Bem vindo ao Blog Not Loli! Estamos em construção no momento! Siga-nos nas redes sociais!icones redesPesquise algum tópico: search
Parceiros parceiros

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Free! Eternal Summer 13 [Final] - E todos foram felizes para sempre.

E sobre "Free! não ser teus filme da Disney": esqueçam que eu disse isso um dia.

Ah, enfim a conclusão. Depois de 13 semanas seguidas de dor, mais dor, ragequits, amor intenso e profunda dor. Esse episódio foi maravilhoso, e um dos principais motivos pra eu dizer isso é que, depois de 13 episódios de pura tortura psicológica, ter um episódio final com uma conclusão relativamente feliz pra um anime ridiculo de nadadores que devia ser só alegrias é maravilhoso! Supimpa, até!

Pessoalmente, achei que não poderia haver final melhor - e isso é o que me preocupa um pouco. "Como assim 'preocupa'?" Vamos lá tentar entender o que aconteceu nesses 24 minutos de conciliação, nostalgia e toda uma vibe "Discovery Kids".


Pra começar, uma recordação básica: No episódio 12, Haruka e Rin foram pra Austrália. Pra quem ficou de fora por uma ou duas semanas e não soube de todas as reviravoltas que aconteceram nesse período, "como assim Austrália?" - é, isso mesmo, o país. Um dia o Rin bateu na porta do Haruka dizendo "vamos pra Austrália", porque sei lá, eles são espíritos livres; E como Haruka estava numa bad depois de brigar com Makoto, lá foi ele. E todos apostaram que isso o mudaria totalmente.
Uma desculpa bem furada pra um arco de desenvolvimento de último minuto - e acho que podemos todos concordar que o ritmo é a pior coisa dessa temporada - mas aconteceu, e não é que, no fim das contas, foi adorável?

Então, o episódio 13 começa exatamente com Rin e Haruka voltando da Austrália, e Makoto no aeroporto recepcionando-os - inclusive dando boas-vindas para o Haruka apesar de toda a briga e da situação mal-resolvida no fim do episódio 11. Makoto leva Haruka e Rin até o estádio onde os garotos de ambos os clubes tem treinado para a competição nacional, e ao se despedir de Rin, Haruka o agradece com toda uma humildade e doçura recém-descobertos. Preciso abrir um parênteses pra falar que esse novo Haruka é a coisa mais fofa, e me deixa feliz o quanto ele combina com Makoto como dois grandes causadores de diabetes ♡ -- devaneios de shipper aside, prossigamos


Rei e Nagisa, que estavam treinando, vão se encontrar com Makoto e Haruka em um jardim próximo ao local. Ambos também recepcionam Haruka, falando que ficaram preocupados, e Haruka chega a se desculpar por preocupá-los, o que é super fofo. Haruka, então, diz que tem algo que quer contar pra eles. E aí começa um monólogo sobre o que fora a grande especulação das últimas semanas: o que ele, Haruka, realmente pensa sobre nadar.

Ele diz que, até então, ele realmente só queria nadar por nadar, e temia que as competições arruinassem o sentido de nadar para ele. Haruka diz que não é como Rin, que tem sentimentos fortes pela natação, que queria estar no mundo profissional e desde sempre se esforçou pra isso; E se questionava - será que eu devo me esforçar pra ter o sonho de me tornar profissional simplesmente porque gosto de nadar? Para entrar naquele mundo em que tudo se ganha ou perde?
Eu preciso fazer uma auto-propaganda rápida aqui pra dizer que eu cantei essa bola anteriormente, aqui e também em outras redes sociais. Enquanto muitas pessoas relacionavam o drama do Haruka a "medo" ou "covardia", eu defendia que os receios do Haruka teriam mais a ver com sua visão do que é natação, que sempre foi essencialmente diferente da do Rin, e que seu desinteresse em se tornar profissional não tinha tanto a ver com "covardia" quanto com esse fato.

O Rin sempre se dedicou à idéia de natação, mesmo; Seu pai era nadador profissional, e seus afetos vem em boa parte daí. Com o Haruka, a questão é muito mais visceral; Ele nunca fez um esforço consciente - ele simplesmente tem esse talento, e se sente bem na água, como uma verdadeira criatura do mar. Talvez até por ter o Rin como parâmetro ao longo da vida, Haruka tenha percebido que a situação dele era outra, e talvez isso tenha afastado-o ainda mais do sonho de ser profissional. Eu acreditava fielmente nisso, e talvez esse tenha sido um dos momentos que mais me deixaram satisfeita com esse episódio - ver que, ei, minha visão não estava tão longe do canon afinal e as coisas não são tão dramáticas e doídas quanto poderiam ser. ♡

Então, é basicamente isso que o Haruka fala nesse momento. Ele explica que, por essa razão, ele não tinha sequer como responder às demandas dos seus amigos, afinal as questões que eles endereçavam não eram as questões que ele realmente tinha. Ele não acreditava que ele poderia ter um sonho simplesmente por querer ter um, como eles diziam. Mas então A Viagem aconteceu, expandiu a visão de mundo dele, e ele viu o que realmente queria fazer. "Eu quero nadar nesse mundo", ele diz; Que quer continuar nadando, e que pra isso, precisará se importar com tempos e competições. Os garotos, claro, ficam felizes por ele - e todo o momento é super fofo.

Enquanto isso, no clube do colégio Samezuka, Rin é recepcionado pelos seus amigos de revezamento - à exceção de Sousuke, que saiu por aí.

Mais tarde, no andar de cima do estádio, Haruka e Makoto tem - finalmente - um heart-to-heart, no qual Haruka pede desculpas por dizer coisas horríveis durante a briga deles, e Makoto pede desculpas por não ter conversado com ele sobre seus planos, e coisa e tal. Aí, Makoto começa a falar sobre seus planos reais: Sobre sentir que não combina com a natação profissional, e como não tinha nenhum plano em particular até ajudar Goro com as aulas de natação para as crianças. Ele diz que, naquele momento em que ele conseguiu - também graças à ajuda de Haruka - ajudar o Hayato e vê-lo feliz, ele também ficou feliz. Assim, o sonho que ele encontrou foi o de continuar no mundo da natação como professor, arrancando reações mistas das fãs que gostaram ou não de quando ele anunciou que iria para a Universidade de Tóquio no episódio 11. Haruka o encoraja, e tudo fica bonitinho e feliz entre eles - pro delírio das fãs outrora irritadas com HaruRinRalia.

Enquanto isso, os garotos de ambos os clubes continuam treinando. Sousuke eventualmente chega pra ajudar os garotos do Samezuka e dar as boas vindas a Rin. Nesse momento, ele fala como Rin se excedeu nessa aventura, ao que ele responde que valeu a pena, e nesse momento eles olham para os garotos do Iwatobi acenando alegremente pra eles do outro lado da quadra, o que arranca um sorriso satisfeito do Sousuke também.

À noite, os garotos do Iwatobi vão a um restaurante para comemorar. A professora Amamiya promete pagar, apesar de não dar conta do estômago louco do Nagisa; Esse é o momento em que ela percebe como Haruka está diferente, e fica feliz por ele. Aww. :) Saindo do restaurante juntos, os garotos acabam parando para olhar o mar que brilha com as luzes da noite.

Nesse momento, começa um longo "recordar é viver" dos garotos do Iwatobi, que é uma coisa quase irônica levando em consideração o tanto de protagonismo que eles não tiveram nessa temporada, a despeito dos pedidos dos fãs, mas enfim. Eles começam a relembrar eventos desde o começo da primeira temporada, quando Nagisa os levou a criarem o clube, quando Rei entrou no grupo graças à insistência do Nagisa e ao nado do Haruka e afins; Até acontecimentos dessa temporada, como o quanto o Nagisa se esforçou para se manter no clube, apesar do ultimato dos pais. Além disso, eles lembram o quanto são gratos ao Rin - Rei, pelo quanto ele o ensinou a nadar; Haruka, pelo quanto ele o ensinou sobre natação e também sobre amizade. Eles lembram o quanto treinaram juntos pro revezamento no ano anterior, e todas essas coisas felizes pra matar de nostalgia qualquer fã que acompanha desde o começo.

E no meio desse discurso feliz, Nagisa manda a seguinte mancada, dizendo que o ano que vem será ainda melhor. Começa então o momento dramático de lembrar que no ano que vem os quatro não estarão mais juntos, pra arruinar todo o clima feliz e começar uma choradeira sem precedentes, que desconserta totalmente papai e mamãe Makoto e Haruka. Ambos acabam tendo que fazer os dois pararem de chorar, lembrando que ainda haverá o revezamento final no dia seguinte.
E aí, Haruka diz que eles estarão juntos pra sempre. Awww.

Depois desse longo momento de recordações, chega enfim a parte que conclui o episódio final - o dia do último revezamento dos quatro, juntos. É interessante, aliás, como Haruka entra com a cara mais séria, pra contrastar com todas as caras apáticas ou simplesmente deprimidas que ele fez nas competições anteriores, durante sua crise existencial. Todos os garotos estão muito empolgados com o momento, e a torcida do colégio Iwatobi comparece em massa para prestigiá-los. Além disso, pudemos visualizar ainda as famílias de cada um dos quatro garotos do clube de natação do Iwatobi na arquibancada - pra nossa alegria de quem nunca viu os pais de nenhum deles antes (exceto do Makoto... talvez).
Na sequência da competição, vemos cada um dos garotos nadando e tendo visões embaixo da água. Meio que nem no episódio final da temporada anterior, só que ainda mais fumado Disney-like.

Makoto vê o céu azul que o fascinara na infância, e um golfinho, e todos nós sabemos quem golfinho representa; Nagisa vê uma orca (que representa Makoto, aliás); Rei vê pinguins (Nagisa - tão canon!); E por fim, Haruka, que vê... claro, borboletas. E seus amigos. Nossa, que brisa louca. 

Enfim, tem esse momento todo Pequena Sereia e tal, muito brega mas com uma animação obviamente lindíssima, pra mostrar como os garotos estão unidos como nunca.

O toque de Haruka na parede da piscina consolida o ótimo resultado do clube do Iwatobi - o qual acaba ficando em 6º lugar geral - em meio às expressões emocionadas de Gou, Amamiya, Rin e demais amigos. Makoto estende a mão para tirar Haruka da piscina (e como eu senti falta disso!!) e todos se abraçam e choram juntos, em uma das cenas mais bonitinhas desse anime inteiro. ♡

E enfim, segue esta cena a conclusão do grupo do colégio Samezuka. Rin dá um Discurso De Capitão™ sobre a saída dos alunos do terceiro ano, e as expectativas por um grupo ainda mais coeso no ano seguinte; E, afinal, nomeia Nitori o novo capitão do grupo, fato que todos comemoram.
Mais tarde, depois que todos já se foram, Sousuke e Rin tem uma conversa em particular a respeito do futuro de Sousuke - muito emocionante, e diga-se de passagem, outro ponto alto do episódio. Nessa conversa, Rin diz para o amigo "não desistir dos sonhos antes mesmo de tentar", e que estará esperando-o na natação profissional. ;_; Nessa nota melancólica fecha-se a história de Sousuke, por ora, que diz apenas que irá pensar no assunto.

Depois disso, a cena corta para Ren e Ran olhando o céu pela janela. Pela conversa deles, ficamos sabendo que o irmãozão Makoto foi embora para estudar. Vemos então Makoto saindo de um apartamento, e indo até outro apartamento onde Haruka está - mofando na banheira, aliás, como sempre. Makoto foi buscá-lo (com direito a entrar no apartamento dele, ir até o banheiro e estender a mão em frente à banheira, chamando-o de Haru-chan, nada menos~) pois irão se encontrar com Rei e Nagisa no aeroporto.


Ficamos sabendo que eles irão se encontrar com Rin, mas antes, Nagisa pede para eles irem em um lugar. Os quatro acabam indo para o clube do Iwatobi, onde enterram uma caixa contendo quatro cartas com descrições do que cada um viu nesta última competição em que juntos. (Nota: enterrar cartas com conteúdos de delírios - é esse o tipo de coisa que acontece em anime de natação, pra quem não assiste.)
E aí começa a seqüência final, com uma música fofíssima que até eu compraria o single se encontrasse por aqui, sério. No mínimo eles sabem vender produtos.


E vem as cenas finais: Haruka escrevendo For the Team no chão do jardim do clube; Os garotos indo encontrar Rin, que os mostra uma piscina com flores de cerejeira, que nem no sonho de infância que os garotos tentaram concretizar anteriormente (vide High Speed! pra mais detalhes!), onde todos mergulham e se divertem; O céu de Tóquio, onde Makoto estuda, e Haruka pratica natação; Makoto e Haruka comendo juntos em um restaurante de Tóquio ヽ(゜∇゜)ノ ; Rei e Nagisa recrutando novos membros para o clube, com ajuda da *caham* seleção especializada de Gou; Rei sendo capitão; Nagisa estudando; Hayato tendo aulas de natação com Goro; A imagem dos garotos do Iwatobi após a competição; Nitori sendo o capitão de uma equipe bem incrível; Sousuke partindo para algum lugar, e por fim, Rin também praticando natação.


