quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Samurai Flamenco 14 - Akira Ishida agregando valor

**Casual**

Então, resenha do episódio 14, só porque eu prometi que a resenha viria antes do 15. Coisa que eu obviamente não ia cumprir, mas ei, ainda não saiu o episódio 15 no site em que eu baixo, então está tudo certo. ♥
Esse episódio foi um pouco... uhn... . Algumas pessoas parecem ter achado a última bolacha do pacote. Eu achei mediano-ok, mas resumiria facilmente nos últimos 30 segundos, porque essa cena, simplesmente.

O episódio começa mostrando o aviso de Mazayoshi do ponto de vista dos políticos - lembra da galera importante que tinha direito a fugir antes do povo?, - que estão em uma reunião e de fato não ficaram felizes com a situação. Pra piorar: Logo depois do anúncio, os celulares de todos os políticos, entre outras pessoas influentes - como pessoas responsáveis pela economia e a mídia do país - começam a tocar. A voz da ligação se identifica como sendo From Beyond, e avisa que o bicho vai pegar, o Mal vai triunfar, e o Bem vai falhar. Verdade.

Membros de From Beyond começam a se apresentar um por um, no telefone, com nomes ridículos tipo "Killer Ballerina" e "Beauty Slime", e o timing das ligações leva os políticos a desconfiarem que Mazayoshi estaria trabalhando a serviço de From Beyond. Isso, somado à situação caótica em que estão as coisas, acabam pesando para Mazayoshi pagar o pato.

Protestos acontecem por conta do anúncio, e a polícia tem dificuldade para contê-los. Através dos dados, o governo descobre que 65.523 chamadas foram realizadas, e Mazayoshi repara que esse é o número de membros do From Beyond que ainda estão vivos, à exceção de um. Dun dun dun. A polícia fica encarregada de investigar a situação, e de... defender o país do recém-declarado Estado de Emergência Nacional. Proteger o país, isto é, em detrimento dos civis, que continuariam presos lá.

"Se aquieta, hómi"

Isso tudo obviamente não agrada a Mazayoshi, que estava pronto pra começar mais uma fala moralista, até levar um bitchslap do Primeiro Ministro nessa cena maravilhosa., que manda ele basicamente parar de arranjar problemas. Adorei ver como a situação muda quando Kaname e os outros Flamengers não estão juntos, de "por favor nos ajudem" pra "tapa na cara, trouxa!", mas enfim.

A gerente de Mazayoshi, Ishihara, logo chega de carro para buscá-lo, e com Konno - saudades! - na direção, os três vão até o apartamento de Mazayoshi. Lá, eles discutem o que raios o governo está fazendo - incluindo bloquear estradas, deixar milhares de pessoas em situação de risco, e todas as porcarias de não saberem lidar com uma situação de, oh, uma organização maligna atacando o país - e Mazayoshi volta a ter uma crise, dizendo que se sente culpado por não ter evitado isso tudo fazendo o aviso antes. Ele decide, então, fazer um segundo anúncio público na Internet para amenizar a situação.


E aí ele começa a fazer um anúncio. Um anúncio importante.

Falando, basicamente, que ele é culpado por aquela bagunça e pedindo desculpas - what? Minami Minegishi-feelings? - e aí começa a falar que gostava de super-heróis quando era criança...
"Desde pequeno eu queria ser isso, mas eu descobri que não é bem o que eu pensava - não importa qual seja a sua carreira, é a mesma coisa - eu não sei o que fazer"

Pensem agora que o roteirista desse trainwreck escreveu isso.

Pessoalmente, achei hilário o discurso todo passando com uma melodia meio ballad ao fundo, uma coisa melancólica, falando da oportunidade que ele teve de enfrentar monstros, mas enfim. Ele também fala algo sobre poder contar com a ajuda da nação, a Grande Nação Japonesa que foi ensinada pelos super-heróis a ser Boa e Correta, e aí ele solta a bomba - de que no dia seguinte de manhã haverá um ataque em massa de From Beyond, e que conta com a participação de todos pra serem fortes e defenderem as pessoas mais fracas e queridas a eles.

A cena muda pra Goto - que está assistindo ao anúncio - e Mari - que por algum motivo está agarrada nele.


No dia seguinte, encontrando-se com os outros Flamengers, Mazayoshi pergunta se as evacuações para as pessoas que cada um escolheu deram certo. Ficamos sabendo que Megane-kun e Momoi - que eu chamo assim por motivos de praticidade e pura preguiça de olhar no MAL - não conseguiram convencer as pessoas a se separarem, Azul (quem?) chamou seus amigos, e Preto (ainda quero saber seu nome!) (ok, é Anji) ajudou o avô. Kawaii. Enfim, e aí Mazayoshi declara, heroicamente, que precisam salvar a todos. Wooo. O relatório do dia diz que está tudo em ordem; Pessoas estão evacuando calmamente, sem maiores revoltas, pra alegria geral. Tudo certo, hora de fazer as coisas, ok!...

...E enquanto isso, depois de ver o anúncio público, Goto decide ir embora, e quando Mari pergunta se ele vai abandoná-la ele diz que "pessoas irão buscá-la"; E aí surgem Moe e Mizuki, pra conversar com Mari. A cena corta para Goto andando na rua, decidindo que precisa comparecer na polícia, e fazer algo quanto a essa Grande Batalha. Aliás, ambos - Goto e Mazayoshi - tentam ligar para o outro ao mesmo tempo e desistem, com o anime jogando na nossa cara que eles tem essa conexão assim.


Ah, e Goto menciona o gorila.

Depois dos comerciais, enfim, começa a Parte Tokusatsu do episódio.. Temos a batalha com as criaturas com nomes estranhos, na qual os Flamengers - pela primeira vez, talvez? - trabalham efetivamente juntos pra derrotá-los. Enquanto nas fronteiras das cidades a luta fica por conta dos Flamengers, dentro das cidades, conforme ordem do Primeiro Ministro, fica por conta da polícia - Goto incluso.

Conforme ele avisou, armas de fogo não funcionam muito bem contra From Beyond, e com isso quero dizer que elas não fazem praticamente nada pra evitar que eles avancem sobre a cidade. Pra completar, evocam uma outra criatura bizarra que se identifica como um aparelho de Destruição em Massa do Japão.


D-d-drill

Mazayoshi e Megane-kun Hekiru concluem que, se essa criatura usa uma escavadeira pra atacar, o objetivo é provavelmente fazer o Monte Fuji entrar em erupção. Para impedí-lo, todos começam a atacar a criatura, que muda pra sua Outra Forma. Mazayoshi sugere então que eles se combinem naquele Flamen Robo, o que não dá muito certo, e eles estão tendo problemas, até que...

Até que aparecem Amigos Ex Machina, incluindo Kaname e Harakiri Sunshine (não, eu não entendi, e nem tentei entender) pra ajudar aos Flamengers e a polícia, inclusive salvando Goto no último minuto. :') Kaname explica que sumiu porque achava que precisariam de aliados, o que rende um mini-surto de fanboy do Azul-tan.

Você não imagina o quanto.

Eles lançam o Flamen Robo. E etc. Etc. Tudo parece bem. Fighting for their friends. E aí...

O telefone toca!

Telefonema, eu juro, é o maior plot device de Samumenco.


Surpreendentemente - hahah, não - é From Beyond. Mais especificamente, o Último Membro do From Beyond. Mais especificamente, a voz do Akira Ishida bb. ♥ Esse tal membro pede pra se encontrar sozinho com Mazayoshi, aquela coisa toda. Ele prontamente aceita, e conhecemos o Último Membro.

E ele é, dun dun, Mazayoshi com a voz do Akira Ishida! Beyond Flamenco.

"Fica a pergunta: Mazayoshi vai ser obrigado a destruir seu clone?" - alguém no Tumblr.

E o episódio termina assim, porque ... porque cretinos, né? Felizmente eu vi super-atrasada, o que significa que logo mais deve sair o 15, porque eu ia ficar meio chateada se tivesse que esperar uma semana nesse clima de "Mazayoshi com voz do Akira Ishida!!". O episódio todo foi morno, mas esse final, hmm, acho que uma parte de mim morreu aí. É nessas horas que eu fico feliz de ainda estar acompanhando Samumenco, por mais que nada faça sentido e tudo mais.

Porque eu acho que poucos animes colocariam um clone do bishounen principal com voz do Akira Ishida no meio da série. Só acho.

Obrigada por ser bizarro, Samumenco. Esperando coisas boas do episódio 15; Por favor não decepcionar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário