terça-feira, 8 de abril de 2014

Anime: Kokoro Connect - "Tentando não fazer um Iori Nagase Appreciation Post."


Esse post é apenas para tecer alguns comentários sobre um anime que muitos gostaram, mas que simplesmente não colou para mim. À exceção da personagem cujo nome está no título, com a qual eu pude me identificar, torcer e que me fez sentir alguma coisa pela história num nível pessoal, nem que essa coisa tenha sido frustração.

Mas antes de começar, tenha em mente que essa resenha foi escrita por alguém que, em termos de drama e romance, tem mais experiência com (e prefere) um bom shoujo ou josei a um seinen a qualquer hora do dia, então se você tem um gosto diferente para esse gênero, sinta-se livre para desconsiderar minha opinião negativa. No meu caso, ainda que eu goste se for bem-feito (adaptações da Key, estou olhando pra vocês!) em geral não fazem meu estilo, e Kokoro Connect não foi uma exceção.

Histórico: Eu assisti o episódio piloto, bem como o primeiro episódio, de Kokoro Connect na época que saiu. Achei besta, mas assistível; Afinal, o estilo é bem moe, e o fanservice era genderbending - ou seja, troca de sexos, ou pra ser mais exata, trocas de corpo; Apesar de isso ser apenas a primeira "parte" do anime, na época ainda não sabíamos como seria o resto, mas presumi que seria um anime de romance e "moe". Então foi assim: assistível, mas não meu tipo.

Mês passado eu peguei pra assistir o anime todo; Não lembro por que motivo eu tinha metade da série no meu computador, e tempo livre, então decidi ver. Perguntando no Twitter, algumas pessoas disseram ter gostado, eu lembro de ter visto gifs no Tumblr e tal e... por que não, né? No fim das contas, Kokoro Connect me deixou com um gosto amargo do seu começo ao fim, mas por razões diferentes.



No começo, era por causa dessa proposta, que parece bem bobinha e mera desculpa pra fanservice; Conforme a história se desenrola, ela passa a ser um pouco mais aceitável, mas aí o que me irritou foram os personagens mesmo. Não que eles não sejam bons, mas dois dos principais - Inaba e Taichi - me deixavam com raiva, especialmente porque eu não conseguia ver sem pensar em como a Inaba tem todos os traços pra ser a queridinha do fandom de "otakus babões" e, simultaneamente (ou por conseqüência?), o tipo de personagem que eu detesto.

Ao mesmo tempo, tem a Nagase, minha rainha e musa desse post. Nagase é minha rainha porque nesse mar de personagens "moe" relativamente rasos, Nagase é a única com uma backstory mais complexa, uma identidade interessante e, além disso, Nagase faz os melhores comentários filosóficos no meio das conversas. Ela é inteligente, e às vezes demonstra uma sobriedade brutal, que são traços que geralmente me agradam e surgem como uma salvação nesse mar de kawaii. Porque, por mais que eu goste de moe e personalidades rasas no meu K-On! ou qualquer anime de criança, eu obviamente dispenso isso num drama, que é o que Kokoro Connect se propõe a ser. Nagase é essa bóia nesse barco furado de elenco, que se define pelos seus relacionamentos românticos... Mas prossigamos.

Fato é que drama costuma demorar pra engrenar, e Kokoro Connect não é diferente, só tendo começado a me surpreender, realmente, que eu me lembre, com o primeiro "comentário filosófico" feito pela Iori Nagase, lá pelo episódio 4. A introdução mais profunda ao personagem da Nagase, tão cedo na história - que se revelou muito mais legal do que a "moeblob" inicial - me deu esperanças de que algo similar aconteceria com o resto do elenco, mas isso nunca aconteceu. Não que eu não tenha gostado do resto do elenco (na verdade, até gostei da Yui e, apesar das minhas reservas pessoais, até do Taichi! Até do Aoki, que não cheira nem fede e é o Xaveco do anime!!) - é só que eles não foram tão bem desenvolvidos, frustrando minhas expectativas.



"Ah, mas os personagens, mimim..." Calma aí. É o seguinte: quando eu vejo um anime de drama, eu espero personagens cativantes, bem-construídos e com um bom desenvolvimento ao longo da série. Os personagens de Kokoro Connect tem algum desenvolvimento, ainda que não apeteçam ao meu gosto pessoal, mas dizer que eles são bem-construídos seria mentira. Todos advém de estereótipos - a "moeblob" feliz, Nanase, que subverte o seu estereótipo (e advinha se os otakus não a odiaram??), a "Yamato Nadeshiko ruiva" Yui, a "proto-tsundere" Inaba e assim por diante - e suas motivações (à exceção da Nanase, eu diria, sem querer puxar saco...) nunca são claras. Seria mais adequado dizer que as dinâmicas de relacionamento são boas e "realistas" - isso é correto. Já a parte do "cativante" é pessoal; Eu preciso dizer que não curto muito nenhum desses estereótipos - apesar de sempre curtir subversão de estereótipos! - e pessoalmente também não apreciei o desenrolar por motivos óbvios que quem assistiu sabe, então...

No mais, quem fala que é bom costuma dizer que "é bom para o gênero", que é uma comédia romântica voltada pro otaku babão médio público masculino "jovem/adulto", ou pelo menos eu acho que seria um seinen, e é exatamente por isso que eu expliquei no começo do post que essa resenha pode não representar uma opinião geral. Seinen simplesmente não é um gênero particularmente conhecido por "bom desenvolvimento de personagem e dramas" mais que por "peitos pulando". Claro que há exceções, e é um gênero que eu costumo gostar por várias razões, como comédia ou temas filosóficos, mas romance não é uma delas. Então... yeah...


E além dos personagens, a história em si também frustrou minhas expectativas. Afinal, o mistério que foi criado no começo tinha bastante potencial, mas nada foi devidamente explicado - e, não fosse pela Nagase, eu provavelmente não teria motivos para terminar o anime. Pra não ser injusta, eu preciso dizer no que Kokoro Connect tem muito sucesso, que é a sua proposta. A proposta, a princípio, parece besta - coisas misteriosas que expõem as "almas" das pessoas de um certo grupo, umas para as outras, começam a acontecer sem um motivo aparente.


É no meio desses acontecimentos "sobrenaturais" e misteriosos (ou por causa deles) que se desenrola o drama de Kokoro Connect, e o drama é exatamente o que essa exposição causa. Como você se sentiria se, de repente, você estivesse no corpo de outra pessoa, e não tivesse nenhum controle sobre isso? Se você voltasse a ser criança por algumas horas, ou se pudesse ouvir pensamentos?... Obviamente isso acontecendo de maneira regular e desordenada não seria algo fácil de se lidar, mesmo para um grupo de jovens, e é isso que acontece.

O fato de não ficar tudo cem por cento claro nem no final é até aceitável. Afinal, a dinâmica de funcionamento básica desses "mistérios" é justificada. E ei, quantas coisas na vida não são cem por cento claras? (Eu sei, esse pensamento não é muito válido, mas me ajuda a entender quando um anime não explica tudo "de bandeja".) Pelo menos, se tudo ganha uma explicação mais ou menos lógica, então também não é "fanservice gratuito". Eu consigo lidar com esse nível de esclarecimento. Mas ainda assim, você sabe... Isso é só uma "desculpa" pra não ser fanservice gratuito.

Quem vai dizer que coisas como trocar de sexo e virar uma criança fofinha não acontecem apenas pelo apelo do fanservice? Você pode culpar o causador disso tudo, que é o Fuusenkazura, como um psicopata fetichista, mas nós sabemos, lá no fundo, que qualquer personagem é só uma manifestação da vontade dos roteiristas. E bem, esses acontecimentos são o enredo. E aí temos coisas como escutar pensamentos acontecendo também, afinal, um lado mais dramático também é conveniente pra um drama. Então, sei lá... por mais que tenha sido divertido - ainda que não o meu tipo de diversão - o enredo simplesmente não tem como colar pra mim.

Fora isso, valores de produção: medianos. Estúdio Silver Link (Baka to Test to Shoukanjuu, Nourin) é um estúdio relativamente pequeno, que merece algum mérito pelo que faz, mas ainda assim, a animação não é fascinante. Ao contrário de um BakaTest, por exemplo, que tem uma direção de arte ótima que compensa a falta de dinheiro, Kokoro Connect tem uma apresentação bem convencional, e além disso, usa um character design naquele estilo "moe" que virou assinatura do estúdio Kyoto Animation, uma vez que a arte é de Yukiko Horiguchi (K-On!, Tamako Market) mas sem a mesma $$$$graça$$$$. Acaba ficando aquém das expectativas por esse motivo, mas ainda assim é bem razoável e tem seu mérito.

