segunda-feira, 1 de junho de 2015

Mangá: Subarashii Sekai - Rápido como um Coelho, de Inio Asano



 Olá! Hoje eu venho aqui para trazer uma resenha bem breve de um capítulo de um mangá de Inio Asano, a pedido do Leonardo Bonkoski do Portal Tanaka (que, em nota, eu recomendo muito porque, sério, que outro portal tem uma visão psicanalítica de Boku no Pico?). Ele propôs que nós, membros de um certo grupo de anime do Facebook, comentássemos oneshots do Inio Asano - autor do popular Solanin, para quem não conhece, o qual eu mesma nunca li mais que algumas páginas - e o primeiro escolhido foi o oneshot Rápido como um Coelho, primeiro capítulo da compilação Subarashii Sekai.


Com 19 páginas, Rápido como um Coelho conta a história de "[...] uma frágil e delicada jovem senhorita" de 23 anos, que mora em um quarto em Tóquio...


 A senhorita, Toga, ou Togawa, é uma estudante universitária, que pelo seu exterior podemos descrever como uma tomboy. Com roupas e cabelo despojados, a jovem moça passa seus dias despreocupadamente em um apartamento... sem dinheiro para ir para nenhum outro lugar, aparentemente sem emprego, e definitivamente sem um curso universitário, do qual ela saiu e não teve coragem de voltar atrás depois de contar pros seus amigos que iria sair! Os amigos, aliás, não ligam; ela resolve sair no meio da faculdade, cansada porque todas as pessoas decidem contar seus problemas para ela, e ninguém realmente pede para ela voltar atrás na sua decisão.

Isso a deixa desapontada. A atitude dos outros, aliás, em muito a deixa desapontada - as pessoas mudam! E são diferentes! - e ela meio que passa seus dias reclamando, aparentemente. Ela tocava em uma banda, da qual também saiu. Passa seus dias perguntando "por que eu?" para as coisas, tem inveja da sua tartaruga - que mora presa em um aquário, sempre a nadar, que vidão! - e acha que o ronin que mora ao seu lado - isto é, o rapaz que passa dia e noite estudando para entrar na faculdade - é alguma espécie de alien.
É esse tipo de vida despreocupada e desprendida que essa garota leva.


Seus sentimentos são confusos; um misto de nostalgia e egoísmo, que, convenhamos, é normal da idade? Me lembrou, nesse sentido, um pouco Honey & Clover, que é um dos meus animes favoritos e fala justamente sobre a realidade da vida universitária japonesa, sem pompa ou glamour; a própria arte do Asano, com rostos arredondados e fofos, contribuiu para isso. E no mesmo sentido, Rápido como um Coelho é uma história de maturação, vida universitária, e descoberta de si.

A história - ou, pra ser mais exata, o desenvolvimento - resumidamente, é o seguinte: a garota tem um sonho no qual seu apê é queimado, ela perde todos os seus pertences, e a tartaruga se vira e dá um jeito de escapar do seu aquário, abandonando-a e pedindo desculpas por isso. Um tanto egocêntrico? Talvez. Errado? Não mesmo. Ela acorda do sonho, e chega à conclusão de fazer aquilo que dá na telha. Afinal, ela saíra da faculdade pensando no que os outros iriam pensar, e não se declarou pro seu amigo pelo mesmo motivo.

O amigo, por sua vez, é um rapaz que tocava com ela na banda. Ele, que usava um moicano nos velhos tempos, agora era um salaryman morando em um belo apê, com um futuro promissor... e tão cansado de tudo quanto ela. E ela chega à conclusão de que a hora é essa. A hora de dizer, ei, larga tudo e vem tocar em uma banda comigo.

E a pergunta por trás dessa história é: o que fazer, não é mesmo? Nos dias de hoje, em que pessoas são obrigadas a saírem, terem formação - terem mil formações - terem bons empregos, ganharem bem, com a economia sempre em crise e o mundo na sua crise permanente... como o jovem lida com isso tudo? Como proceder no meio de tantas escolhas, dúvidas e incertezas? "O que você vai ser quando você crescer"?

Rápido como um Coelho é um bom oneshot. Eu confesso que, no meu caso, eu me sinto meio dessensibilizada para histórias de universidade, juventude e afins, então a parte da maturação da garota não me tocou tanto. Por outro lado, como um romance, a história é especialmente bonita - eu adoro como o amigo dela dorme no colo dela, e adoro como, apesar de tudo, os sentimentos dela são puros e honestos. Dá mesmo vontade de torcer por eles. Eles são muito legais.

