sábado, 7 de junho de 2014

Impressões de meio da temporada de Primavera/2014 - Parte 2: Break Blade, Ryuugajou Nanana no Maizoukin, Captain Earth, Gokukoku no Brynhildr, M3: Sono Kuroki Hagane, No Game No Life, Mahouka Koukou no Rettosei + Tonari no Seki-kun

Prêmio "sobe na porra do robô" da temporada. (Mas ainda é um fofo!)

Impressões de meio da temporada de Primavera/2014:
Parte 1 ✪ Parte 2

Olá!~ Desculpem a demora, vagamente justificada aqui. Conforme prometido no outro post, seguem aqui meus singelos comentários sobre as séries No Game No Life, Ryuugajou Nanana no MaizoukinBreak Blade, M3: Sono Kuroki HaganeGokukoku no BrynhildrCaptain EarthMahouka Koukou no Rettosei, que estão (vagamente) em ordem de preferência, do mais pro menos querido; E ainda mais alguns comentários sobre Tonari no Seki-kun, o qual era da temporada passada e já terminou. A propósito, eu ainda estou um pouco atrasada na maioria desses títulos, mas o post que era pra ser de meio de temporada também está uma semana inteira atrasado, então relevemos. ;_;

Normalmente, também postaria aqui sobre Mahou Shoujo Taisen, Keroro (2014) Kantoku Fuyukitodoki, vulgo "os outros animes que estou acompanhando nessa temporada e não comento por aqui"; Porém, por questões de economia de tempo, sério e de que esses animes são curtos demais e portanto quem tem o mínimo de interesse provavelmente já está acompanhando, estou pulando esses.

Uma forma de resumir a maioria das impressões contidas nesse post é: "7/10". Destes títulos, a grande maioria não me provocou nenhuma reação forte, contrária ou a favor do anime... São bons o bastante pra me fazerem continuar acompanhando, mas não impactantes o bastante, ao menos até agora, e eu não ficaria muito chateada se tivesse que deixar de acompanhá-los. (Mas a curiosidade sempre me vence, né?)

Sem mais delongas, vamos agora aos comentários e avaliações!  (ノ◕ヮ◕)ノ~


(Episódios assistidos: 8/12)

No Game No Life, como já disse aqui, me surpreendeu positivamente desde o começo, e desde então minha impressão só melhorou. Ok, admito que não é lá o cúmulo da maturidade emocional/profundidade psicológica como eu costumo gostar nos meus animes - por exemplo, tem muita falsa inteligência nas estratégias à la Death Note, - mas isso não impede de ser um bom anime no meu conceito.
Apesar de continuar focado na temática de jogos, tem um grupo de personagens principais estabelecidos que tem uma dinâmica até divertida - digamos assim, "é bom pra um harém"? - e é muito motivador vê-los conquistando os desafios; Tem algumas frases até inspiradoras, e uns momentos bem legais. Além disso, o episódio 9 promete ter o primeiro momento de "drama e conflito" da série. Então, o desenvolvimento da história tem sido bem equilibrado, e com a arte bonita e com um estilo original, tem tudo pra ser "acima da média". Num nível mais pessoal: tenho curtido, haters gonna hate.



(Episódios assistidos: 8/11)

Eu confesso que, apesar de Ryuugajou Nanana no Maizoukin ter uma dose razoável de fanservice não-voltado pra mim, e também não ser a trama mais complexa do mundo, tenho me divertido bastante assistindo. Acho a história instigante, principalmente pelas dinâmicas bizarras entre os personagens, e as outras bizarrices também - afinal, por que uma fantasma fica presa em um quarto comendo pudins? E qual é a do caderno no banheiro? Até agora, em 8 episódios, nada foi muito bem explicado, o que pode ser uma falha, mas Ryuugajou Nanana no Maizoukin ainda é diferente o bastante para merecer minha curiosidade. O último episódio em particular quase me fez chorar, com o comentário sobre o sino "inútil" da Nanana, e o quão chateada ela fica. São momentos assim que me levam a crer que esse anime tem sorrateiramente crescido em mim. Além disso, a produção, de maneira geral, é agradável. Então ficam minhas expectativas (esperançosas) pra, no mínimo, uma conclusão original e divertida.



(Episódios assistidos: 8/12)

E aqui está um que me faz perguntar pra mim mesma, volta e meia, por que raios eu não assisti os filmes muito tempo atrás. Com um drama envolvendo conflitos políticos, amizades conturbadas, robôs gigantes e uma boa dose de Break the Cutie, que como vocês podem ter sacado pelo meu post de Code Geass eu costumo curtir, tenho considerado Break Blade um bom anime, além de um bom exemplar do seu gênero (gênero... "mecha político com delicadeza"?). Não digo ótimo porque, ao meu ver, a série começou muito bem, mas os últimos episódios tem sido um pouco repetitivos; Culpo isso no fato de ser uma série de mecha e guerra que nunca sai dessa ambientação/proposta. O que não é necessariamente ruim, mas perto de outras séries tão diversificadas, pode passar essa impressão.
De qualquer forma, se o gênero faz seu tipo, e você não assistiu os filmes - já que aparentemente há poucas cenas diferentes - eu super recomendo. Agora, se não fizer nem um pouco seu tipo, Break Blade é bem típico e não sai disso, então também não acho que todo o technobabble vá fazê-lo mudar de ideia.





(Episódios assistidos: 6/24)

M3 começou com potencial, mas sem graça. Com alguns aspectos reminiscentes de Shinsekai Yori, como a animação e o grupo de jovens predestinados a se ferrarem - e vamos combinar, a animação era o ponto mais fraco de SSY - penso que M3 só tenha realmente subido no meu conceito nos últimos dois episódios assistidos. É verdade que é "só" mais uma história de jovens sendo jovens com psicologia popular e magia envolvidas - nesse sentido, me lembrou um Kokoro Connect com mecha - mas pra quem gosta do estilo, tem sido decente. Apesar de ter demorado alguns episódios para me cativar realmente, até por ser um 2-cour, tenho apreciado bastante desde que as personalidades e paixões dos personagens começaram a aparecer. Também gosto bastante da abertura, uma ballad na voz da May'n, que apesar de ser aparentemente pouco popular, é uma das minhas favoritas da temporada. Enfim, M3 tem subido rapidamente no meu conceito, e tenho boas expectativas pros próximos episódios.



(Episódios assistidos: 8/13)

E aqui está um anime que eu realmente não esperava gostar, mas meio que aconteceu. Meio que, porque não estou totalmente convencida - realmente um anime de harém precisa ser muito bom pra me convencer - mas acabou se saindo melhor do que eu esperava: Brynhildr começa bizarro, e frequentemente oscila entre o violento e uma coisa de "família feliz". Acontecem algumas coisas interessantes e coerentes, algumas falas diretas que acabam sendo engraçadas, e em alguns momentos tem essa "brutalidade" que chega a ser diferente e positiva.
Infelizmente, o plot device simplista empregado tem sido o de apresentar personagens com Passados Trágicos (TM) e fazerem-nos passarem por violências, porque esse é um jeito bem fácil de levar uma história e promover a simpatia dos espectadores, né? Felizmente, o último episódio que assisti foi um pouco diferente, apontando uma direção pra conclusão da temporada e algumas pistas pra explicar a conspiração por trás das bruxas. Então, se isso acontecer, diria que Brynhildr é... Sólido. Decente. Interessante, pros padrões de anime de harém.




(Episódios assistidos: 8/25)

Aqui vai uma opinião potencialmente polêmica: Captain Earth, a despeito de ter sido promissor e eu mesma estava super ansiosa, tem sido apenas mais uma série de space opera bobinha"Bonitinha", como esperado do estúdio, "mas ordinária". É claro que estamos só no primeiro terço do anime, e apenas agora o próprio nome da série foi justificado. Acredito que tem chances de o ritmo mudar, mas por enquanto, acho que a melhor maneira de descrever é... sem sal. Muitos elementos clichês (o próximo episódio vai ter até idolssério?) e o fanservice faz tudo parecer um pouco apelativo. Não sei. Eu poderia até gostar, considerando que é bonito e não me incomodo de ver mais do mesmo de gêneros que eu gosto, mas a sensação de estarem copiando todos os elementos errados é forte. Talvez minhas expectativas só fossem altas demais. O elenco de personagens, em si, também não é ruim. O problema é o clima geral da série, mesmo, de apelação forte. Apenas torço por alguma grande reviravolta.



(Episódios assistidos: 8/26)

Ahh, Mahouka... É o que eu defino como "shounen demais pra eu gostar". Não é horrível, mas com o design pouco original ou atrativo, excesso de personagens estereotipadamente atraentes em cima do protagonista deslocado e super-incrível constituindo um harém sutil e, claro, o incesto obrigatório, também não dá pra dizer que estou gostando ou acompanhando com muito afinco, ao contrário da opinião popular, aparentemente. Nada contra esses fatores singulares (erm, exceto o incesto talvez) mas é apenas uma sensação forte de que eu não sou o público, o que me frustra porque eu poderia gostar bastante de Mahouka pela sua história, mas acabo ficando entediada ao assistir.
Então, se não fossem esses fatores, eu poderia até achar bem legal - apesar de tudo, os personagens tem seus momentos brilhantes, e a história não fica estagnada - mas em última análise é realmente "mais do mesmo", e eu já vi demais do mesmo pra sentir algo especial. Só está ali, meio que só estou tentando acompanhar pra não ficar muito por fora, é isso.