Então, pensando e repensando, meu diagnóstico é de que Kokoro Connect fez tanto sucesso apenas porque tem muito otaku babão no mundo. Character design moe, drama raso, personalidades apelativas pra otaku babão, envolvente porém esquecível. Não é horrível, e é envolvente sim - ainda que tenham algumas razões clichês aí no meio, como o triângulo amoroso - mas também não vejo como justificar qualquer sucesso para além do seu nicho. E, bem, eu acho que não sou esse nicho. Acho também que posso ter soado injusta aqui, porque não achei horrível, mesmo, apenas indigno de hype. Bem mediano. Enfim, #opiniões.

9 comentários:

  1. Respostas
    1. Muito obrigada, Rayssa! Fico feliz que tenha gostado. :)

      Excluir
  2. Nossa... Você realmente escreve bem, gostei mesmo.
    Passei mais cedo aqui no blog para conferir as atualizações e vi esse post, comecei a ler e quase terminei, mas tive que sair kkk, mas voltei e terminei a leitura, você escreve muito bem.
    Deu vontade de conferir o anime, acho que vou ver no feriadão.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, muito obrigada mesmo! :') Fico feliz de verdade quando leio comentários assim. O anime é curto (é 1-cour e tem mais 4 ou 5 episódios pra concluir a história), então deve dar para ver tranquilo no feriado. ;) Sempre bom poder julgar por si, e se você gosta de SoL/romance com fantasia, pode ser que você goste!
      Abraços,

      Excluir
  3. Sem comentarios, Taichi tem um sonho com a Iori q da a entender q vao comecar de vez a namorar ai fica com a Inaba sem motivos aparentes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lucas! Primeiramente, desculpa por tardar a te responder. Sim, concordo. Taichi foi ridículo e foi o romance deles o que eu menos curti no anime, feliz que concorde!

      Excluir
    2. Na verdade não tinha motivos para o taichi ficar com a iori.Você vê que ele começa um relacionamento com ela por causa da inaba que fica insistindo nessa idéia, mas tirando o fato de ter dito que gostava da iori, o taichi nenhuma vez demonstrou isso e a própria iori não demonstrava.É só lembrar que o taichi até tinha dito que reconheceria a iori não importasse o quanto mudasse(pouco clichê de animes isso XD), mas ainda na troca de corpos a iori finge ser a inaba e o taichi nem percebe. Porém lá no arco dos sentimentos que eram manifestados,no primeiro ep se não me engano, a inaba tenta beijar o taichi mas é interrompida. Nisso, você já percebia que a inaban gostava do taichi. No final deste arco, o grão coração encarna na iori e fala que o taichi tinha caído, ali vemos a desconstrução da personagem fria que a inaba supostamente era, ela está com os demais observado o taichi e começa a chorar sem parar, feliz por ele estar bem. Enfim, eu conheci o anime por acaso e foi um ótimo achado, estava com saudades de ver algo desse genero desde a vez que assisti amagami ss e fiquei feliz pela a inaba ter terminado o anime com o taichi, gostei de ter sido enganado pela intro que demonstrava o taichi de mãos dadas, supostamente com a iori XD.

      Excluir
    3. Entendi. Na verdade, eu não gostei da Inaba por motivos menos morais e mais de não gostar da personalidade dela, mesmo (empurrar quem você gosta pro seu amigo é bem idiota, não?) e também por achá-la um estereótipo clichê e que não se desconstroi. Gostei da Nagase justamente porque ela demonstra profundidade na caracterização. Mas foi só.
      É, muita gente que assistiu Amagami SS gostou de Kokoro Connect, do que lembro. É um gênero de anime semelhante (seinen de romance, ou shounen, digamos) e até o character design, cores e tal se assemelham um pouco; mas pessoalmente eu não curti *tanto* e acho que fui muito mimada pelos shounen de romance do começo-meio dos anos 2000 (KdNE, Clannad, etc...) pra gostar dessa nova tendência, sei lá.
      Obrigada por sua visita e seu comentário, Wesley! Até a próxima! o/

      Excluir
  4. Encontrei o anime por acaso e achei muito bom, a fase da troca de corpos é bem engraçada, mas gostei que o anime não tenha ficado só nisso, foi bom ver que alguns personagens tinham seus problemas e foi bom ver eles sendo resolvidos. Achei interessante também que no geral você goste dos personagens, mas em momentos específicos você torça para algum deles.

    ResponderExcluir