sexta-feira, 18 de abril de 2014

Primeiras Impressões: Temporada de Primavera/2014 - Parte 4: Sidonia no Kishi, Break Blade, Atelier, Blade & Soul, Ryuugajou Nanana no Maizoukin.


Primeiras impressões da temporada de Primavera/2014 
Parte 1 ✪ Parte 2 ✪ Parte 3 ✪ Parte 4

Finalmente o último post com as minhas impressões da temporada. Eu realmente não acredito até agora que eu tive que quebrar esse post em 4 partes para poder encaixar tudo! E aqui estão minhas impressões das séries que eu assisti por último - Sidonia no Kishi, Break Blade, Atelier, Blade & Soul e Ryuugajou Nanana no Maizoukin.

Todas, aliás, são séries que eu tinha expectativas no mínimo decentes ao assistir, e será que elas cumpriram as expectativas? Clique em "leia mais" para conferir!~





Sidonia no Kishi

Expectativa inicial: "Parece excelente, ótimo, incrível." ★★★★

Era uma das minhas grandes apostas da temporada, apesar de não ter lido o mangá; Com uma proposta interessante, a arte não excessivamente moe, e de bônus, abertura da dupla angela, provavelmente foi um dos títulos dessa temporada que eu mais hypei.
Agora, vou confessar: Eu não consegui prestar atenção no episódio inteiro. Simplesmente não consegui, porque a animação em CG - reminiscente daquela época em que diretores, crentes que o CG iria dominar o cenário da animação, faziam obras como Run=Dim - me desagradou profundamente. 
Eu acho que teria gostado bastante desse episódio, não fosse a animação em CG. A animação em CG é aquele tipo de coisa que eu não tolero bem, por melhor que a história seja. Porque é meio desajeitada, e é claro que é muito mais bonito do que, digamos, o que a tecnologia da época de Run=Dim tinha a oferecer, mas o movimento dos personagens humanos ainda é bem pouco fluido, por exemplo, entre outras coisas que me incomodam pessoalmente; Então, eu achei bom, mas acho que preferiria ler o mangá.
No mais, gostei bastante das músicas, e ainda acho que teria tudo pra gostar, não fosse a escolha da animação. Quem sabe num dia em que eu for mais tolerante pra CG...

Pretendo continuar vendo?: É... não.





Break Blade

Expectativa inicial: "Deve ser bom, mas o filme deve ser melhor." ★★★☆

Fazia tempos que eu queria ver o filme de Break Blade. Bastante. Ora não conseguia baixar, ora perdia os arquivos e não conseguia ver, e aí quando eu ia ver já tinham novos filmes, e assim foi e eu acabei não vendo nunca. Fiquei sabendo da adaptação para TV essas semanas, então obviamente achei uma ótima oportunidade de assistir. E eu devia ter esperado mais, na verdade, considerando que foi um filme famoso e um que eu já queria ver, mas por algum motivo não tinha muitas expectativas e ele me surpreendeu.
Pelo Estúdio XEBEC (To Love-Ru), Break Blade - o anime, ao menos - parece ser sobre um garoto que tem uma característica que uma pessoa em um milhão tem - ele é um "un-sorcerer", o que significa que ele tem uma deficiência raríssima. E isso é uma subversão interessante. Achei a personalidade dele - e, pra ser sincera, de todos os personagens até agora - insteressantíssimas, sem que precisem ser ser exageradamente excêntricas ou coisa do tipo, e a história bastante instigante. Pra completar, a produção é boa. Honestamente, foi um dos títulos que eu mais curti dessa temporada.

Pretendo continuar vendo?: Sim, com certeza. (A menos que eu acabe me apressando e assistindo os filmes...?)




Atelier Escha & Logy: Alchemists of the Dusk Sky

Expectativa inicial: "Adaptação de jogo é sempre pior que o jogo, mas eu não conheço o jogo, então." ★★☆☆

Ahh, Atelier. Atelier me deixou com pôneis na boca e um desejo grande de reblogar mil gifs de Alquimia Kawaii no Tumblr. Tudo é muito fofinho, a ponto de ser meio nauseante, pra falar a verdade. (Tipo, a voz da abertura é bem nauseante depois do primeiro minuto de música.) Mas é genuinamente fofinho.
Achei a história até interessante - e posso dizer já, ship da temporada? - apesar de, hã, não conseguir não associar com FMA com todo o papo de "renkinjitsushi" e "Central", mas acho que essa é uma associação boa. No mais, eu sempre quis conhecer um pouco mais da série Atelier, além do pouco que joguei do jogo de Nintendo DS, então acho que essa é uma boa oportunidade, apesar de ainda não ter parado pra ler o que os fãs dos jogos acharam.

