quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Primeiras Impressões: Temporada de Outono/2014 - Fate/stay night: Unlimited Blade Works, Gugure! Kokkuri-san, Bonjour♪Koiaji Pâtisserie, Ookami Shoujo to Kuro Ouji, Grisaia no Kajitsu, Shirobako, World Trigger, Gundam: G no Reconguista, Nanatsu no Taizai, Garo: Honoo no Kokuin, Terra Formars, Cross Ange: Tenshi to Ryuu no Rondo



Demorou, mas saiu! Faz aproximadamente um mês que a Temporada de Outono (vulgo Primavera-Verão, aqui para o pessoal do hemisfério sul!) de anime começou, e desde então eu não havia terminado de postar minhas primeiras impressões das novas séries. Das que eu assisti, algumas das primeiras impressões já estão nesse post, e as demais estão saindo agora, com algum atrasado por conta de problemas técnicos - está realmente ruim escrever assim. (*´д`*)  Desculpa mesmo!! Pra quem eventualmente ainda não conseguiu escolher o que assistir, espero que o post seja útil!

Como sempre, convido-os a postarem nos comentários o que acharam, se concordam ou discordam, e claro, o que vocês tem acompanhado da temporada! Até mais!






Fate/stay night: Unlimited Blade Works
Número de episódios: ?
Gêneros: Ação, Fantasia, Magia, Shounen, Sobrenatural

Não é interessante quando você vai ver uma coisa que você já ouviu falar muito, e tem determinadas expectativas, e essa coisa se mostra completamente diferente daquilo que você esperava? Pois bem, esse foi o meu caso com Fate. Já tive muitos amigos, fãs do jogo, que falavam muito dele, mas nunca tive contato "em primeira mão" com a série, digamos assim, porque não conseguia jogar no meu computador, e dizem os fãs que as outras adaptações são péssimas. Assim, como já disse no post de primeiras impressões, essa foi a oportunidade que eu encontrei de conhecer melhor este universo, e não é que eu adorei?
Não, eu não estava esperando adorar. Sim, o ritmo está um pouco lento. Mas o visual está bem bonito - apesar de, bem, fiel ao character design do jogo, que dá pra se argumentar que não é tão bonito assim - e quanto à história em si, estou curtindo. Bastante mistério e reviravoltas definem. É um dos que estou acompanhando nesta temporada, e curtindo.


Gugure! Kokkuri-san
Número de episódios: 12
Gêneros: Comédia, Romance, Shounen, Sobrenatural

Guggure Kokkuri-san foi provavelmente o título da temporada que mais me surpreendeu. Eu esperava ser tão, mas tão mediano que não ia sequer me dar ao trabalho de assistir, mas, no fim das contas, me diverti demais com essa estréia!
A premissa é: Tem a protagonista, Kohina, que é uma jovem garotinha meio esquisita, daquelas que provavelmente são chamadas de Sadako na escola. Um dia, participando de uma dessas brincadeiras sobrenaturais que crianças participam, ela acaba invocando o tal do Kokkuri-san, que é um demônio-raposa que foi um deus no passado (qualquer semelhança com Noragami (resenha) é mera coincidência...?) meio que por acidente. Vendo o estado dessa garotinha, Kokkuri-san acaba se afeiçoando a ela e ficando por ali mesmo, junto com ela. Pelo primeiro episódio, Gugure! Kokkuri-san tem um lado Slice of Life, mas pela lista de gêneros dá a entender que ele pode se desenvolver de outra forma. Não sei dizer mais porque ainda não assisti aos outros episódios que já saíram, mas seja como for, essa estréia realmente me interessou e pretendo continuar a assistir!


Bonjour♪Koiaji Pâtisserie
Número de episódios: 24
Gêneros: Harém Reverso, Romance, Slice of Life, Shoujo

Eu abri esse episódio esperando algo bem "harém reverso clichê e tosco", e o que eu encontrei foi algo muito mais puxado pra um shoujo típico. O anime começa com um grupo de garotas ricas praticando bullying com uma mais pobre, que é a protagonista, e aparenta ter muitas garotas no elenco (e uma diretora com uma voz linda cuja seiyuu ainda não descobri, aliás). Além dessas tais inimigas, a protagonista também tem amigas, e está estudando pra ser confeiteira ou algo do tipo, então o anime tem uma história de fundo de verdade, o que é legal.
Três dos quatro bishounen do "harém reverso" só aparecem no final do episódio, e ficamos sabendo pela amiga da protagonista que eles são instrutores de confeitaria, e que é proibido romance com eles claro, sempre é. Assim começa Bonjour♪Koiaji Pâtisserie (posso ser brega e colocar simbolozinhos? Posso?!) que tem visuais tão fofinhos quanto o título. Os character designs me cativaram bastante, pessoalmente. Eu curti, e pretendo acompanhar; Com episódios de 6 minutos, não deve ser muito difícil.


