Bem vindo ao Blog Not Loli! Estamos em construção no momento! Siga-nos nas redes sociais!icones redesPesquise algum tópico: search
Parceiros parceiros

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Impressões de Meio da Temporada Verão/2014 - Parte 1: Barakamon, Psycho-Pass Re-edit, Gekkan Shoujo Nozaki-kun, Glasslip, Persona 4 The Golden Animation, Tokyo Ghoul, Sword Art Online II, Zankyou no Terror.


Impressões de Meio da Temporada de Verão/2014:
Parte 1Parte 2Parte 3

Olá, gente!~
Como devem saber, já chegamos na metade da Temporada (de Anime) de Verão de 2014. De fato, já passamos da metade, mas eu me atrasei como sempre. Dessa vez eu tive um motivo um pouco mais justo, que foi o de que por conta de problemas técnicos eu tive que reescrever tudo orz, e a segunda vez nunca sai tão boa quanto a primeira. Eu sinto muito por isso.

Enfim, sempre acho que essa temporada passa rápido demais por dois motivos: Primeiro, porque geralmente coincide com as férias escolares e aquela coisa toda; E, segundo, porque geralmente ela é muito boa.

Inclusive, esse ano, especialmente para os públicos *cough* de fujoshis/danshis e *cough* feminino, ela tem sido realmente muito boa. Temos anime baseado em shoujo de sucesso, remake de shoujo antigo de sucesso, anime baseado em jogo yaoi de sucesso, anime baseado em mangá yaoi de sucesso... Isso tudo para não falar ainda em anime de idols masculinos baseado em pseudo-otome game, e ainda aquele anime de idols masculinos baseado em novel; Continuações, como a Daquele Anime de Nadadores, e daquele josei escrachado que só eu adoro; E paródia de shoujo disfarçada de shounen, e comédia fantástica simpatizante de fujoshis...

Ou seja, se você tinha ficado com a impressão de que essa temporada estava cheia de "coisa de boiola" e "anime pra menininhas" - comentários que eu tirei de alguns cantos da internet - então você acertou em cheio, parabéns. Não sei dizer se isso se deu por algum motivo em especial, mas se tem uma coisa que não dá pra negar é que essa temporada tem de anime de bishounen o que a do começo do ano teve de anime de harém. E que venham mais!

Deixando minha opinião obviamente enviesada de lado, e a despeito dela, essa temporada tem realmente títulos muito interessantes para públicos muito diversos - porque, se você for parar pra olhar, continuamos tendo anime de moe, continuações de séries de sucesso entre marmanjos (controversas ou não), adaptação de shounen sucessinho, ecchi estranho, idols lokas, "romance" moe padrão, anime de trap e etc. Ou seja: A verdade é que, mesmo que todo mundo esteja sentindo essa sensação de "fujoshifest", o número de produções voltadas para um público feminino ainda é menos que a metade. O que é justo, já que é a proporção de fãs homens - mulheres. E aos que reclamam mesmo assim, cry more.

Com base nisso, eu resolvi mudar o formato do post nessa temporada. De duas formas. Primeiramente, ao invés de posts de "impressões", eu resolvi fazer posts mais centrado em recomendações, ou seja: Pra quem eu recomendo cada título. Além disso, este post está dividido em três partes, mais ou menos de acordo com as temáticas de cada anime. Em outras palavras: Esse post inicial é sobre animes potencialmente mais populares, e que abrangem públicos mais diversos; Em um segundo post, eu focarei especialmente nas séries mais voltadas para um público feminino, ou seja, shoujos/BLs/animes de bishounen, e no terceiro e último post, tratarei das séries da temporada passada que continuo assistindo. O motivo de eu ter distribuido assim dessa vez foi que, bem, deu pra fazer isso nessa temporada e ainda assim ficar um número razoável de títulos pra cada post. (ノ◕ヮ◕)ノ*: ・゚✧

Feito esse testamento só pra começo de conversa, espero que gostem do novo formato e que os posts sejam úteis! Então, seguem nesse primeiro post os títulos para um público mais geral. Obviamente também tem um pouco da minha opinião aí, então... Talvez vocês discordem da divisão. Estão mais ou menos em ordem de preferência, como sempre.

 Barakamon [MAL]
Episódios assistidos: 7/12 (eu... fiquei atrasada... ;_; *chora*)

Barakamon conta a história de um artista que trabalha com caligrafia... Que um dia estapeia um crítico de arte, e é mandado pelo pai pra uma cidadezinha rural. Lá ele conhece umas garotas que atazanam a vida dele, uma delas é fujoshi e pira nos ships dele com um garoto cuja mãe faz uma comida maravilhosa, e aí essa galera toda encontra seus amigos da cidade, e...
Essa é uma forma de contar a história de Barakamon: sem começo, meio ou fim, o que há é um universo a ser conhecido - que é o nosso, a propósito. Slice-of-life! Barakamon é uma daquelas séries que fala sobre a Beleza da Vida™ com uma vibe aurea mediocritas, sim. Fazendo uso de artifícios como caricaturas, e um humor genuinamente engraçado e diversificado, a mensagem de Barakamon é essencialmente "a vida é divertida", e o anime consegue transmiti-la - lindamente. Tem bastante comédia, sim, mas tem momentos tocantes ou simplesmente adoráveis também; É definitivamente um título acima da média em termos de produção e direção. Eu sempre abro o episódio de Barakamon da semana com a certeza de que vou rir, e nunca erro.
A quem eu recomendo Barakamon? A quaisquer pessoas que liguem mais para ambientação (excelente) do que enredo (que é, bem, simples); Que gostem de histórias com uma emoção a transmitir, e eu diria "pessoas mais velhas", mas não é bem isso. Se você for mais velho e não assistir muitos animes e tal... dê uma chance a Barakamon; Sério, é ótimo. Ou se você simplesmente gosta de animes com mensagens de vida e coisa e tal: com certeza também vale a pena. ...Ah, a quem eu estou tentando enganar? Eu adoro esse anime. Por mim, todo mundo devia assistí-lo. ♡
Similares: Gin no Saji - é o que dizem - nunca vi ou li, OPS, Moyashimon, Yotsubato.



Psycho-Pass Re-edit [MAL]
Episódios assistidos: 8/11

Dessa vez, eu vou inverter e começar com a pergunta: A quem eu recomendo esse re-edit de Psycho-Pass? Resposta: A todo mundo que não assistiu da primeira vez e está acostumado com episódios de 40+ minutos; A quem não dispensa uma boa abertura e encerramento; A quem gosta de umas paletas de cores Dark aqui e ali; A estudantes de psicologia, filosofia e afins e simpatizantes, que gostam de citações eventuais de Nietzsche e Foucault no seu anime, mas que sabem também que a zuera não tem limites, afinal hyper oats.
Desculpa, só quem viu vai entender essa. (Façam um favor a vocês mesmos e não procurem spoilers!)
Eu já fiz uma resenha sobre esse anime. Eu não tenho mais o que dizer - sou apaixonada por Psycho-Pass, adoro de verdade, então qualquer coisa que eu falar vai ser suspeita. Mas assim... Vejam. Apenas vejam. Eu confesso que demorou pra eu engrenar com Psycho-Pass, mas quando rolou, se tornou um dos meus animes favoritos. Mas não vão com a impressão errada: de "intelectualóide", Psycho-Pass não tem nada, ou muito pouco. É mais o contrário, já que é uma narrativa intensa, com algumas coisas importantes pra se refletir sobre, mas em última análise cheia de furos. Se o que você quer é um entretenimento bom e que não passe uma sensação de "100% futilidade" é um anime por mim recomendadíssimo.
Similares: Code Geass (Por que não? São meus favoritos, afinal!), Monster, Ghost Hound, Himitsu: The Revelation, Darker than Black.



Gekkan Shoujo Nozaki-kun [MAL]
Episódios assistidos: 7/12

Eis um título que me surpreendeu, porque eu achei que ia ser bem pouco popular e que só eu iria curtir, mas recentemente o vi até em listas dos mais populares da temporada.  Minha aposta inicial era de que o anime devia se desenvolver em torno de um possível romance dos protagonistas, e eu não poderia estar mais enganada.
Nozaki-kun é uma comédia, ponto. Na verdade, é quase uma gag series, uma vez que cada episódio trata de uma temática fechada - por exemplo, apresentação de personagens, sátira de um objeto específico - o de visual novel foi o melhor! - etc. Gira em torno de uma equipe de estudantes de colegial que escreve mangá shoujo e seus amigos, e ao mesmo tempo, satiriza vários estereótipos do gênero. (Eu o apelidei afetuosamente de Sekaiichi Hatsukoi 3.)  Nesse sentido, é ainda mais engraçado se você gosta (ou ao menos conhece bem) shoujo, e conhece bem seus clichês. Eu disse no Twitter e repito que o encerramento simboliza o que eu sinto pelo anime: tecnicamente, é tudo bem simples, mas essa repetição idiota faz ficar na cabeça, b-baka, e... não é que esse treco é divertido?
Eu recomendo a quem gosta de comédia leve e simples, com referências e sátiras pra otaku ver. Ou só comédia, ou só coisas bonitinhas e coloridas, eu acho.
Similares: Ouran Host Club, Lovely Complex, Bokura wa Minna Kawaisou.




Glasslip [MAL]
Episódios assistidos: 8/13

Eu juro: toda vez que eu termino de assistir um episódio de Glasslip, eu digo em voz alta "que porra foi essa?". Sempre. Talvez essa seja a graça do anime: Eu nunca faço ideia do que está acontecendo exatamente, e eu gosto desse sentimento de confusão, especialmente porque ele é diferente na minha experiência de assistir shounen de romance. Sim, Glasslip é um shounen de romance, supostamente com elementos de fantasia - que pra ser sincera parecem mais com esquizofrenia ou algo do tipo. Um shounen de romance onde garotas correm atrás de garotos de bicicleta gritando "continue sendo atraente!" - algo que realmente aconteceu, - onde pessoas vêem o futuro mas questionam se vêem mesmo o futuro, e outras coisas pouco usuais. Em resumo, o tipo de anime onde um gorila pode aparecer na janela, e talvez isso não seja nem tão mais estranho assim. Vocês já devem saber, mas eu gosto desse tipo de experiência.
Não, Glasslip não é pra todos - a página de resenhas (super negativas) do MAL já deve ser indicativo o suficiente disso, - e eu confesso que estou gostando mais do que a maioria das pessoas porque (acredite ou não) me identifico com alguns pontos, e porque não tinha expectativa nenhuma de que fosse o novo Nagi no Asukara. Em resumo: eu estou gostando de Glasslip apesar de tudo, mas reconheço que não é pra todo mundo. 
"Pra quem é, então?" Especialmente, eu recomendaria pra quem gosta de uma experiência pouco usual. De uma experiência de "que raios eu estou vendo?" no melhor estilo Samurai Flamenco. Além disso, pra quem gosta de shounen de romance com elementos sobrenaturais, que talvez sejam explicados posteriormente, mas talvez não, ainda não sabemos. E claro, pra quem gosta dos estúdios P.A. Works, esse querido "KyoAni do Paraguai", que vem produzindo séries tão moe-fumadas quanto o melhor do velho combo KyoAni+Key.
Similares: Kokoro Connect, talvez Kobato., AnoHana e outros romances/slice-of-life fantásticos à primeira vista - mas confesso que o feeling de Samurai Flamenco de "que porra é essa?" é mais forte que tudo isso. Sem medo de errar.




Persona 4 The Golden Animation [MAL]
Episódios assistidos: 7/12

Como eu já disse, Persona 4 The Golden Animation: Porque Persona 4 Animation não é o bastante.
Eu adianto que não joguei Persona 4 Golden, então minha experiência com esse anime está sendo bem diferente daquela de Persona 4 The Animation, uma vez que eu não posso tecer comparações adequadas. O sentimento que P4GA passa é de ser, basicamente, um spin-off do anime de Persona 4. Ou seja, se você gostou de Persona 4 Animation por algum motivo - tipo, não ter jogado o jogo... - é basicamente uma mistura de fillers engraçadinhos com versões extendidas de alguns eventos e tal, então você provavelmente vai curtir esse anime com um forte feeling de OVA de continuação ou algo de tipo. 
Caso contrário, a menos que você conheça bem a história do jogo, é possível que você chegue a ficar bastante perdido, já que o anime por vezes ignora a ordem cronológica dos eventos - o último episódio que eu vi, do Adachi, foi o exemplo máximo disso, e acredito que tenha feito pouco sentido pra quem não conhece a história. Quanto à qualidade de produção, é aquela coisa meio "eh..." de sempre. Moral da história? P4GA só vale pros fãs de Persona, Persona 4, Persona 4 The Animation e afins. De resto, pode passar esse aqui sem culpa.
Similares: Persona 4 The Animation, durr. Não precisa de mais.




Tokyo Ghoul [MAL]
Episódios assistidos: 8/12

Tokyo Ghoul, como eu disse anteriormente, foi um anime que me ganhou logo de cara. Tokyo Ghoul é mais um shounen de terror psicológico, na onda de outros títulos recentes e relativamente populares, como Mirai Nikki, Deadman Wonderland e (talvez em menor grau) Shingeki no Kyojin. A despeito disso, o anime é bom de fato - ele é bonito, tem uma premissa interessante, e tudo pra ser no mínimo divertido, mas mesmo assim acabou não ficando entre os que estou curtindo mais. A paixão intensa das primeiras semanas se esvaiu logo. 
O motivo? Não, não vou falar da censura nas cenas de gore, que chega a ser injusto e torna uma opinião unânime a de que "o mangá é melhor do que o anime". Não é nem isso que mais me incomoda - na realidade, o que mais me incomoda no anime de Tokyo Ghoul é o ritmo. São apresentados muitos personagens em pouco tempo, de modo que não dá pra digerir todos os conflitos muito bem; Ao mesmo tempo em que "coisa demais acontece", algumas cenas e situações parecem se estender por tempo demais, ou essa foi a impressão que tive. Esse problema de ritmo não é exclusivo de Tokyo Ghoul, e é comum em vários animes curtos (de 1-cour), mais ainda para um baseado em um mangá incompleto com 13 volumes já lançados - é muita coisa pra encaixar em pouco tempo, e ao mesmo tempo, o rumo ainda não é claro. Então, é um problema de direção quase inevitável.
Ainda assim, a obra original parece ser realmente muito boa, e acima da média, ainda mais para uma série da Weekly Shounen Jump - confesso, tenho meus preconceitos, mas Tokyo Ghoul me faz superá-los. Ainda não leio o mangá para saber o quão verídica é essa minha impressão, mas continuo gostando da premissa, e não tiro ao menos o mérito do anime de ter uma produção boa e no mínimo servir como uma boa introdução, já que conheço muita gente que já foi ler o mangá por causa do anime. Então posso recomendá-lo ao menos pra quem, como eu, prefere assistir anime a ler mangá. A história é boa. Se não for o caso, talvez o mangá seja uma melhor pedida.
Similares: Shiki; Hellsing; Mirai Nikki, Deadman Wonderland e outros do gênero.





Sword Art Online II [MAL]
Episódios assistidos: 7/24

Ahh, Sword Art Online - aquele anime que todos amam odiar, mas que ganhou uma segunda temporada, afinal, todos amam odiar. E provavelmente vai ganhar mais temporadas porque tem mais novels e coisa e tal. Aparentemente também tem pessoas que amam Sword Art Online, mas essas eu ainda não conheci. Enfim, eu falei um pouco das minhas impressões da primeira temporada anteriormente, e falei no post de primeiras impressões dessa temporada que ia acompanhar porque sou burra. Dito e feito.
Se eu não ligava muito para a outra temporada, para essa, menos ainda. O motivo é que o jogo da vez - GGO, ou Gun Gale Online - é um FPS, gênero que ao contrário de RPG eu nunca sequer curti jogar, quanto menos assistir um anime sobre pessoas jogando.Mas eu confesso que, apesar de tudo, estou gostando da trama. A protagonista é interessante, e... bem, ela é um pouco menos dada pro Kirito. Num anime onde o Kirito é basicamente o protagonista de um harém, isso é um progresso. De resto, é o de sempre: o nerd Kirito (O Foda) e seus amigos lutam contra os vilões malignos e as megacorporações, só que agora com mais pistolas!, e outros elementos interessantes-porém-clichês tecem uma trama tão tosca quanto empolgante. Meio novelão, mas quem disse que eu não curto? Pelo menos é divertidinho.
Pra quem eu recomendo? Obviamente, pra quem gosta de Sword Art Online. Ou se você não viu Sword Art Online: Pra quem gosta de anime com pouco conteúdo, pra "não pensar só curtir", porque se pensar muito, vai se frustrar. Afinal, não é ruim, mas, decepcionantemente, podia ser muito mais. Ah, e pra quem gosta de FPS. E pistolas. Sei lá, né.
Similares: .hack//Sign, além de No Game No Life, The Tower of Druaga, Tales of the Abyss, Log Horizon, entre outros herdeiros do legado de .hack e jogos online ou não.





Zankyou no Terror [MAL]
Episódios assistidos: 7/11

Zankyou no Terror é uma série que desde o começo me parecia boa, mas que me deixava um pouco receosa. Porque é basicamente uma série sobre terroristas adolescentes, daqueles que nunca foram felizes na vida, e no meio deles, um detetive - que eu pessoalmente imaginei que teria um papel maior, mas de fato os jovens prodígios acabaram se sobressaindo. Em outras palavras: uma série com um potencial enorme, que poderia dar proporcionalmente muito certo ou muito errado. De bônus, só o nome do diretor - Shinichiro Watanabe (Cowboy Bebop, Samurai Champloo, Sakamichi no Apollon) já é o bastante pra deixar as expectativas de muita gente lá em cima; Não necessariamente a minha. E muita gente gostou muito. A produção é boa. A animação é bonita. As músicas são interessantes. Ok, e o que eu achei, afinal?
Eu continuei - e continuo - com vários pés atrás. Alguns motivos: A garota suposta-protagonista é uma daquelas "garotas obrigatórias" que não fazem absolutamente nada e ainda atrapalham inadvertidamente, que você não sabe sequer por que existe; Metade da série - que já é curta - foi gasta com "casos da semana" e pouco desenvolvimento; Essas perseguições "cão e gato" com detetives à la Death Note perderam a graça em 2007; E a velha discussão do "por que Death Note (ou qualquer anime do tipo) não é realmente inteligente"... entre outros.
No fim das contas, não é um anime ruim. Eu estou curtindo, em geral. Tem alguns episódios bem empolgantes, outros bem chatos. Também tem uns plot devices dispensáveis - como a vilã que apareceu recentemente, cujo propósito não ficou claro até agora, e honestamente, duvido que vá ficar nos próximos 4 episódios. No fim das contas, eu não consigo elogiar Zankyou no Terror tanto quanto outras pessoas vem elogiando, principalmente porque com Psycho-Pass reprisando na mesma temporada, nessa vibe de "anime policial escuro e pseudo-inteligente" - com toda a ironia, mas todo o amor também! - pra mim o vencedor dos dois é claro, e não é Zankyou no Terror.  Que deixa uma sensação de "podia ser mais", que eu ainda espero ser superada de alguma forma nesse arco final.
Similares: Death Note, Psycho-Pass, Monster, Himitsu: The Revelation.



Bem, bem! Demorou - pra caramba! - mas saiu. Resumidamente (ainda mais resumidamente por causa dos problemas técnicos que tive, na real...) tem sido estas minhas impressões dessa primeira "leva" de animes dentre os que estou acompanhando. Sintam-se livres, como sempre, para criticá-las nos comentários! Digam o que acham dessas séries, se concordam ou não com as sugestões; Acrescentem sugestões, e coisa e tal. Ah, e claro, digam o que acharam desse novo formato! (◡‿◡✿) Afinal, buscamos servi-lo bem sempre e... coisa e tal.
E até o próximo post, com impressões de Ao Haru Ride, Bakumatsu Rock, Sailor Moon Crystal, DRAMAtical Murder, Free! Eternal Summer, Love Stage!!, Shin Strange+ e Shounen Hollywood! ♡

2 comentários:

  1. Yooo beleza!?
    okss o que foi esse trecho aqui: ''KyoAni do Paraguai, que vem produzindo séries tão moe-fumadas quanto o melhor do velho combo KyoAni+Key.'' tô rindo com isso até agora shaushau
    Enfim, essa temporada veio para alegrar o meu kokoro estupradamente frustrado com as antigas temporadas, em que esses japas só lançavam shounen de romance que do nada acabavam virando um harém ecchi! MAS dessa vez FOI DIFERENTE /OOOOOOO shoujos, yaois, romance *---------* Kami-sama ouviu meus apelos! T-T
    Bem eu adoro ler suas resenhas/opiniões sobre os animes, elas sempre são completas e diferentes dessas que a gente encontra por aí, são únicas *u* (e eu sempre saio dando boas risadas).
    Desses animes o único que tive um certo ''contato'' foi Sword Art Online, eu realmente gostei da primeira temporada, bem..... corrigindo do PRIMEIRO ARCO da primeira temporada, pois a Asuna era toda poderosa e mesmo algumas garotas tendo se apaixonado pelo Kirito elas logo, logo saíram de foco do anime, mas o segundo arco foi uma decepção, acabou que no final tivemos o dito harém (porque diabos todo o anime shounen de romance tem que terminar assim!?) e a Asuna virou princesinha indefesa ¬¬
    Enfim, espero que para as próximas temporadas o público feminino vá ganhando mais espaço, que venham mais shoujos /ooooooooooooooo
    Kiss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oooi Hinata!! :D E aí, como vai? ♡

      HAHA então, sobre a frase: Sabe o estúdio Kyoto Animation? Até uns anos atrás, eles produziam diversas séries de anime - Clannad, Air, Kanon - baseadas em jogos da empresa Key. Essa empresa faz visual novels de fantasia, e... bem... elas são fofas, e tal... Mas totalmente fumadas também. Com direito a reencarnações e coisas assim..
      Enfim, eu também fiquei super feliz com essa temporada. ;_; Destruiu minha promessa de ver uma quantidade de séries humanamente possível de acompanhar, mas valeu a pena. Também espero que tenha dado certo para os estúdios, e que essa tendência continue/volte em temporadas futuras!~
      E quanto a SAO, verdade, também achei que a personagem da Asuna foi destruída na segunda parte. Eu gostava dela também, mas depois ela ficou tão sem graça quanto qualquer outra garota-típica-de-shounen-bobo. Uma decepção.

      Bem. Como sempre, MUITO obrigada pelo comentário e pensamentos. Fico feliz de verdade que você goste tanto de ler os comentários do blog!! ♡ (Eu procuro fazer comentários relevantes, mas sempre acho que falta muita coisa, porque é muito anime que eu acompanho... orz)
      Enfim, até a próxima!~ (´∀`)☆

      Excluir