(Episódios assistidos: 21/21)

Tonari no Seki-kun acabou recentemente, e minha impressão passada permanece: Esse anime é muito, muito fofo, e por mais simplezinho que seja, é um anime de 8 minutos que funciona bem nesse formato. Foram poucos os episódios que me deixaram entediada; Na maioria dos episódios, fiquei entretida com as peripécias do Seki-kun, e consigo entender por que a Yokoi se mete nessas enrascadas. Aliás, acho que o fato de me identificar com a Yokoi contribuiu ainda mais para o meu apreço do anime num nível pessoal. No geral, nada marcante, ainda não acho a última bolacha do pacote de 2014, e acho sim que recebeu hype demais pra um anime de 14 episódios. Mas foi uma experiência positiva, e eu citarei Tonari no Seki-kun como um exemplo de anime bem-feito com formato de episódios de 8 minutos.



Esse post demorou muito, eu sei, mas finalmente saiu. Um comentário mais pessoal é que, no fim das contas, acho que todos esses que eu deixei pra falar depois são títulos mais "não ligo tanto, mas estou assistindo" - ao contrário da galera da blogosfera de língua inglesa, aparentemente, e talvez da blogosfera em geral, porque só o que ouço são bons comentários especialmente sobre Mahouka e NGNL. De qualquer forma, não são ruins, e eu diria que M3, sendo um 2-cour, ainda tem potencial pra se tornar um dos favoritos da temporada, pra mim.

De qualquer forma, espero que tenham gostado dos comentários, e sintam-se livre pra postar suas próprias impressões dos animes dessa temporada nos comentários!~ Até mais! ♡

4 comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkk, eu também estava acompanhando Tonari no Seki-kun, o anime é muito divertido, eu não estou acompanhando muitos animes, eu estou assistindo 3... Haikyuu, Mahouka e Kagami no Asobi. Mas quando a temporada acabar vou assistir outros. E porque eu n gosto muito de ficar acompanhando semanalmente, eu prefiro deixar o anime acabar e ir assistindo a temporada passada que já tem animes completos.

    Eu estou gostando muito de Mahouka, acho que é por causa do mistério que envolve os dois irmãos. E esse negocio de incesto é só uma brincadeira do cara, mas ela parece que gosta mesmo dele kkk.

    Haikyuu esta ótimo, ate porque gosto muito de animes com tema esportivo, a pressão em quadra, as estrategias, a qualidade daquela animação... Gostei muito.

    Kagami no Asobi teve uma estreia meio perturbadora... O enredo é ótimo mas aquele primeiro capitulo teve um fan service muito forte, e uma transformação a lá Sailor moon que me matou de rir kkkkk. Mas a partir do segundo o anime ficou mais normal e focou mais na história, agora estamos acompanhando para ver se os Deuses vão consegui se formar (Mas se esse anime fosse um Yaoi seria incrível - Pervertido mode ON) kkkkk.

    aTe+

    ResponderExcluir
  2. Ahh, que legal! Eu prefiro acompanhar, mas é difícil pra mim acompanhar tantos... Como falei no outro post, aconteceu de ter um feriado e eu ver "primeiros episódios" demais, mas prefiro acompanhar alguns poucos ou maratonar nas férias, porque geralmente não tenho tempo nem paciência. Se quiser, dá uma olhada nos outros posts! Tem alguns que estou adorando, e recomendaria fortemente, mas depende do que você gosta...

    Quanto ao incesto em Mahouka, eu concordo, mas penso que ele faça de propósito justamente por saber que é sério da parte dela... então, não é nem só o incesto que me deixa desconfortável, é essa coisa de "gostosão" dele. Não tolero harém assim (*´д`*)
    E achei a estréia de Kamigami no Asobi hilária! ♡ Ri demais justamente naquela sequência de transformação. Mas sim, foi perturbadora... como a maioria dos shoujos de harém reverso tendem a ser: muito colorido, muitas drogas rs. E por falar em yaoi, e aqueles episódios do Loki e do Baldr, hein? Eu esperava fanservice nesse anime, mas o discurso deles foi totalmente de casal, só eu achei isso? hahah

    Enfim, muito obrigada pelo comentário! Até mais!! (◕ヮ◕)ノ

    ResponderExcluir
  3. Olá, primeiramente gostaria de dizer que gostei muito de ler a sua opinião sobre esses animes, a maioria eu concordei com você, o único ponto que eu não concordei foi quando você falou de Gokukoku no Brynhildr, não sei se é por que quando você escreveu esse post ainda não tinha todos os episódios, mas esse foi um dos únicos animes que me pegou completamente, acho que posso dizer que sou meio que MUITO viciado em animes, mas tipo, a maioria como tu disse, apenas está la, que só estou acompanhando por acompanhar, muitos poucos animes que conseguem me pegar de jeito, acho que esses que conseguiram me pegar, que até me fizeram tremer de emoção foram esses Gokukoku no Brynhildr, Steins Gate, Initial D, Hajime no ippo(mangá), angel beats e shijou saikyou no deshi kenichi (mangá), tu pode até achar que sou meio doido por falar isso, mas por exemplo angel beats, foi um dos poucos animes que conseguiu me fazer chorar, Steins Gate (haters gonna hate) no começo não fui pego tanto assim, mas la pelo ep 5 quando a trama começou a se desenvolver, as coisas começaram a ser explicadas, fiquei tão ansioso que não conseguia esperar para ver o próximo ep.Também compartilho o mesmo sentimento que você tem com Mahouka, bem, não tanto, já que no dia em que estou escrevendo aqui (02/08/2014) foram lançados novos episódios e acho que a trama melhorou muito (mesmo tendo aquele cliche de harém e incesto que não suporto), só estou acompanhando ele pela animação que de fato gostei muito e por causa das lutas, que parecem ser bem boas. Outra coisa que eu queria dizer é que a respeito do Break dance, eu estava em duvida se deveria ver o anime ou não, afinal eu já tinha visto os filmes e tinha gostado muito (inclusive gosto muito de code geass também,na minha opinião mt melhor q death note), mas estava pensando se não seria apenas a história dos filmes só que em anime, praticamente sem cenas novas, mas já que pelo jeito tem muitas poucas cenas novas vou deixar para ver em um hora que eu tenha tempo livre. Bem, o que eu queria dizer era apenas isso, sei que você tem a sua opinião, respeito isso, afinal cada um tem seu gosto. Queria agradecer se você leu até aqui, já que esse era para ser apenas um desabafo meu, não tenho ninguém para conversar sobre animes =( . enfim, até mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ramon! Hahaha li sim. Eu leio todos os comentários aqui. Afinal, eu que devo agradecer por lerem tudo que eu escrevo! (E eu sei que escrevo muito, e muita baboseira também...)
      Então, primeiramente, muito obrigada pelo comentário! Fico feliz que tenha gostado do post. \(^▽^)/
      Olha, essas opiniões foram de quando os animes saíram. Realmente, eu me surpreendi positivamente com Brynhildr. Sei de muita gente que não gostou, mas eu pessoalmente gostei bastante, e mesmo não sendo de um estilo que eu costumo curtir (pelo harém e gore e coisa e tal) eu poderia dizer que, pra mim, é atualmente um dos melhores que já vi do seu estilo. Não cheguei a virar fã, mas só de lembrar os nomes dos personagens, e o que aconteceu, eu acho que já gostei mais do que de metade da temporada. :P Dos que você mencionou, eu só vi Angel Beats, que gostei bastante na época que passou, e um pouco de S;G, que ainda pretendo ver mais quando tiver um tempo. Mas realmente são bons animes, capazes de empolgar como poucos, entendo seu sentimento. ( ^ ^)b
      Ah, eu parei de ver Mahouka lá pelo ep. 12. Até tenho baixado e talvez termine um dia, mas pra mim estavam enrolando e enfeitando demais uma história que poderia até ter sido boa.
      Pelo que li de quem viu os filmes de Break Blade, o anime não vale a pena realmente, pois tem bem poucas cenas novas. Eu curti o anime, mas confesso que depois da metade ficou um pouco confuso de entender, talvez porque o formato semanal tira um pouco da atenção, então pretendo ver o filme depois.
      E quanto ao comentário, pode ficar tranquilo! Eu gosto de ler as opiniões dos outros, sobre animes e sobre as coisas que eu escrevo, e afinal tenho um blog exatamente pra poder conversar sobre isso também!
      Até mais, e obrigada pela visita! ( ´ ▽ ` )ノ

      Excluir