quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Anime: Love Stage!! - O idol, o otaku e a sua garota mágica.


Hoje eu venho aqui para, pela primeira vez na história desse humilde blog, fazer uma resenha completa de um anime BL - vulgo "yaoi". ... Ok, talvez esse não seja um feito importante, já que não existe muito anime BL mesmo - nem yaoi, por sinal - mas vale dizer. O anime, no caso, é Love Stage!!, que terminou na semana passada... Ou na anterior... O que é tempo? e foi um bom anime... pra padrões de BL. Porque vamos admitir que não existe anime BL/yaoi bom. Existe anime BL superestimado, anime BL So Bad It's Good (meu tipo favorito, pessoalmente) e anime BL pesado, mas bom... não, não conheço. Eu confesso. Já vi vários. Não conheço. (Mas eu tenho coisas boas a falar de uns dois que eu assisti.)

Então, Love Stage também não foi assim bom... sabe? O messias que ia revolucionar o mercado dos animes BL? Não foi. Mas dessa vez, pelo menos, a "culpa" foi da história original, diferentemente de uns e outros casos (olhando pra você, DRAMAtical Murder) já que a história original de Love Stage já não era um poço de decência e profundidade. Relevando isso, no entanto, temos um BL realmente decente, levinho, e que eu recomendaria pra quem tem curiosidade de assistir um BL ou simplesmente gosta de comédias românticas felizinhas e coisa e tal.

Como eu já cheguei a postar no meu post de "Primeiras Impressões da Temporada", eu fiquei super empolgada quando Love Stage foi anunciado. Assim, corri pra ler o mangá, coisa que fiz em uma sentada. Não achei a melhor coisa do mundo, mas era divertidinho. É um yaoi sobre um otaku no meio de uma família de celebridades, que por uma série de eventos estranhos e totalmente improváveis acaba fazendo um comercial de TV com um garotinho na infância, só que vestido de mulher; Esse garotinho se apaixona pela "garotinha", e acaba virando um idol super famoso, obstinado com tudo o que deseja, e um romântico sem salvação... erm... dá pra perceber onde isso vai chegar, certo?

É claro que, digamos assim, essa história não acontece todos os dias. Há quem diga que ela até acontece vez ou outra (levando em conta que a Eiki Eiki, umas das autoras da história, é neta de um primeiro-ministro e irmã de um idol, e fujoshi - nota de curiosidade!) mas, em geral, é uma história bem fantasiosa e exagerada. E tudo OK, porque Love Stage se propõe a ser, sobretudo, uma comédia romântica. Levinha, a despeito de ser baseada em um mangá yaoi; O humor gira muito em torno da família do protagonista, Izumi, das idiotices que eles e seu amado Ryoma fazem o tempo todo, e claro, dos hábitos otakus de Izumi. O yaoi fica quase em segundo plano - apesar de ser óbvio e tema central da história, pouca coisa acontece em termos de, bem, romance, como esperado de qualquer série de anime pra TV. Apesar de o anime ser bem fiel ao mangá, ele ainda acrescenta uma ou outra cena de comédia e coisas aleatórias (em outras palavras: fillers. Mas fillers divertidos.) e em comparação, o tempo de pegação acaba parecendo ainda mais curto. Ah, mas ele existe, ao contrário de alguns títulos por aí que desagradaram os fãs da obra original.
Enfim, comédia romântica yaoi. Como eu também já disse inicialmente, uma das coisas que me deram mais hype pra esse anime foi o fato de que a artista do mangá, Taishi Zaou, também (escreveu e) desenhou Princess Princess, que foi a primeira série que flerta com BL que eu gostei, numa época em que eu nem tolerava o gênero BL. Isso porque ela trata homossexualidade com uma certa... naturalidade. Não aquele nível de naturalidade que simplesmente apaga questões de gênero e conflitos, mas aquele que ri de tudo isso e que tem uma mensagem de o amor é maior muito bonitinha pra qualquer shoujo, diga-se de passagem. Fora essa visão menos heteronormativa, os casais dela são, em geral, felizes e saudáveis, e não rola tanto aquela coisa de "casal disfuncional" tão comum em BL. Ela é até hoje uma das autoras de BL que eu mais admiro, tem uma produção extensa com mais de uma década de história, e o traço dela é bonito - especialmente se comparado aos "ukezões e semezinhos com yaoi hands" que a gente vê em outros autores populares de BL por aí. Opa. Enfim.
Resumindo, eu gosto dela. E ela tem bastantes projetos junto com a Eiki Eiki, que é a escritora principal de Love Stage, então essas características acabam borrando em Love Stage. Digo "borrando" porque ela não é a autora principal, claro, e também tem alguns clichês de yaoi em Love Stage que me irritam profundamente - o estupro sendo o caso mais sério deles, claro, sobre o qual já falei bastante aqui - mas a vibe de "comédia romântica feliz (e gay)" é bem similar a um PriPri da vida, e é um tipo de comédia que pode atrair pessoas interessadas ou não em BL. Então, pontos pro anime.

No mais... a dimensão da "vida otaku do Izumi" também é uma parte interessante do enredo. Muitas coisas acontecem na vida do Izumi, e poucas por vontade própria dele: ele tem um empresário superprotetor que não quer deixá-lo fazer nada, uma família querendo que ele entre no showbiz, um popstar loucamente apaixonado por ele, um irmão ciumento, todas essas coisas de hormônios e, no fim das contas, ele é um artista de mangá (ou aspirante a) que só queria ficar em paz com sua waifu, LalaLulu (que por sinal tem toda a doçura digna de uma garota mágica digna do título de "waifu da galera") e ganhar dinheiro vendendo suas histórias. Claro que, sendo péssimo em desenho, isso não é uma opção, e ele acaba se metendo em todas essas outras coisas; No fim das contas, ele acaba indo ler mangá yaoi pra descobrir como relacionamentos homossexuais funcionam. (Obviamente isso não dá muito certo.) Eu gosto disso tudo porque é uma parte de "identificação fácil" da série, e acaba sendo outro ponto que contribui pra ela ser interessante pra públicos mais diversos do que o "nicho das fujoshis".
E se o Izumi lhe parecer esquisito, isso é só porque você ainda não conhece criaturas como Ryoma, o tal popstar que faz tudo - t u d o - pelo seu amado, que na verdade ele só descobriu que era um amado depois de 10 anos de espera, ou Shougo, o irmão mais velho com um brother complex que tem uma banda e tá pegando o empresário da família, ou o empresário, que é basicamente um mordomo e que é mais mãe do Izumi que a mãe do Izumi, a qual só quer contracenar com o Ryoma... Ok, resumindo, todos os personagens são fascinantes de bizarros. É através de suas esquisitices cômicas - mas nunca exageradas, sabe, aquele humor que fica batendo na mesma tecla? Não é essa a ideia! - que personalidades muito fortes e instigantes vão se delineando quase que acidentalmente, e no fim das contas, se Love Stage não tem aquele elenco super-desenvolvido e marcante, tem sim um elenco muito carismático e que contribui muito pra história. 
Se tenho uma crítica a fazer em relação aos personagens e relacionamentos, é que o casal secundário (o tal do empresário e o irmão) que eu supus que apareceria mais no anime não aparece muito, e eles são um casal muito mais legal que Izumi e Ryoma na minha humilde opinião. Opiniões, opiniões. Dito isso, não posso deixar de admitir também que o romance do Izumi e do Ryoma é fofo, e foi bem-administrado no anime - eu adoro especialmente os episódios finais, em que tudo já está pacificado entre eles e eles ficam no maior love. É fofo, é agradável, 10/10.

Similarmente, como é esse elenco bizarro que comanda o enredo, o enredo é... bom. Divertidíssimo, pra falar a verdade. Pra ser bem sincera, eu só tenho a criticas as partes em que se tenta fazer um drama. Sucede que vez ou outra a série tem partes de drama, pra não virar tudo uma grande A Praça É Nossa, pra lembrar que estamos sim vendo um yaoi, e que vai ter cena de draminha sim, e que se reclamar vão ter duas. É nesses momentos que surgem cenas como a infame cena do estupro, ou quando o Izumi tem os ataques de criança mimada dele, que às vezes se prolongam por tempo demais. Ok, essa segunda parte é necessária, mas é cansativo.
 
Tecnicamente falando, Love Stage também é acima da média de um anime BL qualquer. Por questões financeiras e de divulgação óbvias, anime BL tem essa tendência de ser horrivelmente mal-produzido. Love Stage consegue ser uma exceção na medida em que, mesmo claramente não tendo valores de produção muito elevados, faz bom uso do que tem. A animação do estúdio J.C. Staff (Bakuman, Kimi to Boku., Ano Natsu de Matteru), que, como já disse, não me surpreendeu positivamente num primeiro momento, acabou se mostrando competente. Os personagens são bonitos, não tem muitos momentos QUALITY, mas por outro lado, cenários em geral são simples - muito, muito simples, por vezes - e repetitivos. É claro que, levando em conta a proposta do anime e suas limitações, privilegiar os personagens ao invés dos cenários e detalhes não é uma escolha ruim. As cores e o colorido são felizes, assim como... bem... tudo.

Em termos de som, o mesmo vale pra música, que não é muito memorável. Algumas vezes, dá até pra sentir falta da música. Aliás, o encerramento é o tipo de música que fica na cabeça, então é passável, mas a música de abertura, pessoalmente, me dá nos nervos. Por outro lado, as vozes tem algumas escolhas interessantes; Destaque para o DAIGO fazendo o Shougo - ele é o irmão cantor da Eiki Eiki, ou seja, o "Shougo da vida real", e tem uma voz peculiar que é bem "ame ou odeie"! Depois, tem o Tsubasa Yonaga (Nagisa de Free! [resenha]) fazendo o protagonista. Não menos populares são o Takuya Eguchi e o Daisuke Hirakawa (que eu pessoalmente adoro ♡). Eles conhecem o público surtado deles.

