quarta-feira, 29 de julho de 2015

Divulgação: Podcast de Free! do Portal Tanaka (com participação especial da que vos escreve)!


Olá, gente! Como estão vocês?

Venho aqui hoje pra não dizerem que sumi e divulgar rapidamente um podcast de Free! do qual eu participei; Free! que é, por vez, uma obra que eu realmente gosto, como quem acompanha esse blog bem sabe (afinal, eu fiz posts semanais das duas temporadas aqui), mas até hoje não escrevi sobre e sim, esse é um post que eu estou devendo muito.

Eu tenho essa mania de defender coisas pouco populares que eu considero subestimadas. Ou se não "Pouco populares", apenas que eu considero subestimadas. Já fiz escrito em defesa de Samurai Flamenco, Hatenkou Yuugi... Na verdade, coisas que eu gosto em geral são tidas como coisas idiotas e não apreciadas no seu devido tempo, e nisso a gente se acostuma a ser advogada das coisas. E eu realmente considero Free! uma obra muito boa e digna de apreciação geral, e uma série ótima independentemente do fanservice. Afinal, anime de harém lixo move fortunas também. Mas eu acho que Free! tem mais que fanservice pra contar, e eu sempre quis uma oportunidade pra defender isso.

Um dia, há bastante tempo, me recordo que decidi procurar sobre a série no AnimeNano. É claro que o AnimeNano não é o melhor lugar do mundo pra se procurar impressões de Free!, sendo um lugar onde Free! não tem 1/10 da popularidade que tem no Tumblr, mas eu queria ver uma outra perspectiva, já que ando cercada de fãs mulheres assumidamente fujoshis e que não se importam com o fato de Free! ser, essencialmente, um anime de bishounen. Lembro que me decepcionei fortemente com o número de posts raivosos sem sentido - com umas colocações no nível "fanservice feminino destrói a indústria de anime" - e fiquei com essa pergunta na cabeça: Afinal, o que outras pessoas acham de Free!? Em particular, o que homens otakus achariam de Free!, se ao menos dessem uma oportunidade pra série?

Há alguns meses, eu fui convidada a participar de um podcast do Portal Tanaka sobre as duas temporadas de Free!. Para quem não conhece, o Portal Tanaka é um portal que produz conteúdos diversos, e que propõe integrar os leitores e os pedidos do público. Um belo dia, eu fui convidada na condição de "especialista" ops? a participar desse podcast sobre como Free! é bom, e tive esse minha vontade antiga sanada, ao mesmo tempo em que pude compartilhar com pessoas queridas que são homens otakus diversas coisas a respeito de Free!, e descobrir que, ei, eu não sou uma completa iludida: Tem, sim, gente que não é da "tríade yaoi-Tumblr-bishounen" e é capaz de ver e defender os pontos bons da série. Esse cast foi super divertido, para mim, como participante, e no dia 10 de Julho, ele foi lançado no Portal Tanaka, como vocês podem conferir aqui!

Aos fãs da série, espero que gostem e confiram o bom trabalho do Portal Tanaka. Por hoje é só! No mais, lembrem-se também de escovarem os dentes participarem do sorteio de aniversário que está rolando, e até o próximo post! ♡

4 comentários:

  1. Eu adoro essa atitude de defender coisas subestimadas, acho que é preciso mais gente capaz de fazer isso, capaz de outros pontos de vista. É algo que eu tento fazer também quando tenho tempo, pretendo dar oportunidade a todo o tipo de animes com o passar dos anos, mais ou menos populares, pois acredito que todos tenham o seu ponto forte e que tenham elementos para mais de um público específico. Detesto comentários raivosos, detesto pessoas que não dão oportunidades a coisas diferentes. Custa assim tanto? E como li praticamente todos os seus posts de free desde que saiu a segunda temporada, sei como você entende e defende a série tão bem, e irei ver o podcast, sem dúvida ^^ Imagino já ter uma ideia do que esperar, e deixa-me muito feliz saber que algumas pessoas não-fujoshis concordaram com você, pois Free é bem mais do que parece, e gostei mais ainda da segunda temporada e de alguns temas que ela trabalhou a par com o fanservice. Jaa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Anilyan! ^_^ Tudo bem? Como vai?

      É verdade, concordo plenamente; às vezes é mesmo muito difícil sair da nossa caixinha. E às vezes nem é culpa nossa, eu penso; às vezes é até falta de tempo, falta de planejamento, enfim, várias coisas. Eu mesma rejeito de cara vários "animes de harém" genéricos logo no começo da temporada, mas sei que alguns acabam ficando populares e, pasme, são até bons. Então, é normal ser seletivo, mas o ruim mesmo é quando as pessoas começam a falar bosta sem sequer saberem do que se trata - e isso acontece muito com Free! por conta da popularidade que adquiriu e coisa e tal. Também detesto essa natureza de comentários raivosos.
      No mais, confesso que minha participação no cast, mesmo, é bem pouca, pois os meninos já fizeram a maior parte da defesa para mim. ^_^; Isso é bem legal, na verdade! Eles também zoam bastante, mas é legal ver da perspectiva de outras pessoas que não são necessariamente fãs desses "animes de bishounen", o que eles acham de Free!. Também acho Free! muito bom, em especial a segunda temporada, como bem sabe, que me inspirou de verdade num nível pessoal, então espero que esse tipo de podcast convença mais pessoas a darem uma chance, né? (◠‿◠✿)

      Como sempre, Anilyan, muito obrigada pela visita e pelo comentário, e até mais! ♡

      Excluir
  2. Só queria aproveitar e relatar minha experiência com Free. O fanservice é divertido, pois é tão ridiculamente exagerado. Pelo menos não precisam ficar colocando personagens submissos ou esses arquétipos desagradáveis dos haréns (os arquétipos de Free me parecem menos "negativos" sabe)). Talvez por ter abusado dos animes pra garotos adolescentes este me pareceu mais interessante. Infelizmente parei no penúltimo ep da 1ªtemporada porque simplesmente não me senti envolvido na trama e de repente perdeu a graça pra mim. Mas continuo achando ótimo o encerramento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! :) Muito obrigada!

      Exato, o fanservice é ridiculamente exagerado; a Gou fica fazendo caras e bocas pra músculos brilhando, tudo é incrivelmente escrachado e poderia ser ofensivo se não fosse, bem, delicioso e cheio de bishounen. lol. Que bom que você curtiu, também! Realmente, a trama não é o forte, mas eu achei a segunda temporada bem melhor nesse aspecto - bem mais envolvente e com questões fáceis de se identificar. :) (Não digo "recomendo", mas eu realmente entendo o que você quer dizer, hahah.)
      E concordo - nada como balada gay no Taj Mahal.

      Enfim, muito obrigada pela visita e pelo comentário! ♡

      Excluir