domingo, 10 de julho de 2016

Evento: Anime Friends 2016 - Dia 09/07 (primeiro sábado)



Olá, gente!~

Vim aqui escrever esse post para falar um pouquinho de como foi minha experiência no Anime Friends desse ano e compartilhar minhas impressões com quem não foi! ^_^ Preciso dizer que quando eu descobri que ia ficar andando sozinha eu achei que ia ser ó, uma bosta, mas acabou sendo uma boa oportunidade de dar uma olhada melhor nas coisas pra compartilhar aqui com vocês, especialmente aqueles que não tem como ir ao evento e querem saber como é na real o "maior evento de cultura pop da América Latina" além da CCXP. (Desculpa, eu queria linkar essa página do Google porque é hilária.) Vamos lá?~


Eu escolhi ir dia 10 principalmente porque só teria como ir nesse ou no último dia, e a maioria das pessoas que eu conheço não topariam ir no último dia por ser ridiculamente lotado, mas as atrações de hoje (10) e do dia 16 me interessaram mais. Hoje teve Ribon Fashion Contest e a tão aguardada seletiva do World Cosplay Summit, com Lorelay Fox como jurada, e o especial Digimon com Takayoshi Tanimoto e Ayumi Miyazaki, dentre as atrações. Dia 16 vai ter conversa com o Joe Inoue e a cosplayer LeChat, especial de Cavaleiros do Zodíaco com a cantora Yumi Matsuzawa, e a seletiva brasileira da Yamato Cosplay Cup, dentre outras atrações pessoalmente relevantes como a Banda Marcial de Cubatão, mais K-pop Cover Challenge, e as palestras das editoras Panini que a gente linka o Facebook porque às vezes rola anúncio lá e Newpop. Mas mesmo tendo ido ontem, eu achei que teve bem mais coisas interessantes do que eu esperava e nunca fiquei sem nada para fazer. Não foi perfeito, tiveram problemas, mas pelo menos para mim foi uma experiência tranquila.

Eu cheguei na fila de caravana às 10h da manhã. O evento estava programado para começar às 10h no sábado, mas os portões só abriram às 12h, horário em que começava a programação. Supostamente o que aconteceu foi que menores de idade nesse ano terão que obter uma autorização judicial para entrar por acaso, que nem na Comic c-- e como pelo menos metade dos visitantes são menores de idade, bem. Em um determinado momento, eles começaram a chamar só os maiores de idade para entrarem, então digo que eu não tive problemas porque sei que muita gente menor de idade teve que esperar ainda mais tempo na fila. Depois teve a revista, que é sempre questionável. Revista é importante, o problema é que a) sempre tem pouca gente para fazer considerando a dimensão do evento (duas pessoas fazendo revista? Em um evento que supostamente vai receber pelo menos dez mil?), o que faz com que a revista seja apressada e simplesmente não cumpra seu propósito (não dá para entrar com uma katana de cosplay, mas com spray de pimenta dá) b) os critérios não fazem sentido. Eu acabei esquecendo no guarda-volumes meus super-ofensivos vidrinho de perfume e botton da Hanayo. A parte mais engraçada é que eu comprei o botton da Hanayo em uma sala PSParty de um evento, e adivinha se lá dentro não tinha sala PSParty vendendo bottons. Enfim, critérios.

Dito tudo isso, passada a revista, eu fui andar lá dentro. A programação do Palco Fantasy começava às 12h com a fala das meninas do SarangInGayo e do Iago Aleixo, mas eles atrasaram pelo menos meia hora por conta desses problemas, então os participantes da Yamato Cosplay Cup International, que seria às 17h30, ficaram ensaiando apresentações enquanto a equipe esperava. O problema é que, bem como eu tinha imaginado, os lugares em que a programação começaria mais tarde resolveram não atrasar a programação, então eu acabei não conseguindo ver muitas das atrações que eu queria por conta disso, e como eu muita gente. Por exemplo, a segunda fala no palco, do cosplayer Liui Aquino, que estava programada para as 13h, começou depois de 13h30, quando a fala do pessoal do Portal Genkidama, programada para o mesmo horário, já estava terminando.

Eu fiquei no Palco Fantasy para ver a fala do pessoal sobre K-pop, e foi muito mais divertida do que eu esperava. Eles contaram algumas coisas hilárias que aconteceram no backstage com grupos como BTS (que eu já recomendei aqui!) e Cross Gene nas suas vindas para o Brasil (e boatos de que Cross Gene quer voltar!), o Iago falou sobre o Henry Lau (que eu também já recomendei aqui), e em geral foi uma fala muito divertida! Nesse meio tempo entre uma atração e outra, que durou bem uns vinte minutos, fui conferir a palestra do Portal Genkidama no auditório BCC só para ver se tinha alguém que eu conhecia, confesso e notei que estava um tanto esvaziada se comparada à do ano passado. Ano passado a palestra aconteceu no último dia de evento, e o pessoal do portal estava presente em massa, então tinha muita gente assistindo.

Depois no Palco Fantasy teve a fala do Liui Aquino, que além de ter cosplays ótimos é tão amorzinho que me surpreendeu. De verdade, acho que todo mundo ficou cativado com a sua simpatia, e ele ainda andou pelo evento tirando várias fotos depois do M&G. A fala começou como um bate-papo, e logo abriram para perguntas. Ele pediu para que fizéssemos "perguntas doidas", a primeira pergunta que fizeram foi sobre yaoi, e todo mundo riu horrores. Ele contou situações embaraçosas que aconteceram com ele, o que ele acha de poder viajar pelo mundo fazendo cosplay, qual o seu cosplay favorito dentre os que ele fez, as percepções que tinha do Brasil antes de vir para cá, e até respondeu aquelas perguntas do tipo "fica comigo?". (Rolou um momento Tinder no meio do palco.) No final, tiveram alguns jogos. Para as pessoas que ganharam os jogos e aquelas que fizeram as melhores perguntas foram distribuídos prints dos seus cosplays. (Confesso que fiquei babando em um par.) 


Eu não fiquei para ver o concurso de cosplays, e fui olhar o restante do evento nessa hora. (Em nota, eu tinha toda a intenção de participar do desfile de Rahzel, mas eu resolvi usar cola quente para colar vários detalhes e então lembrei por que eu evito cola quente. Praticamente tudo soltou na fila. Não sejam eu.) Várias coisas aconteceram comigo nesse intervalo, tipo a sola do meu sapato caiu (coisas que acontecem quando você anda de um jeito errado. Não sejam eu!) e eu tive que trocar de roupa, porque cosplayer prevenida sempre tem um segundo cosplay na mochila (mentira, eu ia tirar fotos com a Patty mas não rolou), e tive que passar um tempo trocando de roupa, procurando pessoas, etc. Acabei perdendo algumas atrações interessantes, como a palestra da JBC (que distribuiu AnoHana, ouvi dizer) e o K-Pop Cover Challenge, que aconteceram por volta das 16h, por conta disso.


Por volta das 17h30, eu e o Bellan do Suco de Mangá (que está com uma cobertura ótima do evento todo no Instagram, vão conferir! ^_-) fomos conferir a Yamato Cosplay Cup International. Acabamos perdendo o começo da atração por conta de problemas técnicos - eles realmente não deixavam entrar na parte da frente quem estava sem o crachá de imprensa, mesmo que estivesse com a pulseira. Eu não fui como imprensa, mas o Bellan sim. Como ele não tinha conseguido pegar crachá porque a pessoa responsável não estava no local quando ele chegou, tivemos que voltar para a entrada do evento para pedi-lo, e só depois disso conseguimos conferir a atração. Infelizmente para mim a maioria dos cosplays não eram de anime ou mangá, mas sim de séries, filmes e animações ocidentais, como Vikings e Moulin Rouge, além de jogos como World of Warcraft. Deu para perceber claramente que os cosplays de Cavaleiros do Zodíaco foram os mais ovacionados, então acho que não fui só eu que fiquei meio decepcionada. Por outro lado todos os cosplays estavam realmente muito bonitos e dignos, e vários efeitos do palco foram usados, então o espetáculo foi muito bom. A apresentação dos cosplayers em vídeo também é muito interessante e útil, mas infelizmente sujeita a problemas - por exemplo, quando o cosplayer de Kid Icarus (que não lembro de que país era, na real) teve que atrasar sua apresentação, a ordem do vídeo teve que ser desconsiderada.

Às 18h30, enquanto ainda estava acontecendo a Yamato Cosplay Cup International, começou o show especial de Dragon Ball. Com a participação dos músicos japoneses Yuuya AsaokaHiroki Takahashi e Takayoshi Tanimoto, e dos brasileiros Ricardo Cruz e Ricardo Fábio (simpaticissimo!), o show foi simplesmente maravilhoso. Sério. Eu não estava dando absolutamente nada para esse show, mas me impressionou. Eu já comentei aqui que fui uma dessas crianças que cresceu gostando muito de Dragon Ball, então eu fiquei muito mais contagiada com a empolgação do pessoal do que eu esperava, mesmo não ligando tanto para a série hoje em dia. Já tem esse vídeo no youtube, que não é meu, para quem quiser conferir um pedacinho.

Depois, teve ainda o show da banda Sambomaster, que começou antes do horário previsto. Eu queria deixar aqui meu forte abraço para a moça da staff que fez a introdução deles, porque ela ensaiou falar alguma coisa sobre o lixo de hotzone que eu comentei aqui quando comprei pro show do FLOW, mas deixou quieto. Para quem não sabe, a hotzone não te dá mais do que o direito de ficar em pé na parte da frente da grade, que é exatamente o mesmo direito que a imprensa toda tem. E se o pessoal da imprensa se espremer na sua frente com suas câmeras enormes, e você for uma pessoa baixinha que não consegue enxergar nada, bem, azar o seu. Minha experiência comprando hotzone foi muito ruim, como vocês podem conferir nesse post que eu linkei, então da minha parte nunca mais. Como o show do Sambomaster também foi consideravelmente mais vazio que o primeiro show do FLOW, eu acabei conseguindo ficar na frente e ver até melhor do que quando comprei hotzone.

Enfim, dito isso, vamos falar do show do Sambomaster! Vou começar meus comentários deixando claro que eu tenho esse problema sério com Sambomaster que é "a única música deles que eu gosto a ponto de conhecer a letra inteira é uma que eles nunca vão tocar no Brasil porque é de josei", e como esperado, eles não incluíram no setlist do Ressaca Friends e nem nesse. É porque a música é ruim? Não. É porque ninguém gosta? Não. É porque é de josei. Fiquei bolada, até porque os únicos "fãs loucos" de Sambomaster que eu conheço conheceram eles justamente por causa de Kuragehime. Então se eu for tendenciosa pro mal aqui, me desculpem. Eu queria me empolgar, mas a amargura era forte, especialmente porque eles preencheram o setlist com uma ou duas músicas que ninguém conhecia.

Enfim, como esperado, as músicas que mais empolgaram o pessoal foram as músicas de Bleach e de Naruto, de longe, e teve encore. Sekai wa Sore wo Ai to Yobun Daze, música popular que figurou em séries como Densha Otoko e Hataraki Man ("que é isso?" "é um josei"), não empolgou tanto a maioria do pessoal quanto Seishun Kyousoukyoku, 5ª abertura de Naruto, ou Kimi wo Mamotte Kimi wo Aishite, 19º encerramento de Bleach, ou ainda Hikari no Rock, do segundo filme de Bleach. Claro que Kimi no Kirei ni Kizuite Okure também teria empolgado, mas preferiram não toc.. enfim. Foi um show definitivamente muito bom, mas fica aí minha queixa.



No mais, sinto que eles são músicos excelentes e muito empolgantes, mas que não tem exatamente aquele portifolio que empolga todas as tribos em um Anime Friends. Como fez o colega na comunidade do Facebook, queria deixar aqui umas ideias pra Yamato: já pensaram em um UVERworld, um Ling Tosite Sigure/TK, um Asian Kung-Fu Generation no palco do Anime Friends? Ou até um Nightmare [comentários], um OLDCODEX, um amazarashi, um TM Revolution, um Aqua Timez, um Daisuke AsakuraPensa aí. (Eu já consigo imaginar meu calcanhar quebrado de tanto que eu iria pular em qualquer um desses shows.)

Para falar então dos espaços temáticos, nada muito diferente, mas eu achei o espaço do grupo SSAi muito bem montado esse ano. Tinham fanarts muito bonitos a mostra, e você podia fazer o seu na hora, uma decoração legal e vários jogos. O pessoal era super simpático também. Eu acabei não ficando muito por causa dos problemas na programação, mas achei muito bom. Como sempre, o espaço da PSParty também estava cheio de atrações, que eu não conferi porque ele é invariavelmente lotado. Como esperado, no espaço Kpopst na maior parte do tempo tinham pessoas ensaiando para o K-Pop Cover Challenge. E supostamente também teve coisa interessante no espaço Lolita Teaparty, como palestras e workshop de maquiagem, mas não consegui conferir nos horários em que eu passei por lá.


Uma outra coisa que me surpreendeu foi a quantidade de lugares para tirar fotos nesse dia. Eu não cheguei a conferir todos, mas sei que, além dos espaços temáticos da Cosplay Brasil e da Otaku Company (obrigada por aprenderem como não ser excludente!) também teve espaço de fotos no estande da Cosgamersbrasil. Sei que na área Webpop Festival e no vestiário atrás do Palco Fantasy tinham mais alguns, mas não sei se esses eram gratuitos e não cheguei a perguntar. O fato é que eu fui com um cosplay um tanto underground, mas tirar fotos não foi um problema como eu imaginava que seria!

Quanto aos estandes, em geral foram as mesmas lojas dos últimos anos. Eu fiquei sabendo que teve estande vendendo dakimakura, e vi uma pessoa com um dakimakura no meio do evento, mas não cheguei a encontrar o estande. Alguns estandes tinham uma localização que simplesmente dificultava serem encontrados, e aqueles com placas personalizadas se destacavam. A maioria dos estandes que eu vi eram majoritariamente de mangás ou figures, e na maioria os figures eram obviamente superfaturados. No fim das contas, eu só comprei mesmo do estande da Newpop (No. 6 e Kamisama Onegai a R$20 e R$10, respectivamente, e fiquei na vontade com Calling e Helter Skelter pelos mesmos preços! Prometo que resenho o que eu comprei!), que estava com preço mais barato que o de banca para mangás novos e que eu definitivamente não encontro nas bancas daqui, e o da Panini valia igualmente a pena, mas não tinha nada que me interessasse muito.

Eu não conferi a praça de alimentação, mas como sempre estava cheia e esse ano tinham algumas opções de coisas diferentes para comer além de Mupy como churros e dorayaki. Também não conferi os banheiros mas parecia tudo tranquilo. Crítica forte: O vestiário cosplay é pequeno. No feminino, tem uma sala ampla, e dentro dela duas salinhas maravilhosas com chave, penteadeiras, espelhões e tal, bem confortável para se trocar, e imagino que o masculino seja igual. O problema é que são duas, e se duas pessoas se trancam uma dentro de cada salinha e não saem nunca mais, azar o seu. E como todo mundo meio que se arruma na mesma hora, bem, sinto que isso vai dar muita briga nos dias mais cheios (isso se já não deu hoje na seletiva do WCS). Tem pessoas coordenando o vestiário na hora dos concursos, acho, mas não é suporte o bastante. Uma coisa que resolveria isso seria ter um espelhão na parede da sala de fora, assim quem só precisa de um espelho não precisa usar o vestiário. Outra coisa que resolveria isso seria, bem, ter algumas cabines mais simples e menores, mesmo.


Mais uma nota de utilidade pública: tem Achados e Perdidos no fundo do Campo de Marte, perto da lojinha do evento, tá? Mas ninguém lembra de avisar isso, e nem os staffs sabiam direito. Outra dica que ajudaria na organização: mais staff nas salinhas de apoio, porque foi sofrível pegar o crachá e eu não consegui pegar meus objetos ofensivos na saída. Mais staff circulando. Banheiro é sempre um negócio bem legal também. Enfim, a organização teve esses problemas de sempre causados pela mentalidade do "se vira aí" que é bem antiprofissional no mínimo, mas foi OK. Como sempre, senti falta de umas tomadas, porque todo mortal sem powerbank acaba o dia com o celular descarregado, então fica a dica para os vendedores ambulantes em 2017. Aliás, falando neles, os ambulantes - tanto na fila quanto dentro do evento, na entrada - também estavam um negócio louco. Me senti a turista chegando na Bahia, a estudante de ensino médio chegando no ENEM. Juro. 


Para terminar as notas de utilidade pública e falar um pouquinho da minha experiência pessoal, eu realmente acabei andando pelo evento de Rahzel Anadis e depois de Chie Satonaka. Foi engraçado como eu tirei foto com uma pessoa de Rahzel, e com pelo menos umas dez de Chie, sendo que meu cosplay da Chie estava bem mal acabado e eu realmente só troquei porque meu sapato quebrou. Enfim, todo mundo foi super legal e respeitoso comigo, nenhuma queixa nesse sentido. Fora a mulher que jurava que eu era menor de idade. Brincadeira, nenhuma queixa, mas achei engraçado. Preciso dizer também que eu conheci a pessoa maravilhosa que é a Laura Pyon (e ela me salvou quando meu celular estava descarregando), encontrei mais esse monte de gente maravilhosa, foi tudo OK. E torço para que a pessoa que perdeu a sua maquiagem tenha conseguido recuperá-la! m(_ _)m

Que eu lembre por enquanto foi isso, mas qualquer coisa eu edito aqui depois. Por problemas de minha bateria não aguenta muito, eu não pude tirar muitas fotos nem gravar muitos vídeos, e como não fui como imprensa também não me importei de levar câmera, mas deixei aí no post algumas das fotos e vídeos que eu consegui tirar e gravar. Espero que tenham gostado desse post! Deixem aí nos comentários se quiserem saber de algo específico, o que acharam do evento e coisa e tal! Até a próxima!~

2 comentários:

  1. Saudações


    Eventos assim são sempre bem-vindos, Chell, principalmente quando os mesmos te proporcionam o ambiente que tanto buscas.

    É bem verdade que nunca estive em um Anime Friends. Porém, segundo relatos de muitos amigos que já foram ao evento por diversas vezes, é possível aqui assegurar que o mesmo já teve uma maior representatividade. Ainda assim, é um dos grandes no meio brasileiro quanto a cultura oriental, certamente.

    Mas...
    Como assim o seu sapato quebrou, nobre? Imagino como tudo deve ter ocorrido no momento.

    No mais, parece que tu se divertiu bastante. Isto é o que realmente importa.

    Post bem digno.


    Até mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Carlílio! :)

      É verdade... Não raro falta, nesses eventos, uma organização que possibilite a todos aproveitarem da mesma forma. Muita gente acaba saindo irritada por isso, mas por sorte minha experiência naquele dia foi boa.

      Mesmo? Poxa! Eu também fui em bem poucos, na verdade, mesmo morando em SP. É como qualquer evento de anime, mas em maior escala, então não tem nada novo... eu só comecei a ir mesmo quando começaram a vir convidados internacionais que eu gostava. Vale ir para ver meus artistas japoneses favoritos. :) Se você quiser saber como é, eu recomendo também as coberturas no Youtube! (Eu sempre quis saber como era uma Animecon, e fui descobrir vendo videos no Youtube. rs)

      A sola simplesmente soltou. Eu continuei andando e senti algo diferente... quando fui ver, minha sola tinha ficado pelo caminho. :P Coisas misteriosas que acontecem quando se é cosplayer!

      Muito obrigada pelo elogio, pela visita e pelo comentário, Carlílio! ^_^

      Até mais!

      Excluir