sábado, 30 de novembro de 2013

Samurai Flamenco 8 - Viva Torture!

What the fuck desu~

Esse tem sido o anime mais bizarro que eu já vi na vida.

Essa é a resenha. É isso. Acabou.
Veja bem, eu vi Evangelion, eu vi Dokuro-chan, eu vi muita porcaria na vida. Sou grande fã de Code Geass, e acompanhei fielmente todos os plot twists semanais da segunda temporada. Samurai Flamenco, porém, tem superado todas as minhas expectativas.

"Você já se sentiu atraída por rinocerontes?" - Monster of the Week, Samurai Flamenco, fins de 2013.

Eu passei 22 minutos e 55 segundos tentando entender o que diabos eu estava assistindo exatamente - é um anime de tokusatsu? Um grande sonho? Uma paródia? Uma construção que precede algo terrível pra partir o coração de todo mundo?? Ainda não sabemos.

O que eu vi, de fato: garotas mágicas, super-herói, anime-tokusatsu bonitinho com paródias, armas engraçadas, mensagens crípticas - o que foi aquela mensagem da suposta-namorada do Goto no fim do episódio, afinal? Aliás, o comentário da Samurai Girl ficando entediada me preocupa. Ela tem uma coisa Suzumiya nela...

  
Quem aqui está com medo do que pode acontecer quando a Mari cansar? Eu, com certeza.

De qualquer forma, o episódio em si: foi legal, repleto de clichês, mas eu não faço a mínima idéia do que se trata.

Vamos falar de coisa boa. O episódio começa com uma reunião bizarra em uma cúpula de governo (quando o problema social de um anime chega na cúpula de governo é quando a gente sabe que a coisa já passou do limite.) e logo corta pra... uma luta contra um monstro, com a participação de Samurai Flamenco, e a entrada triunfal das Flamenco Girls.
Aliás, as Flamenco Girls conseguiram definir as seqüências de transformação delas.

NEKOS.

Na batalha, uma das armas do Samurai Flamenco falha, o que pode ou não vir a ser um plot point, dada a reação do empresário-pesquisador-Quem, Mesmo? sobre isso, mas eu estou chutando aqui.
Por falar em chute, entre outras novidades - e clichês que esse episódio agregou - Samumenco agora tem uma nova técnica conjunta com a Flamenco Diamond - vulga Mari, - o "Double Flamen Kick".


Ao longo do episódio, eles batalham mais alguns inimigos, que são tipo monstros-kamikaze que gritam "Viva Torture!" e explodem quando estão prestes a morrer, assim como o famigerado gorila do episódio anterior. E que, estranhamente, são mais fracos do que ele, conforme o próprio Goto nota.

Deixa eu repetir: eles batalham mais alguns monstros-kamikaze.
... eu não estou conseguindo levar a sério essa resenha.

Eu literalmente não sei mais o que eu estou vendo.


Eles simplesmente ignoraram o elefante rosa que eles colocaram no meio da mesa de jantar - sério, por que aquele gorila-guilhotina não foi sequer explicado, exceto por uma menção do Goto de que ele, ironicamente, era mais forte que os oponentes desta semana? - e focaram na aclimatação de anime de ação e magia pra essa semana.

Os monstros gritam Viva Torture!, e eu não consigo nem decidir se isso pode ter um significado especial - por exemplo, o de que o "viva" venha do Espanhol, assim como "flamenco", e o Mazayoshi seja realmente um garoto espanhol loirinho. Desculpa, viajei. - ou se é só eurofetichismo, mesmo.

Ok, legal, então essa história toda de monstros não faz sentido, não precisa fazer. Mas precisa mesmo aumentar o nonsense com um discurso humanitário voltado pros monstros e jogado no meio do episódio?

"Como assim?"

  

No meio do episódio, o Mazayoshi confessa que se sente culpado com as últimas ações, apesar das vitórias inegáveis, por causa dos mortos. "Que mortos? Não houve nenhum", o Goto fala, e ele diz que houve sim - os monstros morreram.

Aí vem uma parte que eu achei particularmente interessante. No que Mazayoshi explica esse dilema moral, porque ele é basicamente a criatura mais boazinha do universo - a possibilidade de que eles fossem de fato inocentes, e tivessem sofrido uma lavagem cerebral pelo King Torture, e de onde ele tirou que o King Torture é um tipo de vilão que pega monstros prontos de algum lugar e faz lavagem cerebral de alguma forma é algo que nunca saberei! - a cena acaba cortando para um vilão, que conforme descobrimos mais tarde, é o segundo monstro da semana, demonstrando que isso de fato acontece. Ele é um pião, e o discurso dele é típico "afetado por lavagem cerebral". Eu acho que isso só reforça a teoria de que o Mazayoshi é quem está criando o restante da história, mas eu ainda não saberia chutar de que forma isso se dá.


Falando nisso, nesse episódio, também tivemos um pouco mais do King Torture. Uma ou duas cenas curtas, mas que mostraram um pouco de como ele atua - de um jeito clichê, provavelmente propositalmente.
Eu estranhei especialmente quando ele fala que "todos os seus valentes esforços são keikaku doori parte do meu grande plano". Eu acabei interpretando isso pela ótica da metalinguagem, lembrando daquele post no Tumblr  - e tantos outros, na verdade - supondo que foi tudo planejado pela equipe de produção do anime. Eu não sei se isso é verdade, mas é uma ótica. 
Outra, é a de que ele realmente é um vilão que está manipulando o pobre Mazayoshi. ;_; 

Aliás, a sala onde ele fica é assustadora. Tem mais corpos com uniforme de Samurai Flamenco do que o Goto tem revistas com a cara do Mazayoshi na capa.


... Enfim, foi basicamente isso que aconteceu nesse episódio.
Eu não entendi nada, mas pelo menos tenho certeza de que não fui a única.

Por hora, estou tentando levar como se não fosse um sonho nem nada do tipo - apesar de ter mil teorias pulando na cabeça - e espero que o universo do anime se explique melhor nos próximos episódios, ao menos, se tudo for se manter assim... real.

Além de tudo isso, e pra preocupação geral, além da Samurai Girl dando uma de Haruhi, o Mazayoshi também está ficando (mais) maluco, com um discurso pouco são, e isso é realmente preocupante. (Por favor, Samumenco, não dê uma de Madoka!)


  
  
tl;dr: "Tem monstros na cidade? Gorilas com guilhotinas na barriga? Ah, foda-se, sou um super-herói de verdade agora, babacas." (e o conflito moral mui humano do episódio 6, cadê?)

No mais, fui no Tumblr procurar mais algumas teorias, pra variar, porque é sempre bom ao menos saber fingir que você entende o que está acontecendo, e achei mais uma idéia bastante interessante: a de que a tal "namorada" do Goto seja, na verdade, filha dele. A teoria, surpreendentemente, tem um bom embasamento, e eu não me surpreenderia. Quer dizer, vão preparando as lágrimas e eu ainda posso sonhar com Goto/Mazayoshi papais no melhor estilo Kotetsu/Bunny, certo? :3

Realmente, a melhor parte disso até agora tem sido acompanhar as teorias e reações. E eu confesso que sempre curti muito isso, então, por enquanto, está legal. Eu só espero que eles façam um esforço, ao menos, pra explicarem as coisas. Tem 22 episódios pela frente, e apesar de eu ter quase certeza de que eles só estão fazendo pelo mesmo motivo que eles estão focando no QUALITY - porque a falta de audiência não tá fácil, e eles querem atrair novos expectadores deliberadamente mudando o gênero da série, - eu gosto de acreditar, lá no fundo, que os escritores sabem o que estão fazendo.

Ou não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário