sábado, 22 de fevereiro de 2014

OVA: Death Billiards - Profundo sem ser vulgar.


Venho aqui deixar uma resenha de um anime - mais precisamente, um filme - que estava no meu radar desde antes mesmo de sair, mas que eu só vim a ver recentemente por algum motivo, fiquei muito satisfeita, e resolvi deixar uma nota aqui porque realmente gostei e recomendo.

O filme - que na realidade é uma espécie de curta, já que só tem meia hora de duração - se chama Death Billiards, e foi feito pelo maravilhoso estúdio Madhouse como parte do projeto Anime Mirai 2013, que também financiou a produção de Arve Rezzle pelo estúdio Zexcs (Suki-tte ii na yo.) - o qual vi e também fiquei muito satisfeita, por sinal, - Ryo, do estúdio Gonzo (LOLGONZO Last Exile), que parece ter críticas menos favoráveis, e Little Witch Academia, do estúdio Trigger (Kill la Kill) o qual não vi mas pretendo ver depois destas experiências, mais ainda levando em conta que ganhou uma continuação.
Ufa.

O título pode parecer bizarro ou pretensioso, mas Death Billiards é exatamente o que o título diz. Em um bar misterioso, duas pessoas se encontram - um homem de 30 anos, e um idoso lá com seus 70; Há ainda dois funcionários no bar, uma mulher e um bartender; Nenhum dos personagens tem nome além destas definições, e é uma daquelas histórias que se dão em uma sala fechada, na interação entre os personagens.



Quando questionados pelo bartender do local, ambos os visitantes declaram não saberem como estavam ali; Apenas estavam, e após isso são convidados então a jogar um jogo. "Joguem como se estivessem lutando pelas suas vidas" é a orientação dada pelos funcionários. O jogo a ser jogado é sorteado em uma roleta muito duvidosa, e aí começam as questões de Death Billiards.
As regras não são claras, as coisas não acontecem conforme o planejado, e como diria o bartender, "a vida não é justa".

No jogo de bilhar, os dois personagens principais vão se apresentando, falando de suas vidas, e o espectador é levado a pensar sobre estereótipos de idade, relacionamentos, questões morais, vida e morte. Com menos de meia hora, Death Billiards explora a perspectiva humana de uma maneira que muitas séries completas falham em conseguir. Não é aquele tipo de análise (do humano) que é exteriorizada, gélida e reflexiva, comum do gênero "psicológico" - e nada contra esse tipo; Apesar de não ser do meu gosto pessoal, tem seu mérito, mas já aviso que não é isso porque Death Billiards é essencialmente uma narrativa focada nos personagens. Ainda que tudo seja propositalmente vago, o curta simplesmente apresenta questões pessoais, e como os personagens lidam com elas, misturando nisto a temática da vida e a morte.

O resultado final, do texto e caracterização à animação belíssima, é muito bom.


Como a maioria das coisas que eu gosto, não é pra quem gosta de narrativas densas mais do que caracterização densa. Segundo alguns, é um anime "maduro". Uma reclamação pessoal que eu tenho a fazer é o fato de Death Billiards ter ter uma nota relativamente baixa no MyAnimeList. Lendo as resenhas, isso pareceu mais justificado. Quem gostou simplesmente não dá 10 "de graça", e quem não gostou apresenta umas críticas bem infundadas, coisas como "não entendi" - realmente não tem muito o que "entender", é bem simples - ou "é curto demais", ou "não gostei do estilo (visual)".

O único ponto realmente válido que eu vi foi um comentário de como o anime "fede a religião". De fato, pensando agora, Death Billiards apresenta uma perspectiva religiosa num sentido amplo, apesar de maneira alguma ser ingênuo, nem esfregar religiões específicas na cara. Mas, se você é alguém que ativamente rejeita o conceito de religião, provavelmente também não vai ter um apelo tão grande... Talvez.

Só o que eu posso afirmar é que gostei bastante de Death Billiards. Me fez ficar pensando depois, o que eu considero bom. Recomendo muito pra quem fica pensando na vida. Food for thought em 25 minutos de puro deleite estético.

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Eu sou ateu mas acho muito interessante coisas que me lembram religião,céu e inferno. Então logo de cara gostei. Mas fiquei com uma dúvida de quem foi para o céu ou inferno, o que o velho deve ter falado,e porque ele sorriu no elevador...Espero encontrar teorias mais a frente.

    Seu blog parece ser muito legal,darei mais uma fuçada kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, acho que também vale! Imagino que seja difícil de engolir apenas pra quem é averso a temáticas religiosas.

      Olha, eu confesso que não li muitas teorias, mas pra mim - ainda que seja propositalmente ambíguo, uma espécie de Dom Casmurro - ficou bem claro que o idoso vai pro inferno... o motivo pra isso sendo as coisas que ele fez no passado, e que são mostradas apenas no desfecho. Chegar a essa conclusão foi mais uma questão de interpretar a forma da narrativa, do que propriamente ler uma resposta na narrativa. Mas podem ter outras. Se achar mais teorias assim, por favor compartilhe! (:

      E muito obrigada pelo elogio! Fico realmente feliz que tenha gostado do conteúdo! ^_^ Sinta-se livre pra fuçar mais, hihi

      Abs,
      - Chell

      Excluir
  3. O Death Billiards é só um episódio especial de um mangá que agora tem adaptação para anime. O anime já lançou o primeiro episódio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela informação! Desconhecia a existência deste mangá totalmente. Do anime até sabia, e comentei aqui no blog sobre minhas grandes expectativas, até: http://notloli.blogspot.com.br/2014/12/minhas-expectativas-para-temporada-de.html (^_-)
      Abraços e até mais!

      Excluir