terça-feira, 8 de julho de 2014

Primeiras Impressões: Temporada de Verão/2014 - Parte 1: Free!: Eternal Summer, Barakamon, Tokyo Ghoul, Glasslip, Shounen Hollywood: Holly Stage for 49, Aldonoah.Zero, DRAMAtical Murder, PriPara (Pretty Rhythm Prism Paradise), Sword Art Online II, Bakumatsu Rock, Shirogane no Ishi: Argevollen, Locodol, e Sabagebu!.


Olá!~ Faz alguns dias que essa temporada começou - uns 5 dias, pra ser mais exata? - então vim hoje trazer a primeira parte do post com impressões dessa temporada. Eu não sabia se ia fazer esse post ou não, mas... como no fim das coisas vários dos títulos me interessaram, e eu acabei vendo um monte, achei que seria legal documentar aqui e trazer minhas opiniões pra compartilhar com vocês. O que vocês acharam desses títulos? Acham que eu falei alguma besteira muito grande a respeito de algum deles? Deixem suas impressões nos comentários! (◡‿◡✿)

Nesse post trago minhas impressões de: Free!: Eternal Summer, BarakamonTokyo Ghoul, Glasslip, Shounen Hollywood: Holly Stage for 49Aldonoah.ZeroDRAMAtical Murder, PriPara (Pretty Rhythm Prism Paradise)Sword Art Online IIBakumatsu RockShirogane no Ishi: Argevollen, Locodol, e Sabagebu!, mais ou menos em ordem de preferência.

Até agora, minha impressão geral é de que essa temporada está melhor que a passada, ou até melhor que as duas passadas. Claro, isso tem a ver com o fato de ter bastante shoujo/BL em comparação, como qualquer um que olhar a tabela de estréias pode notar, e também com o fato de ter várias continuações de séries que eu assisti e curti. Mas mesmo aquelas que não fazem meu tipo me agradaram razoavelmente. Isso pode ser porque eu já estava satisfeita com as outras, mas também pode ser porque a temporada está boa mesmo. Haters gonna hate. ¯\_(ツ)_/¯
Também tem um excesso de anime de idols. E, aparentemente, pouco mecha. É, amigos, os tempos são outros.
Vou continuar assistindo:


Free! Eternal Summer
Número de episódios: 13
Gêneros: Comédia, Esporte, Escola, Slice of Life, Fujoshi bait

Aahahhh, enfim a tão esperada segunda temporada de Free!! Eu já fiz um post mais completo sobre esse primeiro episódio aqui, como vocês bem devem ter percebido. E como vocês também podem saber, ou não, eu já postei muito, muito sobre Free! nesse blog. E em todo lugar, na verdade. Esse anime é ridículo, eu sei, eu sei. Mas o que eu posso fazer se é o anime que eu estive esperando todo esse tempo? Natação é legal. KyoAni é legal. Bishounen é legal. Comédia é legal. What's there not to like?
Tudo bem, Free! não é pra todo mundo. Mas dizer que é "ruim" é puro recalque. Pode ser ridículo, hilariantemente ridículo, com isso eu posso concordar. Enfim, se você gosta do estilo mas nunca assistiu por puro preconceito, deixe de besteira e vá assistir a primeira temporada! (≧∇≦)/ Se me perguntarem, eu vejo pela natação.



Barakamon
Número de episódios: 12
Gêneros: Comédia, Slice of Life, discípulos de Yotsubato

Barakamon me interessou pela premissa, e me ganhou nos primeiros minutos. É um "slice of life" em que um jovem calígrafo - profissão muito mais respeitada no Japão, por motivos obvios, e portanto pode trazer uma dimensão cultural interessante - se muda pra uma ilha para espairecer, depois de um ataque de fúria que o fez ficar mal reconhecido nos círculos de caligrafia.
A primeira cena já me pegou de jeito, porque... Sabe quando alguém te fala uma besteira muito grande - coisas como "você é muito bonzinho" ou "você é muito metódico" (eu não sou boazinha nem metódica, ok?) - de um jeito pejorativo, e você tem vontade de dar um chute na cara da pessoa apenas pra mostrar o quão errada ela está e fazê-la engolir essas palavras? É o que o protagonista faz quando chamam a caligrafia dele de "oscar-winning bait".  Ele atua essa vontade. E é assim que o pai dele acaba mandando-o para uma ilha, um lugarzinho bem rural, com várias pessoas simples, inclusive uma pirralha tão folgada quanto fofa.
Pelo primeiro episódio, portanto, já deu pra sacar que Barakamon vai ser sobre o "rapaz da cidade grande" aprendendo sobre simplicidade com os moradores de uma pequena ilha, que é uma história que muito me interessa em dias tão agitados. E só nesse primeiro episódio, que por sinal achei muito bem construído, já tem de tudo: Tem momentos lindos (como o do pôr-do-sol que conclui o episódio), momentos dramáticos, momentos de humor mais levinho (como quando um não consegue ouvir o outro - "hã? O que você disse?" "hã?" "hã??") e humor mais escrachado (como a cena depois do encerramento, em que o vizinho pega o protagonista escrevendo que nem um maníaco); Tem uma mensagem a passar e, enfim, foi muito bom. Com certeza continuarei acompanhando esse aqui, e pelo tato que a produção demonstrou ter no primeiro episódio, acho que dificilmente vou me decepcionar. 



Tokyo Ghoul
Número de episódios: 12
Gêneros: Mistério, Drama, Horror, Sobrenatural, Psicológico, Gore, "mais Survival Game que Sagagebu!"

Tokyo Ghoul (ou Tokyo Kushu) é exatamente o que o título diz: Se passa em Tóquio, e tem ghouls
Preciso confessar que essa foi minha surpresa da temporada até agora. Eu não "gosto" de gore (na verdade, até acho que pode ser esteticamente bem-feito, mas em geral é algo que me repele mais do que me convence a assistir uma série) e Tokyo Ghoul é exatamente isso: É baseado em um mangá shounen, especificamente da Weekly Shounen Jump, e tem mais cenas censuradas em degradê preto por causa de sangue do que o contrário. Apesar de soar pretensioso, e de todos esses fatores que pessoalmente não acho atrativos, já me ganhou completamente.
Ghouls são criaturas que devoram carne humana à la Pupa; Quem já jogou algo tipo Ragnarok Online sabe que são basicamente zumbis carniçais. Ou seja: Espere gente comendo gente, no sentido... mais literal possível, e muita censura por conseqüência, mas espere mais que isso. Espere um mashup de boas séries do seu gênero, desde o terror psicológico de Shiki, até abertura da banda Ling Tosite Sigure (da primeira abertura de Psycho-Pass). Foi assim que Tokyo Ghoul me ganhou com um único episódio.
Confesso que só tenho um pouco de medo porque... acho que eu nunca gostei realmente de alguma obra publicada em alguma Jump, mas não é impossível ter uma primeira vez, né?




Glasslip
Número de episódios: 13
Gêneros: Slice of Life (da P.A. Works)

Glasslip foi uma das estreias dessa temporada que eu não ouvi falarem muito bem até agora, mas que eu pessoalmente gostei. Promete ser um slice of life levinho, da P.A. Works - que é basicamente um KyoAni-só-que-não, com o character design característico e a fama pelos SoLs - à la Tari Tari ou Nagi no Asukara, por exemplo, e que a princípio me agradou. É bastante bonito, e já simpatizei com o elenco, que a princípio parece seguir a fórmula de "2 garotos e 3 garotas", mas com um sexto elemento que surge já no primeiro episódio pronto pra abalar a estrutura do grupo; Ou seja, deve ser a história de como esse grupo se reconforma (ou se desfaz, ou entra em crise, ou dramas...), mais ainda levando em conta como esse sexto elemento parece ser um legítimo babaca, e a protagonista se apaixonou à primeira vista por ele.
(Aliás, preciso dizer que essa protagonista é my spirit animal, já que o nome dela é Touko (eu sempre me identifico com Toukos!) e ela se apaixona por babacas e dá nomes como "Confúcio" e "Husserl" (Husserl, seu lindo ♡) pras galinhas dela. Sério.)
Enfim, é um SoL, e cada personagem parece ter uma personalidade única e com potencial pra desenvolvimento. Até agora, achei promissor - até por ter uma apresentação sólida e tal - mas vai de gosto... Pretendo acompanhar, espero curtir.


Provavelmente vou continuar assistindo:


Shounen Hollywood: Holly Stage for 49
Número de episódios: 13
Gêneros: Slice of Life, Idols, Bishounen!!

Shounen Hollywood era um título que eu tinha bastante expectativas, e que correspondeu em parte. Pra começar: O título é parte de um projeto que também tem um grupo musical (uma boyband chamada Zen the Hollywood) e um livro (contando a história do "grupo lendário" que aparece no primeiro episódio do anime, o que é um pouco pretensioso, mas... eu queria sim ler a história, tem um idol mais velho e parece bem legal!).
Pro anime, eu esperava um "slice of life" que retratasse os bastidores da vida de idol, que tivesse uma visão um pouco mais crítica/realista portanto do que os outros animes de idol costumam ter, e personagens um pouco mais desenvolvidos e tal. Eu acho que tive isso, apesar de também ter um lado de comédia e um pouco menos "realista" que também divertiu. Pelo lado ruim, porém, eu não sei o que foi que me fez achar o anime incrivelmente lento. Talvez seja a própria animação, talvez seja mesmo o desenvolvimento do roteiro, já que até agora nenhum personagem foi apresentado muito bem fora o protagonista, e por enquanto eles estão meio "estereotipados"... E "lentidão" me lembra La Corda d'Oro ~Blue Sky~, que teria sido decente se não tivesse sido insuportavelmente lento.
Então, não sei se vai conseguir me prender no meio do mar de títulos que eu tenho pra acompanhar, mas eu juro que vou tentar.



Aldnoah.Zero
Número de episódios: 12
Gêneros: Ação, Mecha, Sci-Fi

Provavelmente um dos dignos de hype da temporada. Tem um elenco com vários dubladores novatos e promissores, alguns dos quais já falei um pouco no post de Isshuukan Friends; É um roteiro do Gin Urobochi (responsável por várias séries de sucesso, de Saya no Uta, passando por Psycho-Pass, até Madoka Magica, e que deve ser o roteirista mais hypado do momento) que está nas mãos do Ei Aoki, o qual dirigiu séries desde Fate/Zero e Girls Bravo até Hourou Musuko; Na parte do som, o Jin Aketagawa que fez coisa pra cacete (SÉRIO) dirige, e tem Kalafina (a banda da abertura de Madoka Magica, entre outras músicas de Kara no Kyoukai e Madoka Magica) tocando a abertura. Pessoalmente... preciso notar ainda que o Hiroyuki Sawano, responsável pela música - ou, "a única parte bem-produzida" - de Zombie-Loan também está participando. Produção: Nitroplus, A-1 Pictures.
Ok, acho que já deu de hype.
Deixando os nomes de peso e revelações de lado, o que é Aldnoah.Zero? Além de um nome pretensioso (sério, que raios é "aldnoah"? E por que tudo aogra é "zero"??) Aldnoah.Zero é a história de seres humanos morando em Marte e se achando superiores e dignos de habitarem aquele planetinha azul; Esses seres humanos são mais ricos e poderosos que os do planetinha azul - que por acaso é a Terra - e um belo dia eles decidem disputar o território daquele planetinha azul... com, tipo, armas super poderosas e tal, sem se importar com quantos habitantes dele vão matar no processo. Opa, soa familiar? Historicamente, colonização não é nada novo. Em anime também não - acho que todo rip-off de Gundam teve premissas semelhantes - e encontrar uma resistência no planetinha azul, como parece que vai acontecer pelo final do episódio, também não é. 
Pessoalmente, achei... "OK". Tem gente venerando Aldnoah.Zero desde já, mas como estreia eu achei superestimado e assumo que estou até agora sentada na ponta da poltrona, esperando algo de bom acontecer, e se por ventura não me agradar, levanto e vou embora.



Eu confesso: OTP da temporada.

DRAMAtical Murder
Número de episódios: 12
Gênero: Ação, Sci-Fi, Psicológico, provavelmente BL??

Aqui, o anime do jogo da Nitro+Chiral que é a sensação dos últimos anos em termos de "BL game". Acho que a audiência desse título se divide em dois públicos: Os GdHs queridos que não fazem ideia de onde estão se metendo, e as fangirls do jogo; Tem ainda uma meia dúzia de gatos pingados que por algum motivo não jogou mas sabe onde está se metendo, e eu me incluo aí. O primeiro episódio não deu indício de BL nenhum, nem nada... Mas a produção dessa vez é da Nitroplus, então eu suponho que o pessoal já conte pontos aí.
Só duas declarações polêmicas a dar: A primeira é que eu achei esse episódio tosco, a segunda é que eu estou prevendo essa série sendo aclamada como "mil vezes melhor que o anime de Togainu no Chi" e eu só... vou ficar muito revoltada. Pra quem não sabe, eu gostei do anime de Togainu no Chi. É, eu gostei, me deixa. (Mas como os personagens estão tão inexpressivos quanto "bishounen" nesse anime, certeza que vão gostar!! ヽ(#`Д´)ノ) 
DMMd não me surpreende; É todo "futuristazinho", fala sobre jogos (viva identificação barata!) e gangues à la TnC-AnK-etc, tem alguns dos character designs mais estranhos que eu já vi na vida e ainda por cima sem bundas e uma abertura que eu ainda não sei se considero legal ou apenas excessivamente pretensiosa. Em resumo, tudo até agora oscila no meu conceito entre "cool" ou "apenas pretensioso". (Sério, que p* de nome é Dry Juice??) Como eu ainda tenho vontade de jogar o jogo de DMMd (eu só não joguei até hoje porque demorava demais pra baixar..... OTL) eu acho que vou deixar o anime de lado por enquanto, até porque sinto que se não deixar vou me dececpcionar com a série como um todo mas ainda não sei.



A cara da maturidade.

PriPara
Número de episódios: ?
Gêneros: Crianças, Música/Idols, Slice of Life

Pri Para Puri Para-dise! ♫ é anime que eu assistiria com vigor, se eu assistisse esses Pretty Cure da vida. (Deixo aqui meu abraço pras Cure Nat e Cláudia!) Eu ainda não sei que vou continuar assistindo, mas há grandes chances de que: sim. É um anime bem pra crianças, com uma animação bem fraquinha portanto, mas que é deliciosamente fofo. ♡ Aparentemente é uma continuação da famosa série Pretty Rhythm, que apesar de popular, nunca me interessou de verdade. Então, é um shoujo - quase um mahou shoujo, com direito a mascotes e tal - sobre uma garotinha do ensino fundamental que quer ser idol, roupas extremamente bizarras e dancinhas divertidas em CG barato. Por sinal, a música também é bem catchy... é... eu confesso, eu me diverti. Um nível de diversão equiparável a Kaleidostar (eu considero Kaleidostar o melhor desse gênero!!). Se não servir pra mais nada, pelo menos me serve de inspiração pra designs fofinhos e danças pra aprender!!!. É isso aí. o(`ω´ *)o



Eeevery night in my dreams

Sword Art Online II
Número de episódios: 24
Gênero: Ação, Aventura, Fantasia, Videogame, Romance, Shounen, traps

Como eu disse no Twitter, "errar é humano, insistir no erro é burrice, e eu sou burra". Cá estou prestes a assistir a segunda temporada de SAO.
SAO é mais um anime de videogame, e um que tem opiniões polarizadas. Eu só não ligo; Não ligo o bastante nem pra amar, nem pra odiar, como já falei um pouco aqui. E... confesso que só fui assistir esse episódio porque queria ver a Kirito-mulher, que só fui ver no encerramento. Então... eu não sei.
Eu devo continuar acompanhando, se tiver tempo. Porque sou burra, e é isso aí.


Não pretendo continuar assistindo:


Bakumatsu Rock
Número de episódios: 12
Gêneros: Música, xogunato Tokugawa, bishounen e MANRY.

Advinha: Mais xogunato Tokugawa à la Hakuouki ou Gintama, só que dessa vez eles são idols. Eu li muitas opiniões sobre essa estréia, até bastante polarizadas - desde "lixo" até "maravilhoso", de pessoas de todos os gêneros e gostos - e pra mim foi simplesmente uma estréia sem grandes atrativos, confesso. Pra mim, pareceu que eles estavam tentando demais. Coisas como o character design bonito, e os cabelos em degradê... são interessantes, mas não exatamente inovadoras. Idem as músicas, porque sendo um anime de música eu esperava mais.
Enfim, aparentemente esse anime é baseado em um otome game de música da Marvelous AQL (sim, "Marvelous" de Harvest Moon e afins). Eu descrevi como "UtaPri meets Hakuouki" antes mesmo de saber disso, e minha opinião básica permanece. Minha opinião é: Não é horrível, mas com o tanto de coisas que eu estou acompanhando nessa temporada (sério, até M3 eu decidi continuar acompanhando!) acho que simplesmente não vou ter ânimo pra acompanhar mais isso. ( ̄^ ̄)




Shirogane no Ishi: Argevollen
Número de episódios: 24
Gêneros: Ação, Mecha

Eu esperava ter gostado disso, porque gosto de mecha, setting militar e afins. Eu queria gostar disso, mas não deu. O melhor comentário que eu ouvi sobre Argevollen é que "o nome é sonoro". Essa temporada tem Aldnoah.Zero, então acho que até quem curte esse estilo de série mais do que eu - que já curto consideravelmente, tbh - não está super empolgado com esse título.
Enfim. É sobre uns países em guerra, um elenco até agora bem chato e um visual genérico. Produzido pelo estúdio Xebec, de Lagrange Break Blade (que foi meu amor e decepção da temporada passada) na minha opinião a estreia não teve a graça salvadora deste último. Provavelmente tem um atrativo pra alguns nichos, e com certeza ainda tem muito que se desenvolver, mas pra mim está no grupo dos "sem sal" até agora.



Locodol
Número de episódios: ?
Gêneros: Comédia, Seinen, Idol, Cute Girls Doing Cute Things, Moe, etc.

Como li por aí: O que é "locodol"? "Idols on trains? Or idols going loco? Or low-cost idols?" etc. A resposta: Nãaao, é Local Idols. Tem essas garotinhas que são recrutadas por um cara mais velho - que por sinal é tio de uma delas - pra serem "idols" locais... E cantar e dançar pra uma pequena platéia. Eu confesso, não achei tão ruim quanto outras pessoas acharam; Achei que foi uma estréia OK, produção decente, arte bonitinha, tem alguns elementos originais na história e algum potencial aí. O problema é que nada na dinâmica das garotas me deu vontade de ver mais, nem nada em... nada, porque simplesmente não faz meu tipo. Tem piadas com tamanho de peitos e uma Mary Sue loira. Não me atrai, mas deixo aqui a dica para quem gosta dos Love Live! e Idolm@sters da vida.



... mas esse screencap ainda é muito bom.

Sabagebu!
Número de episódios: ?
Gêneros: Ação, Comédia, Shoujo, Militar, Cute (ou nem tanto?) Girls Doing Cute Things

Sabagebu! significa "Survival Game Club", e é sobre uma garota que acabou de ingressar no Ensino Médio e acabou sendo recrutada pela garota mais popular do seu colégio feminino (ou pelo menos eu acho que é um colégio feminino, já que só tem garotas no anime) a fazer parte de um clube em que garotas de ensino médio usam armas de fogo... que na verdade só são armas de fogo "na imaginação delas" hã... enfim. 
Falando assim parece bonitinho, mas é realmente desculpa pra fanservice de garotas colegiais usando armas de fogo. O que me surpreende é saber que esse anime veio de um mangá serializado na Nakayoshi, porque se eu não soubesse disso chutaria que é mais um seinen baseado em fanservice que simplesmente não me interessa. Eu queria poder dizer que tem uma mensagem de empowerment aí, mas pelo menos até agora foi tudo meio... chato. Desculpa, eu achei que fosse curtir, mas não curti. Não pretendo continuar assistindo.



Eeee é isso aí por enquanto!! ... Eu acho incrível como eu sempre demoro uns 10 anos pra terminar cada post desses. Na verdade, já saíram mais umas 10 séries que eu precisarei comentar, mas isso fica pra um outro post. Por hora, eu só tenho a dizer que minha agenda pra esse trimestre está completamente assustadora (@O@) e eu ainda não sei como vou lidar rs. Se eu começar a escrever coisas como "Sword Art Online II é meu favorito da temporada!" por aqui, portanto, vocês já sabem qual foi a causa: eu surtei. Isso é tudo.

Até mais, e até o próximo post de impressões da temporada!~ (*^ワ^*)

Nenhum comentário:

Postar um comentário