Número de episódios: 12
Gêneros: Comédia, Escolar, Shoujo

E pra falar de algo mais leve, aqui temos uma estréia engraçadinha! Esse é um shoujo escolar em que a garota protagonista tem amigos falsos - nada incomum, certo? - mas a parte interessante é que, bem, ela é igualmente falsa. Ao contrário de muitos shoujos populares, ela não é uma pessoa lerda e ética nos seus relacionamentos, digamos. Ela é sagaz, bonitinha, mas mentirosa, e acaba arranjando umas amigas falsas e um namorado mais falso ainda, e se metendo em problemas por conta disso, é essa sua história. Eu, que sou uma pessoa lerda na vida, confesso que não me identifico muito com a protagonista - ao contrário, bem, da maioria das protagonistas de shoujo - então isso é algo que atiça minha curiosidade em relação à série.
A produção aparenta ser OK, e em geral - apesar de, bem, algumas questões éticas que eu tenho com a história, que não é lá muito correta e muito menos feminista até o momento... - parece que vai ser divertidinho. O estilo, mais voltado pra comédia e um romance pautado em confusões e segredos, me lembrou um pouco Maid-sama. O protagonista, Ouji, também parece ser até um cara legal, então eu estou ansiosa pra ver como os relacionamentos dessa série vão se desenvolver.


Número de episódios: 13
Gêneros: Drama, Escolar, Harém, Psicológico, Romance

Grisaia tem muito, muito cara de eroge. E afinal, é um anime baseado em um eroge. Desde o primeiro minuto do episódio, o character design um tanto genérico - e com um aspecto até antigo, apesar do jogo ser de 2011 - e a maneira linear e expositiva pela qual os personagens são apresentados (os 6 únicos estudantes de uma escola, 5 dos quais são garotas, claro) deixa clara essa origem. Grisaia é cheio dos clichês do seu nicho, desde tsunderes loiras até uniformes de maid inexplicáveis, e visualmente falando, acho que o único fato que quebra um pouco essa monotonia do "tudo como é feito há pelo menos 10 anos na indústria dos animes baseados em Visual Novels" é o de ter partes em CG. O que, convenhamos, também não é um super feito.
"Certo, tudo é terrivelmente clichê. Mas e aí, qual é a boa de Grisaia?" A boa é que desde o primeiro momento, Grisaia também dá pistas de que pode não ser "um eroge qualquer", mas sim um School Days (resenha) da vida. Ao mesmo tempo em que tudo é muito clichê, tudo é muito estranho: A tsundere se reconhece como tal, a bonitona sabe abrir cadeados, o protagonista zoa as garotas, e o final do episódio, cheio dos gore, conclui essa vibe do "o que raios eu estou vendo?". Confesso: Curti a estréia de Grisaia. Tem potencial pra ser um exemplo de "desconstrução do gênero Anime-de-Eroge", e isso é algo que eu quero conferir se sobrar um tempo.


Número de episódios: 24
Gêneros: Comédia
 
Aparentemente, comentários sobre o inside da indústria dos animes estão em alta nessa temporada... ou período histórico. Além de Danna ga Nani wo Itteiru ka Wakaranai Ken (impressões), que é basicamente aquela cópia de Kantoku Fuyuki Todoki, também temos Shirobako nessa temporada, que tem uma pegada bastante diferente - muito mais séria, apesar de não ser pesada. É um slice of life coloridinho, cheio de meninas moe, e se tem alguma crítica mais desenvolvida à indústria, é imperceptível por esse primeiro episódio. Também não é um Shounen Hollywood (resenha) de criticas sutis, aliás, pelo contrário. As poucas criticas que Shirabako contém são bem diretas, diretas até demais, e soam quase como um desabafo da equipe de produção. Então, por um lado parece ser um anime engraçadinho e bem-produzido, mas por outro, a quarta parede ficou meio - muito - embaçada, desconfortavelmente embaçada.
De qualquer forma, eu curti, e foi uma grande surpresa pra mim, que tinha pouquíssimas expectativas para esta série. Como um "slice of life fofinho", é uma boa produção, e pretendo continuar assistindo se tiver um tempo.