Pretendo continuar vendo?: Talvez. É definitivamente bem bonitinho, então se sobrar um tempo...



Blade & Soul

Expectativa inicial: "Parece razoavelmente legal, se não bem clichê e meio shounen." ★★☆☆

O primeiro episódio de Blade & Soul foi... interessante. Eu não esperava isso de uma adaptação de MMO. Diferentemente da maioria dos animes dessa temporada, a maioria das terminologias e informações não ficaram totalmente claras no primeiro episódio; Na verdade, a proposta é até de apresentar um "glossário" no final do episódio, o que mostra que o universo é um pouco mais denso que a média (e faz questão de se deixar explícito - caham, Mahouka, não estou olhando pra você). Eu gostei da "chefe" da vila, e em geral foi um episódio bonito, apesar de a protagonista "cool" (kuudere? Talvez.) não me agradar.
Na real, não é tão shounen quanto eu esperava. A animação também é bem decente. Acho que, a julgar pela aparência do primeiro episódio, tende a ser acima da média, então pretendo dar mais uma chance pra entender um pouco melhor e ter certeza se quero acompanhar ou não.

Pretendo continuar vendo?: Eu não fiquei particularmente instigada ao final do episódio, mas também não parece que vá ficar ruim, então se sobrar um tempo, sim.


 


Ryuugajou Nananananabatmaaa no Maizoukin

Expectativa inicial: "Mais porcaria otaku sobre garotas fofas e bizarras." ★★☆☆

Porque não é sempre que você divide um quarto com uma jovem fantasma.
Ok, esse anime foi... uma surpresa pra mim, ao descobrir o timeslot dele no NoitaminA. Eu não fazia ideia disso até, bom, ver o titlecard no episódio. E como eu comentei várias vezes no blog, eu sou da época em que o NoitaminA era bom - eu peguei a inauguração desse slot com Shiki, poxa! - e portanto isso ainda conta pontos afetivos na minha primeira avaliação.
Enfim, Ryuugajou Nanana no Maizoukin. (eu não sei bem como abreviar isso.) Sinopse? É sobre uma garota-fantasma que vive presa em um quarto, comendo pudim e jogando videogames, e aí um garoto adolescente se muda pra esse quarto e... zzz. Honestamente, a primeira metade ou algo assim do episódio foi exatamente o grande tédio clichê que eu esperava.
Lá pela metade do episódio, porém, a coisa clichê mostra ter um outro lado - e esse outro lado seria fanservice abundante em 90% das séries com essa proposta, mas em Ryuugajou Nanana no Maizoukin é... um mistério, um passado complicado a ser desvendado, e amizades. A propósito, me lembrou AnoHana, tanto na apresentação quanto na história; Independentemente disso, achei bem adorável toda a sequência do caderno, da metade pro final, e fiquei com olhos mareados com a última frase. Foi uma surpresa agradável, e uma que eu estou ansiosa para assistir mais, pelo menos por enquanto.

Pretendo continuar vendo?: Provavelmente sim.


Ufa! Demorei, e mais ainda com os feriados, e minha coluna está me matando mas finalmente terminei. Confesso que deu um trabalho escrever isso tudo, mas fico feliz que tenha dado pra terminar antes do fim da segunda semana!
Espero que tenham gostado dessa série de posts, e que possa ajudar aí pra vocês decidirem o que assistir no feriado prolongado ou algo assim... Dica subliminar: Ping Pong!! JoJo!! 




Obrigada a vocês que acompanharam, e até a próxima resenha de um desses, quem sabe?~



P.S.: ... E aproveitem, porque eu prometo, prometo mesmo, que nunca mais vou fazer uma loucura dessas de ver e comentar quase 40 episódios aleatórios (acreditem, eu nem resenhei um par) quando não estiver de férias e/ou muito desocupada e/ou com uma conexão de Internet muito, muito boa. Mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário