terça-feira, 11 de março de 2014

Impressões de meio (final?) da temporada de Inverno/2014: Buddy Complex, Noragami, Tonari no Seki-kun, Pupa, Strange

Foi uma temporada legal também. (R.I.P. ;_;)

Oláa! Aqui estou eu postando minhas impressões do meio da temporada de Inverno/2014. "Meio?" É verdade que já se passaram três quartos da temporada, mas posts de meio de temporada são muito batidos, certo? Afinal, o que você sabe no meio-final da temporada certamente é mais do que você sabe no meio da temporada. Então, mais informação.

Ou talvez, talvez eu só tenha enrolado demais esse post, pra variar um pouco.

Primeiramente, as séries que eu estou acompanhando no fim das contas: Da temporada, acabei pegando para acompanhar Buddy Complex, Noragami, Strange+, Tonari no Seki-kun e Pupa. Outros que eu disse que estaria seguindo, mas acabei não vendo, foram Space Dandy - que eu desisti de ver lá pelo episódio 4 ou 5, porque realmente não estava me entretendo - e Nobunaga the Fool - que eu acabei não vendo além do episódio 1, simplesmente porque sempre me esquecia, simplesmente porque não parece ser muito comentado. Apesar disso, achei bom, e até penso em assistir quando terminar, mas de qualquer forma...


Buddy Complex

Enfim, Buddy Complex. Eu já fiz um post falando bastante sobre o quanto eu estou adorando Buddy Complex. Eu continuo adorando Buddy Complex. Apesar de achar que o final está caminhando mais pro "idiota" do que pro "bem-montado", talvez numa tentativa de ser impactante, e as teorias mais plausíveis meio que já foram ralo abaixo, então não sei mais o que esperar. Além de, bom, esperar que o final seja legal.


Noragami

Noragami foi um anime que eu queria gostar mais, mas só tenho achado "OK". Pra falar do lado bom: O anime é bonito. A animação é bem decente, o character design me agrada, pessoalmente gosto bastante da abertura. Os personagens também me agradam, no geral: A protagonista é a típica protagonista chata desse tipo de "shounen pra garotas", o personagem mais legal é o Yato, e o Yukine é bastante irritante mas eu adoro a existência dele por de alguma forma me identificar com os seus sentimentos.

Na verdade, ouso dizer que a relação (meio paternal) do Yato com o Yukine é a coisa mais interessante do anime, e levando em conta que ela está chegando a uma conclusão ao mesmo tempo em que o anime está (ou pelo menos essa temporada?) acho que isso é intencional. A relação dos dois é muito bonitinha, e os sentimentos do Yukine são relevantes, e uma temática insuficientemente explorada em anime, se você me perguntar.

Mas fora isso, acho que a história é decente apesar de abaixo do que eu esperava. Naquelas - a idéia é boa, mas a execução é bem dumbed down pra ter um apelo demográfico mais shounen, e simplesmente funciona, mas não é o que teria potencial pra ser. O que pode ser bom ou ruim, dependendo do que você gostar de assistir.


Tonari no Seki-kun

Tonari no Seki-kun é bonitinho. É definitivamente bonitinho, bom ship, só por isso que eu estou vendo. É engraçadinho e pra um anime de 8 minutos, digamos que os personagens se desenvolvem e coisas acontecem, digamos, pra um anime de 8 minutos?

Só acho que... tem hype demais em volta. Eu vejo muita gente falando muito bem de Tonari no Seki-kun, mas ainda acho que é outro caso de "shounen demais pra mim". O que quero dizer é que diferentemente de outros não achei aquilo tudo, mas agrada muita gente apenas pelo estilo descompromissado e episódico, ... mas eu não sou uma dessas pessoas.

Ignorando isso, é bonitinho. Seki e Yokoi: São meio irritantes, mas são crianças, então isso faz sentido. E hmm, eu gosto de ver como eles se desenvolvem e conhecer mais sobre eles. Por exemplo, gostei bastante do episódio da borracha, em que mostra Seki interagindo com outras pessoas. Acho que o fato de desconhecermos a vida deles além do que se passa naquelas duas carteiras acrescenta à série, porque nos deixa curiosos. Aliás, quanto às carteiras e as brincadeiras do Seki e tal, eventualmente surgem algumas idéias bem criativas. Então, é legal. Bonitinho. OK.


Strange+

HAHAH, eu realmente estou acompanhando isso. Desculpa, universo. Strange+ é muito legal.

Semanalmente, eu comento o seguinte: Eu não entendo como um mangá é publicado durante mais de uma década, 13 volumes, nunca é traduzido por scanlator ou empresa nenhuma - nada (sim, eu fui procurar com carinho porque quero ler) - nada se fala sobre ele, e aí ele ganha um anime de 12 episódios de 4 minutos, só pra não dizer que não tem anime, ou algo do tipo. É como se ninguém gostasse, mas ao mesmo tempo, o anime tem arte de artistas como Yun Kouga e naked ape.

E se você for ver, dá pra entender por que esse status tão... underground. Porque Strange+ é, de fato, bem estranho. Uma desculpa pra fujoshibait nível "o mais bizarro possível". Ah, não tenho a mínima idéia de como o anime se compara ao mangá, mas o anime não tem muita coerência. A idéia me lembra vagamente GetBackers, mas o resultado é, hã, bem diferente. Eu estou gostando simplesmente porque gosto desse nível de "gag josei bizarro repleto de estereótipos de shoujo", mas ei, reconheço que não é pra todos os gostos, e provavelmente não admitiria meu gosto em público.



Pupa

Hahah, eu realmente estou acompanhando isso.... por motivos certamente diferentes... Então, diferentemente de Tonari no Seki-kun (e eu não vou nem falar de Strange+ aqui porque aquele anime simplesmente não faz sentido) Pupa é um anime curto que ainda assim se propõe a ser uma série, contar uma história e coisa e tal, ... ainda que a história seja meio confusa pelas limitações de tempo - sinto que o mangá é melhor nesse aspecto - e funcione mais como uma desculpa pro fanservice e o gore.

Só o que eu acho é que Pupa consegue fazer bastante em, sei lá, 4 minutos? Consegue ser surpreendente, ter alguma coerência ao tentar contar uma história. Eu acho o gore interessante, mas talvez seja só eu. Então, eu acho que... "interessante" define. É relativamente original. Me deixa curiosa o suficiente, e foi por isso que eu vi 9 episódios com aqueles sentimentos de "eu não acredito que estou vendo mais disso - ugh - isso é tão horrível - ugh, tão experimental". Não sei se... recomendo... (pode ser bem traumatizante.) Curiosidade matou o gato.



Bem. É isso que eu tenho acompanhado, e estas foram minhas impressões. Fora, é claro, Samurai Flamenco, que eu continuo não entendendo nada como sempre, mas já entendi que isso é algo bom.

(Com o tanto de séries bizarras que eu tenho acompanhado, não me surpreenderei se no final do trimestre tiver uns neurônios a menos, mas estamos aí.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário