa, e eles se dão bem. Enfim, eles continuam andando com Handa se escondendo literalmente todo minuto, porque todo minuto passa alguém conhecido. É só quando Handa chega a ficar preso em um vão entre uma parede e uma lixeira que Kawafuji questiona por que raios ele tem que se esconder o tempo todo. E Handa insiste que é porque não quer arruinar a imagem de Kawafuji, afinal, o que fariam se descobrissem que Kawafuji é amigo de Handa?! (Resposta real: provavelmente o respeitariam e/ou o temeriam, que nem os delinquentes que achavam que Tsutsui era amigo do Handa...?)

Kawafuji aprecia essa preocupação, de qualquer forma, e os dois acabam indo comer em uma lanchonete. Nem mesmo no estabelecimento Handa está a salvo, já que uma estudante aparece assim que eles chegam. Handa se esconde rapidamente, e ela conta um rumor de que ele estaria vendendo suas caligrafias lá na lanchonete, mas Kawafuji logo diz que isso não é a cara dele. A estudante simplesmente concorda e vai embora, mas Handa fica se martirizando por ter pessoas criando esse tipo de história sobre ele e por saberem que ele e Kawafuji são amigos. Kawafuji insiste que não tem nenhum problema em saberem que são amigos - numa cena com muitos rostos corados e brilhos nos olhos à la BL. E então Handa promete para si mesmo, no seu coração, pelo seu único amigo, que... vai continuar se esforçando ao máximo para que ninguém saiba que eles são amigos.

E nisso se resume a grande piada de Handa-kun: o quão distante da realidade comum o ser humano pode ser?

Enquanto Handa promete que irá proteger Kawafuji e fica se preocupando com basicamente tudo, começamos a acompanhar o monólogo interno de como Kawafuji o conheceu, em que Kawafuji admite que ele é o culpado por Handa ter essa personalidade paranóica e medrosa.

Na cerimônia de entrada do segundo ciclo do ensino fundamental, Kawafuji se aproximou de Handa por saber que ele era filho de um famoso calígrafo, e então eles viraram amiguinhos por causa de caligrafia. Em nota: Handa ainda era amigável naquela época, mas já era cheio de manias e aparentemente só sabia falar sobre caligrafia. Um dia, porém, uma veterana bela e popular que Kawafuji admirava chegou nele e... pediu para que ele entregasse uma carta para o Handa. Como Kawafuji ficou chocado de ser usado como um intermediário apesar da sua popularidade, ele decidiu inventar uma mentira para Handa: a de que a veterana estaria espalhando para todo mundo que ele era um "calígrafo narcisista cara de pincel".

Segundo Kawafuji, desse momento em diante o puro Handa fechou seu coração. Em choque por ter uma veterana popular maldizendo-o, ele se isolou pelo resto da vida escolar. Kawafuji tentou retirar o que disse, mas era tarde: a barreira Handa já estava em processo de formação. E foi assim que Handa começou a acreditar que ele era perseguido por todos e tinha uma má fama.

Em algum momento Kawafuji começou a se divertir com as situações tanto quanto o espectador médio de Handa-kun, e resolveu deixar o coitado morrendo de ansiedade pelo resto da vida mesmo.

E foi assim que Kawafuji ganhou o prêmio de babaca do ano, senhoras e senhores. Eu só... lamento muito por você, Handa.

Acho que a essa altura do anime já deu para identificar alguns dos pontos-chave da comédia de Handa-kun. Obviamente, a comédia é muito centrada na figura do Handa, com suas manias bizarras de calígrafo excêntrico e seu medo de tudo e todos. Nesse sentido, eu diria que Handa-kun é uma mistura de Sakamoto desu ga com WataMote, mas feito de um jeito mais, digamos, realista. A comédia de Handa-kun tende a exagerar fatos totalmente possíveis de acontecer, e não chega naquele nível de vergonha alheia que essas duas séries que eu mencionei chegam. Nesse sentido, Handa-kun é como se fosse só a parte da comédia de Barakamon. Sabe a comédia discreta e realista porém hilária de Barakamon? Aquele anime em que um calígrafo jovem bate num curador velhinho e é isolado em uma área rural para pensar sobre o que fez? É esse tipo de comédia que temos em Handa-kun, mas sendo uma série de comédia enquanto Barakamon é um slice-of-life, ela é obviamente mais exagerada.

De Aizawa, o representante de classe obsessivo, passando por Reo, o modelo narcisista, Tsutsui, o trap-turned-yanki, até o normopata Yukio... No fim das contas, todo mundo é bizarro e excêntrico, e talvez o excêntrico Handa seja mesmo um dos garotos mais normaizinhos da escola. Kawafuji, seu único amigo, é também a única pessoa que verdadeiramente o sacaneia. Toda a comédia é baseada nessas pequenas ironias da vida bizarra de cada um - minha, sua, dos personagens. E pelo menos até o momento são boas piadas.

Talvez eu esteja sendo tendenciosa como fã de Barakamon que sou, mas até agora eu já gosto até mais de Handa-kun do que da maioria das comédias da temporada passada. Talvez as coisas estejam relacionadas, também: você tende a gostar mais de Handa-kun se você gosta de comédias que se baseiam em ironias da vida, em personagens bizarros, com ansiedade social, com problemas de comunicação, e, em geral, "comédias estranhas". Eu já comentei aqui que adoro uma boa comédia estranha e curtinha, e Handa-kun tem sido um bom equivalente de 30 minutos desse tipo de comédia, sendo que cada episódio conta umas três piadas, em média. Vale notar também que a autora de Handa-kun e Barakamon, Yoshino Satsuki, desenhou ilustrações de WataMote e Gekkan Shoujo Nozaki-kun [resenha] na época em que começou a escrever Handa-kun, muitos anos depois de Barakamon, o que me faz pensar que essas devem ter sido algumas das suas inspirações para fazer esse spin-off de comédia.



Eu achei todos os personagens da força Handa interessantes, e como muita gente que é fã de Barakamon, fiquei especialmente empolgada com a aparição do Kawafuji nesse episódio, que contribuiu para complementar o canon do universo da série, e ainda me deixou com mais vontade de rever Barakamon. É muito mágico ver essa continuidade em Handa-kun, pois ainda que pareça uma outra série, e essa outra série por si só fazer meu tipo, é ainda uma série que faz referências a uma das minhas favoritas, então como não adorar?

No mais, é difícil fazer comentários semanais de Handa-kun, porque realmente... a história são as piadas, e simplesmente não tem tanta graça ler sem o contexto inteiro, as expressões hilárias do pobre Handa e dos demais personagens, e assim por diante. Então, para sintetizar esse episódio: Kawafuji, babaca do ano, 10/10 quero ver mais. Coitado do Yukio, boa sorte para ele com essa turminha muito louca. E estou ansiosíssima para ver mais das peripécias de Handa, dos "Handa-otakus" (como a força é chamada por Yukio) e de Kawafuji!

Espero que tenham gostado desse post! Vou pensar em reduzir a frequência dos posts sobre Handa-kun para 1 a cada duas semanas, então por favor comentem aí o que acharam, se também estão gostando da série tanto quanto eu, o que mais vocês gostariam que eu comentasse nesses posts e coisa e tal. Até a próxima!~ ♡

Nenhum comentário:

Postar um comentário