No fim das contas, como já disse e irei repetir, dentro do que se propõe e das suas potencialidades, penso que Love Stage tenha sido um anime ótimo. Pode não ser a coisa mais incrível do mundo, mas levando em conta que títulos com propostas similares como Sekaiichi Hatsukoi e Gekkan Shoujo Nozaki-kun são relativamente populares, me surpreende Love Stage não ser mais querido. De fato, o único empecilho é o rótulo de yaoi, eu acho. Mas não se deixem enganar: Apesar de ser um yaoi, Love Stage não deita e rola nos clichês do gênero. Tem um ou outro aqui e ali, mas no final, o foco é muito mais na comédia que envolve um casal de garotos (ou, na real, dois). Se é bom? Depende do seu senso de humor. Eu posso dizer que achei uma gracinha!
Como já disse no post anterior de comentários, eu ainda recomendo Love Stage pra quem gosta de coisas coloridas, divertidas, simples, sobre idols e otakus e gays bidimensionais. Em resumo: divertidas. E obviamente pra quem gosta de BL - não que essa recomendação seja necessária, já que tem tipo 3 BLs por ano, então fica aí o lembrete. ♡



2 comentários:

  1. Yoooo beleza!?
    Okss antes de tudo. alguém pode me explicar o que diabos é um BL de fato!? O que ele tem que se diferencia de um yaoi!? Tipo para mim qualquer coisa que tenha romance gay entre homens é um yaoi '-' (eu sei, uma vergonha alguém que se diz ser fujoshi não saber desses paranaues, porém sou nova nessa área e ainda estou me familiarizando com os termos '-', e a minha memória não ajuda muito Ç.Ç).
    Enfim, sobre o anime, o que mais me agradou foi o fato do Ryoma não ter virado gay da noite para o dia, foi ele ter ficado relutante em aceitar o Izumi mesmo sendo homem, foi ele bater na tecla ''ele tem o mesmo que eu entre as pernas'' kk. E assim como você, eu queria que tivessem desenvolvido a relação do shougo com o empresário/mordomo/mãe (memória fail, não me lembro do nome ç.ç), achei aqueles dois tão queridinhos *-*. A única coisa que me incomodou um pouco foi a quantidade de pegação (nunca imaginei que chegaria o dia em que eu sentisse falta de pegação num romance gay '-' ), enfim queria que tivessem se beijado e abraçado mais Ç.Ç
    Ah eu também pensei que o fato do Izumi se vestir de mulher fosse me incomodar bastante, porém achei super divertido isso, principalmente na hora em que o Ryoma descobriu que ''ela'' era na verdade ''ele''.
    Enfim, Love Stage fez a minha felicidade, com essa comédia romântica fofa, esses personagens maluquinhos e toda a ''purpurina'' em volta XD
    Adorei o post
    Kiss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ooi Hinata, e aí?~ (ノ◕ヮ◕)ノ*: ・゚✧

      Ah!! Eu acho que devia até ter falado um pouquinho sobre esses termos aqui, porque não existe um consenso em relação a eles. Acontece que no Japão eles significam uma coisa, que no ocidente teve seu significado alterado, e no Brasil ainda tem mais significados particulares, então. O termo "yaoi" - significa "YAmanashi, Ochinashi, Iminashi", que é algo como "sem clímax, sem propósito, sem sentido" - surgiu no Japão pra designar doujinshis "slash" (sabe o que é esse termo? haha), de casais H/H, tipo dos garotos de CdZ ou de TeniPuri. Mas, enquanto no Japão "BL" (Boys' Love) passou a ser usado como um termo geral pra toda obra que foca num romance H/H, nos EUA esses mangás eram publicados como "yaoi", que era um nome melhor de se usar/explicar/justificar do que "Boys' Love" (lol) e no Brasil nem se tinha sombra disso, claro. E como a gente importa coisas dos EUA, isso não podia ser diferente. Aqui também se chama tudo de yaoi com frequência - e tem o "shounen ai", também, que seria o "yaoi leve", mas esse termo já está meio morto... - mas algumas pessoas, tipo eu, usam "yaoi" pra designar aquilo que tem conteúdo pornográfico, por causa do sentido original da palavra, e "BL" pra designar essas obras de romance H/H no geral. Espero que tenha esclarecido essa parte! ^^;;

      Hahah é verdade, isso também é legal! Mas também não é como se ele tivesse rejeitado o Izumi pra sempre, como provavelmente aconteceria em um shounen e tal. Por isso digo que Love Stage não é "realista", mas pelo menos trata com "naturalidade"! E muita gente reclamou de ter pouca pegação, mas eles não podem colocar coisas explícitas em um anime pra TV, então é normal que tenha uns cortes, essas coisas costumam ficar pro DVD/BluRay, OVAs, etc...
      (P.S.: o nome do empresário é Rei, só percebi agora que eu também não disse isso em nenhum canto do post, tadinho!! (°□°))

      Como eu já tinha visto Princess Princess - que também é sobre garotos que se vestem de mulher, por acaso - e sabia que a abordagem era tranquila e divertida, eu não fiquei com medo dessa parte! Super recomendo esse outro anime também, se você também gostou de Love Stage~ o/

      Enfim, muito obrigada pela visita e pelo comentário, Hinata, e até mais!~ ♡

      Excluir