De resto, bem... esse não é meu oneshot favorito da compilação, mas vou deixar os comentários dos outros para depois. Por hora, só gostaria de recomendar essa coletânea, que, pelo que eu li até agora, é super sensível e com temas muito pertinentes a toda realidade humana. Vale mesmo a pena. Espero que curtam essa recomendação, e até a próxima! (◡‿◡✿)

6 comentários:

  1. CHEEEEEELLLLLLLLLLL VOCÊ TÁ VIVA \O/
    E aí, como anda o teu vidão!? Muitas novidades!? Muita pirocagem gay!? *U* (estou só pela nova temporada com Junjou Romantica <3).
    Enfim, eu não assisti Boku No Pico (mesmo que minha curiosidade esteja me matando), porém é como você disse, não é toda a página da internet que tem uma visão psicanalítica de Boku no Pico, então partiu ler o post \o/
    Enfim, sobre a OneShot, estou correndo para ler ela *u*, aliás, ou eu que não presto atenção ou então não há muitas histórias que abordem essa fase de faculdade e futuro. Tem uns mangás que abordam sobre o futuro e talls, mas geralmente na época de ensino médio, são poucos que eu li que mostram como é a vida universitária e essa história de ser independente, começar a sua própria vida e assim por diante.
    "tem inveja da sua tartaruga"....Bem, eu não tenho uma tartaruga, mas algumas vezes sinto inveja do vidão que a minha cadelinha leva (queria eu ficar deitada e comendo o dia todo!).
    Enfim, a história parece ser muito boa e sensível, aliás, estou super curiosa e ansiosa pela parte do romance, afinal falou em romance fofo, falou comigo *U*
    P.s: Até a tartaruga dela tem ar condicionado e eu mal tenho um ventilado teco-teco Ç.Ç
    Espero que esteja tudo bem por aí e que consiga aparecer mais vezes no blog *u*
    Kiss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oooi Hinata-chan! *-* E aí, tudo bem? Como a senhorita está?~ Eu estou bem, apesar de ansiosa pra terminar a faculdade e ver mais anime e tal, LOL. E não tava sabendo do novo Junjou Romantica?? Quando vai estrear isso? o:
      Ah, realmente, eu acho que tem muito mais histórias de colegial do que de faculdade - isso corresponde, aliás, ao fato de que há muito mais shounen e shoujo do que seinen e josei, pelo motivo óbvio de que no Japão as crianças e adolescentes lêem mais mangá/vêem mais anime do que os adultos, etc - e eu também gosto dessas histórias, então imagino que sinta essa falta. '-' E eu também tenho inveja da cadelinha que a minha tia tem, ela tem um vidão, amor e carne picada, de vez em quando eu me pego pensando "queria ser você" sim HAHAH. Mas bem... não é sempre... felizmente.
      E sim, a história é muito sensível. C: O romance é muito bem feito, IMO, porque ele se desenvolve de um jeito bem natural - foge daquele clichê idealizado dos shoujos, sabe? Então fica a recomendação, Hinata-chan!~
      Enfim, muito obriagda pelos bons votos, espero que esteja tudo bem também e que apareça mais vezes aqui e no seu! Sdds! (◠‿◠✿)
      Té mais!~

      Excluir
  2. Bem, a princípio é para a terceira temporada de Junjou sair nessa temporada de verão, ou seja, mês que vem! Aliás, já tem até o PV do anime: https://www.youtube.com/watch?v=LGbeO4rQsEE *U*
    Kiss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh, que interessante!! Eu não assisti as outras temporadas (..aliás, só assisti o comecinho da primeira há muitas eras), mas vou ver se consigo acompanhar essa, pelo menos! :~
      Bjs e até mais, Hinata-chan! o/

      Excluir
  3. Alguém que estava lendo esse seu artigo ou que passou por ele por qualquer razão ontem clicou no meu banner, daí ele apareceu nas estatísticas do meu blog e eu fiquei curioso. Olá! Tudo bem se eu movimentar um artigo de quase um ano atrás? =D

    Inio Asano é sempre Inio Asano. Ele sempre esmaga meu coração com qualquer história de cotidiano duro e cruel que ele escreve. O mundo é assim, ele é feio, ele é sujo, ele não se importa com ninguém, mas ei, temos que continuar, não é?

    Eu me identifico bastante com a protagonista, hahaha. Com vários personagens do autor, aliás. O maior problema deles quase sempre é comunicação. Veja, o mundo já é horrível, então se você sequer fala o que você precisa, o que você sente, ninguém vai saber, ninguém vai poder fazer nada por você!