E dessa vez, ao invés de end card, tivemos uma cena final com nada mais, nada menos, que... as Olimpíadas, com Rin e Haruka competindo em raias uma do lado da outra.
Deixando de lado o quão terrivelmente fantasiosa é essa cena, e o fato de que isso foi pura reciclagem: O paralelo da cena final com o primeiro comercial foi incrível, e esse foi, bem, o final mais feliz que podia ter, claramente.
E era sobre isso que eu estava falando no começo: Foi feliz, sem dúvidas, e não vi ninguém esbravejando contra esse final, e eu não nego que foi bem-produzido, emocionante, adorável e tudo mais. Mas nem por isso foi um final sem problemas. Ser tão feliz, depois de 12 episódios de puro conflito, não deixa de ser um problema, narrativamente falando.
 




Foi dessa forma que Free! Eternal Summer acabou terminando em uma nota positiva, pra surpresa de boa parte dos fãs - que já não esperavam mais nada do episódio final - e talvez para alívio do pessoal do KyoAni que não queria ser atacado durante o trabalho, pelo bem dos lucros da empresa, e coisa e tal. Afinal, da última vez que um final frustrou grandiosamente todos os fãs, os resultados não foram muito positivos pra imprensa.
Brincadeira. As pessoas são mais educadas hoje em dia. (Talvez.) (...Não, não são não.)

Ainda que meu impulso seja dizer que "terminou mais uma temporada de Free!", a possibilidade de não ter uma terceira temporada é grande - na verdade, o correto nesse momento seria dizer que a possibilidade de ter uma terceira temporada é nula - mas eu não gosto de falar disso porque todo esse papo de "último verão" é pura melancolia! Free! Eternal Summer foi divertidíssimo, a despeito de todas as vezes que eu esbravejei, quis chorar, xingar o universo e cometer homicídios no Japão ao longo da temporada, e no fim das contas, vai deixar saudades.

Não sem defeitos, é claro - sendo o ritmo o principal deles, mas isso fica pra uma resenha da série que vou escrever futuramente. Também não sem ficar um pouquinho em cima do muro nesse final, pra não causar nenhuma grande controvérsia. O que é bom por um lado, já que podemos ter boas recordações, mas por outro lado é de uma covardia tremenda da produção do anime por motivos óbvios - e se bobear, vai ser um Macross Frontier da vida, que terminou com triângulo amoroso em aberto pra só concluí-lo em filmes anos depois, frustrando metade dos fãs depois que todos os produtos que tinham que ser vendidos já foram vendidos. "Vira essa boca pra lá, Chell!" Eu sei, eu sei. Desculpa se gato escaldado tem medo de água fria. E Free! é frequentemente um balde de água fria. Em ambos os sentidos. HA HA HA

De resto, toda a construção teve ares de "jogado" ao longo do progresso, mas sem dúvida foi divertido, e não foram poucos os gritos e ataques cardíacos causados por Free! nesses últimos três meses. Assim, nada mais justo que um final que, ainda que um pouco jogado e corrido, fosse feliz e contemplasse minimamente todos os fãs.

Depois de uma viagem bizarra ali, umas brigas dramáticas ali (Makoto e Haruka!) e acolá (Rin e Sousuke!) e em todo lugar (Haruka e Rin!!), tudo terminou nesse final morno, nessa verdadeira água-com-açúcar que é essa série. (Água com açúcar! HAHah-- hoje eu tô que tô, né? Ainda bem que acabou, né??) E não vou negar, apesar de todas as críticas que eu tenho e que são muito cabíveis: Foi bom.
 
Afinal, vamos falar real, como público: Coerência é bom, mas quando se trata de um anime de nadadores, aposto que a gente só quer mesmo ver nossos bebês felizes. E foi isso que aconteceu, não é mesmo? Então foi bom.
Foi bom poder rememorar os momentos especiais de Free! junto com os garotos, naquele momento bonitinho sob o céu estrelado, e se sentir representado na choradeira deles porque não podia acabar ainda. Foi bom saber que eles ficaram juntos até o final, e no futuro. Foi bom ver todos os seus sonhos se realizando - inclusive aqueles pelos quais a gente já nem nutria esperanças.

É com essa miniatura de discurso de formatura que eu me despeço de Free! Eternal Summer, e daqueles que acompanharam os posts semanais. Ao menos por hora, essa foi a despedida dos garotos para a gente - e que despedida maravilhosamente agradável, pra contrariar um pouco aquela crença de que ia ser "eternal suffering". Um final que mesmo sendo bobinho, pelo menos não deixou (quase?) ninguém com fortes sentimentos negativos. O que vai ficar é a saudade dos swimming bishounen e de toda a piração semanal; E a vontade de uma terceira temporada, filme ou o que o valha.


(Em tradução livre, "pra comprarem mais produtos".)

Nenhum comentário:

Postar um comentário