Número de episódios: ?
Gêneros: Ação, Escolar, Espacial, Sci-Fi, Shounen, Sobrenatural

World Trigger é um título que, de certa forma, me surpreendeu. Eu tinha poucas expectativas pra ele, e
no fim das contas, apesar da animação pifia esperada da Toei, até curti a premissa. No primeiro episódio, temos um garoto "alien" (ou, na terminologia do anime, "Neighbour") que surge meio que do nada, e um outro garoto que é um agente que investiga esses aliens, e começa a se perguntar se o estranho garoto de cabelo branco é ou não um deles. Claro que é, porque a gente manja desses clichês dos cabelos brancos, mas eles ainda fazem um suspense antes de revelar se sim ou se não. Enfim. Esse é um anime de ficção científica, até agora um pouco bobinho, mas eu confesso que gostei da dinâmica dos personagens; A impressão que eu tive é que, como são crianças, existem muitas coisas pra eles descobrirem, e por conseqüência o espectador também. O primeiro episódio não foi exatamente memorável, mas foi promissor, no sentido de que foi consistente e a escrita me pareceu ter potencial. Assim, não é uma prioridade, mas pretendo continuar se tiver um tempo.


Número de episódios: ?
Gêneros: Ação, Mecha, Sci-Fi, Espacial

Esse Gundam, que foi tão falado antes da sua estréia por ser "o primeiro Gundam a passar de madrugada", não podia ter mais cara de "desenho da Sessão Animada". O colorido desnecessariamente excessivo, a animação deliberadamente travada, os efeitos sonoros vindos diretamente dos anos 80... Tudo na produção desse anime é meio bizarro, e eu gosto disso, confesso. Fora a produção, no entanto, muito pouco me cativa.
O meu problema principal com esse Gundam é o mesmo que eu tenho com qualquer Gundam: eu sempre fico perdida desde o começo, acabo cansando da sensação de "acho que não estou entendendo algo importante", e eventualmente desisto de ver. Como eu disse no post de expectativas, haviam grandes chances de que GReco fosse apenas a reedição desse sentimento e, bem, aconteceu. É Gundam. Os nomes estranhos continuam ("Raraiya Monday"...?!), o haro (aqui "HAROBE") também, sim, é inegavelmente Gundam. Eu gostei do lado dos personagens, que apesar de serem em geral os mais avoados ou bobos que já vi em um anime da franquia, ainda são mais realistas do que os da maioria das séries de anime por aí. Mas, bem, não é isso que vai me fazer assistir, tendo coisas mais atraentes passando. Resumindo: acho que pode ser interessante, mas ainda não foi esse Gundam que me ganhou, não.


Número de episódios: 24
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Shounen, Sobrenatural

Eba! Mais um shounen! Eu assisti o primeiro episódio inteiro de Nanatsu no Taizai, mas se me perguntarem por que eu realmente não sei responder, porque é evidente que não faz meu tipo. Tem um garoto, e uma garota, e a garota parece super importante, e depois de acompanharmos ambos pelo primeiro episódio inteiro descobrimos que - oh! O garoto também é importante, e eles são destinados, e assim começa uma jornada, blabla. Não vou dizer que foi ruim, porque não foi; Pra um shounen, é bom - me agradou bastante a arte, a animação, as cores, a música, e por que não dizer "toda a produção"? - e o roteiro não parece tão ruim, sendo inclusive reminiscente de RPGs antigos, o que eu considero bem legal. Mas sendo sincera, não me atrai. Fico com a sensação de que já vi essa história muitas vezes, e que, portanto, não vale a pena acompanhar.


Número de episódios: ?
Gêneros: Ação, Demônios what

Garo é um anime que eu não pretendia ver, a princípio, mas acabei acrescentando à minha lista por ouvir muitas pessoas falarem bem. E a estreia de Garo realmente teve seus pontos fortes. Bom uso de CGs e uma arte um pouco diferente do padrão - sóbria, e interessante para o gênero épico, do qual Garo aparenta fazer parte - foram alguns deles. Pra falar da narrativa, foi uma estréia que nos permitiu dar uma breve olhada no que aparenta ser um universo complexo, e deixou a promessa de que grandes coisas irão acontecer. Teve desde "cenas de sexo sem cair no ridículo" até "momento Rei Leão" (vide screenshot acima) nesse estranho universo reminiscente da Idade Média européia.
No geral, eu pessoalmente achei muito hollywoodiano pro meu gosto, muito... exagerado, talvez. Mas, pelo pouco que vi, tem potencial pra ser um bom anime. Só não fez meu tipo o bastante pra querer acompanhar.


Número de episódios: 13
Gêneros: Ação, Horror, Sci-Fi, Espacial

Ah, sim, "o anime das baratas marcianas". Porque nada pode dar errado com baratas marcianas, certo? Menos ainda se você acrescentar ficção científica com muito technobabble, humanos baratas - com uma menção ao Homem Aranha, de brinde - e pilotos, planos maquiavélicos e discursos deprimentes a nível de "humanidade".
Terra Formars é essa perfeita mistura - altamente expositiva e com muita violência, diga-se de passagem - de coisas com potencial, mas, bem, "nada novo". Como minha "cota de seinen da temporada" já está preenchida com Kiseijuu (impressões), e Terra Formars não me pareceu, num primeiro momento, ser tão especial assim, esse é um título que eu vou deixar passar. Mas não posso negar que tem suas qualidades, ainda que não tenha me impressionado pessoalmente. Pros fãs de Shingeki no Kyojin (impressões) e similares, acho que tem o seu carisma...?


Número de episódios: 25
Gêneros: Ação, Mecha, Sci-Fi

E nessa nova onda dos estúdios Sunrise de fazer animes que tenham aquela cara de "seria um hit dez anos atrás!", surge seu mais novo mecha original, que é uma mistura de Cutey Honey com Gundam Seed Destiny (sério, vide comparação!). Cross Ange, como é realmente chamada a série, poderia ter algo que a redimisse desse patético destino ao qual foi fadada desde a sua concepção, como Buddy Complex (impressões), mas infelizmente não tem. Eu confesso, nem terminei de ver esse episódio - no quinto close de bunda eu já fechei e desisti de ver. Desculpa, Cross Ange, mas no meio de tanta coisa que eu quero acompanhar, você simplesmente... não é uma delas. E aquela vibe de "empoderamento feminino" que eu citei no post de expectativas? Esquece. Qualquer resquício dele se perdeu na infame cena do estupro. Pra não dizer que estou sendo 100% injusta, afinal, o que Cross Ange tem de bom? Bem, eu diria que tem dragões, pra quem gosta dessas coisas. Acho que é só isso mesmo.

4 comentários:

  1. De todos esses eu só assisti
    • Gugure! Kokkuri-san
    • Ookami Shoujo to Kuro Ouji
    Gostei bem mais de 'Ookami Shoujo to Kuro Ouji', achei um anime bem leve e gosto de assistir, estou esperando ele ser finalizado para que eu possa assisti todo de uma vez, não tenho paciência para esperar um anime curto ser lançado semanalmente. Agora não gostei de 'Gugure! Kokkuri-san' simplesmente porque achei um tanto quanto chato, mas como está bem no inicio ainda pode vir a melhorar.

    Quanto aos outros não tive tempo de ver mais nenhum, então vou esperar para que sejam finalizados, então vou assistir um por um T.T tantos animes que eu até me emociono kkkk.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Diego, como vai? ( ´ ▽ ` )ノ
      Realmente, Ookami Shoujo to Kuro Ouji foi bem legal. Acabei não acompanhando porque muita coisa me interessou, mas acho que vou assistir depois. Quanto a Gugure! Kokkuri-san... eu esperava algo bem diferente (e bem pior), então fui positivamente surpreendida, mas acho que não é lá aquelas coisas, não. Só é divertidinho e um bom passatempo. (^_^;)
      Não é? É muita coisa mesmo! Eu estou com o tempo bem apertado esse mês, então entendo o que você quer dizer, mas espero ver vários depois, pois tem vários títulos que me interessaram.
      Um abraço, e muito obrigada pela visita e pelo comentário! (*^▽^*) Até mais!~

      Excluir
  2. O único anime que tentei assistir foi Gundam, mas parei no meio do segundo episódio. Simplesmente não me cativou. Achei interessante esse seu comentário sobre a franquia.

    Embora tenha assistido 4 séries e 1 longa, admito que apenas o original e Turn A foram realmente bons pra mim. Mas meu problema com os outros (Zeta e Wing especialmente) foram os personagens sem sal ou dramáticos demais. Enfim, recomendo pelo menos os dois que gostei, embora não considere uma série tão essencial. Só quem curte mecha mesmo.

    No mais, gostei dos comentários. Té mais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Murilo, tudo bem? ( ´ ▽ ` )ノ

      Primeiramente, peço desculpas pela demora em responder! Estive super atarefada mês passado, e acabei não tendo tempo sequer de conferir os comentários, peço desculpas.
      Pois é, esse foi o problema. GReco simplesmente não me cativou, também. É uma pena, porque eu gosto de vários conceitos de Gundam (de fato, acho que tenho grandes chances de gostar da série original...) mas sempre falta aquela empolgação. Também já ouvi outras pessoas que não são tão fãs da série falando bem do Turn A, o que me deixou com vontade de conferir. Se for tentar de novo, é bem provável que eu comece por um desses.

      Muito obrigada, e mais uma vez, peço desculpas por não ter percebido o comentário antes! orz

      Excluir