    A Toga só queria ser mais mimada pelos seus amigos. Todo mundo quer ser um pouco querido. Ela era admirada, e isso é legal, mas não é suficiente. Os amigos dela chegavam e diziam que tinham problemas, e ela ouvia. Ela nunca fez o mesmo. Não é como se ela perguntasse a eles, não é? Mas algumas pessoas parecem que estão sempre esperando que alguém pergunte o que você está sentindo. Ela estava esperando.

    O final, o incêndio, foi o ponto de virada para ela. Foi tudo muito repentino e muito conveniente também, mas para um one-shot faz sentido. E quando ela viu o homem que amava ela não se declarou, não lamentou-se pela sua perda, não pediu abrigo, não pediu dinheiro. Só pediu que ele voltasse a ser quem ele era! Que ele voltasse a ser aquele por quem ela se apaixonou, para que ela também pudesse voltar àquela vida que ela gostava mas para a qual não se esforçava. Agora que não a tinha mais percebeu o quanto sentia falta dela. Não, não é tão clichê assim. Ela sabia que iria sentir falta desde o começo, mas cometeu um erro (de comunicação!) e não teve coragem de se corrigir. Constrangida por si mesma, tomou a pior decisão sabendo que era a pior decisão. Pessoas às vezes são burras assim.

    E agora que não tinha mais nada mesmo, por que não arriscar? Ela já havia arriscado mais cedo mesmo, e o sujeito estava dormindo de bêbado, ela quase desistiu, mas agora o que ela tinha a perder?

    Eu tenho dez anos a mais que ela, e sabe que me identifiquei muito? Às vezes me sinto sim na mesma situação. Meu blog foi criado por impulso. Adoro anime, mas não posso viver disso, como ela não podia viver de música. Mas um dia me deu cinco minutos e comprei o domínio e contratei a hospedagem. Em duas horas o blog estava no ar.

    E:

    >> Eu confesso que, no meu caso, eu me sinto meio dessensibilizada para histórias de universidade, juventude e afins, então a parte da maturação da garota não me tocou tanto.

    Eu já larguei 3 faculdades, estou cursando a quarta, que pretendo terminar mas no momento está trancada porque perdi o FIES e estou desempregado, HAHAHAHA.

    Detesto o Inio Asano. Amo o Inio Asano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fábio! Interessante, HAHAH. Claro, à vontade! ^_^

      Sim, acho que é essa a mensagem mesmo. Mas é difícil, né? O negócio do Inio Asano é que ele não esconde que "é difícil, mas a gente tem que tentar". Acho que essa sinceridade epistêmica da narrativa dele é que faz ele ser tão popular entre o pessoal jovem-adulto e tal. São histórias extremamente realistas e que falam basicamente de natureza humana, uma coisa que falta ao homem pós-moderno ao qual a gente tenta se adaptar.

      Exato, ela nunca fez o mesmo, ela não comunica seus sentimentos mais profundos pros seus amigos. Eu acho que ela é uma garota tímida muito normal, sabe? E é por isso que é fácil de se identificar. E para quem se identifica, vale a lição. Vou falar que eu aprendi uma lição muito importante lendo outro oneshot dessa coletânea, que eu só não cheguei a publicar aqui porque o pessoal do Tanaka parou com a iniciativa.

      Sim, é verdade. Confesso que não me lembro muito porque... né? Faz um ano, e como eu disse, essa história não me tocou TANTO assim porque eu li num momento pouco sensível. Mas confesso que foi a sinceridade dela que me deu vontade de torcer por ela, por eles. (E sim, as pessoas às vezes são burras assim. Rakugo Shinjuu 12 que o diga, mas depois a gente fala sobre isso. :P)

      HAHA olha, se te consola, a história que mais me tocou foi uma de uma menininha que tem uns dez anos a menos que eu, também. Sem pity party, mas Inio Asano joga umas verdades na minha cara que eu preferia não ver, HAHAH. E poxa, acho que essa história de "querer viver com uma coisa não-rentável" também é algo com que muita gente se identifica um pouco... pelo menos no meu caso, eu me identifico também. (Como sou de humanas e sagitariana, me defendo dizendo que "o cosmo que escolheu isso, não eu" LOL)

      ...e nossa, você tem muita coragem. Eu quis largar 1, nem imagino 4. :P Tô aqui suspirando de cansaço só de ler sua história, HAHA. Mas, de verdade, espero que você consiga retomar sua faculdade logo! m(_ _)m Me compadeço com a sua dor.

      Eu confesso que acho Inio Asano... frequentemente pesado. Então, não é o tipo de autor que eu acordo todo dia "UHU, VOU LER MAIS INIO ASANO!", mas quando eu leio me pega forte, acho que sentimos algo parecido, hahah.

      Muito obrigada pela visita e pelo comentário! Até mais!~

      Excluir