domingo, 6 de outubro de 2019

Daily Journal, 31: Tentando me recuperar da queda do meu império

Wooyuyan, sabendo que são os donos da cadela que vos escreve.

Uau, voltamos, depois de muito tempo.

E algumas coisas aconteceram, de fato, neste tempo. (Descobrir um restaurante japonês perto da faculdade com combo de 2 temakis e 10 hossomakis por 30 reais? Provavelmente a melhor. Ok, brincadeira. Talvez.) Erm, enfim. O que importa é que estamos aqui agora para contar novidades, eba!!  

sábado, 14 de setembro de 2019

O guia anti-ansiedade para o show do Pentagon


Oie gente!

Eu ia fazer um vídeo para falar sobre essas coisas, mas já estou longe de casa e nunca que eu vou admitir que eu sou YouTuber e blogueira assim de gra-- er, enfim, tal. Então vai escrito mesmo o meu guia anti-ansiedade para o show do Pentagon! Ebaaa!

Porque eu sou paulista e tenho 25 anos nas costas e vou de carona com gente que vive em São Paulo e estou me cagando então imagino a galera que vem de outro estado fodida sem ninguém com a cara e coragem então bora lá conferir as dicas. 


domingo, 18 de agosto de 2019

Mangá: Subarashii Sekai - Uma Cidade de Muitas Colinas, de Inio Asano


Olá! Hoje eu venho aqui para trazer um post engavetado há literalmente mais de 4 anos. Trata-se de uma breve resenha de um mangá de Inio Asano, a pedido do Leonardo Bonkoski do saudoso Portal Tanaka (sério, que outro portal tem uma visão psicanalítica de Boku no Pico? Faz falta). Ele propôs que os membros de um certo grupo de anime do Facebook resenhássemos oneshots do Inio Asano - autor do popular Solanin, que foi lançado aqui no Brasil, e também do premiado Oyasumi Punpun - e o primeiro escolhido foi o oneshot Uma Cidade de Muitas Colinas, da compilação Subarashii Sekai. Eu gostei muito desse oneshot e queria muito publicar o post, mas acabou que o post deles não saiu e o meu foi engavetado. Mas eu queria compartilhar esses pensamentos sobre essa história tão encantadora, então pedi autorização para publicar esse post.


Com 28 páginas, Uma Cidade de Muitas Colinas conta a história de uma garota do primário que presencia uma cena traumática, e começa a conversar com um corvo...

sábado, 17 de agosto de 2019

Diários de Game Design, dia 1: Introduções


Olá, gente!

Como vocês provavelmente já sabem, eu desenvolvo jogos nas horas vagas. Um dos jogos que já comentei aqui foi o 1DP e creio ter comentado também do jogo do blog, pois bem. E aí eu pensei - por que não postar meus diários de gamedev no meu próprio blog? Uma vez que a intenção para esse ano era a de deixar o blog com um ar um pouco mais personalista, nada mais justo do que compartilhar minha diversão com esse hobby ainda razoavelmente desconhecido e, de quebra, mostrar o meu progresso nos projetos e dar as minhas sugestões para os eventuais game designers. É mais para extravasar as ideias e tal, mesmo, mas vai que acaba sendo útil para alguém.

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Música: Pentagon





"Amas quem eh PentagonnNM"

Senhoras e senhores, o meu grande dia chegou. 

Eu sei, eu sei que da última vez que eu disse isso neste blog para tratar de k-pop eu quebrei a cara em mil pedaços. Mas desta vez, vai ser diferente. O motivo, claro, porque estou um pouco longe de k-pop e portanto o meu Toque de Merdas está dormente, espero. Senhoras e senhores, o meu segundo grupo ultimate vai vir para o Brasil! E com ele a minha vergonha por todas as vezes em que fiz spam de "Come to Brazil, seus corno" nas VLives dos meus tagonnies ´ A ` ; ; ; ; ; ...

sábado, 10 de agosto de 2019

Daily Journal, 30: Vi, adorei, comprei, I want it, I got it como diria Ariana e tal.


Olá, gente! Quem é vivo sempre aparece e eu apareci depois de ressuscitar de um mês barra. Emocionalmente falando, talvez um dos piores da minha vida. Quase tudo que poderia acontecer de ruim aconteceu e eu fiquei e tão perdida que nem a terapia deu conta. E agora cá estou, perdida mas caminhando, afinal na bosta ou não a vida continua. Parece que as coisas aconteceram para compensar a alegria de Junho. Mas, estamos aí.

sexta-feira, 19 de julho de 2019

Aquela postagem inevitável sobre incêndio no KyoAni






Bem, como vocês sabem, Kyoto Animation é um estúdio de anime. E por acaso ou não, um favorito meu. Pelas histórias cheias de ternura, pelas roteiristas super competentes como Naoko Yamada ou animadoras como Shoko Ikeda, pelas séries incríveis com animações de altíssimo padrão ou mesmo por todas essas coisas, é tão claro quanto desejável que ele seja hoje um dos estúdios de animação japoneses mais rentáveis e populares entre todos os públicos e demografias. E ele, como alguns devem já estar sabendo, foi incendiado ontem. E com o incêndio dezenas de vidas e talentos muito criativos foram destruídos, e as famílias arrasadas. Inclusive, é claro, a própria família de funcionários do estúdio, que entre xingamentos de fãs de anime moe que tiveram xingamentos por serem moe demais e depois por não terem continuação e perderem espaço para os anime de manservice e correrias pra animar Haruhi Suzumiya e aquela flopada monstruosa de Munto e a perda da parceria super rentável da KeyAni e muitos outros baques provavelmente pensavam que era a hora da bonanza, mas desde a era Gainax a gente tem aquele miasma de que nada é tão triste na indústria de anime que não possa ter um otaku louco querendo piorar. 

Eu, como muitos sabem, sou KyoAnizeira de carteirinha e não tenho palavras para expressar minha gratidão por todas as coisas felizes que me deram nestes dez anos desde Haruhi Suzumiya ou as minhas sinceras condolências às famílias e pessoas envolvidas; desde Hare Hare Yukai, o estúdio representa parte bem significativa da minha trajetória nessa Terra e do meu crescimento pessoal, mesmo. Não posso contar nos dedos de uma mão quantas vezes as histórias cheias de emoção me permitiram ressignificar a minha vida, reescrever as minhas tristezas cotidianas com um pouco de magia e tentar ser um pouco melhor amanhã. Talvez por essas me senti perdendo um ente ao abrir as notícias e me deparar com a tragédia: porque perdi mesmo, de uma vez, 30 pessoas que muito provavelmente fizeram mais parte da minha vida do que poderia imaginar. Que estavam comigo em alguns dos meus momentos mais difíceis até mais do que pessoas da minha família ou do meu convívio e que me deram esperança de que as coisas iam melhorar. Só por essas, eu não poderia deixar de vir postar um pouco sobre o estúdio, não fazer um histórico porque já tem muito disso na Internet e nem fazer um top porque eu fiz um em 2017, apesar de já estar bem desatualizado. Mas sim falar de cada uma das series que comento acima, com links para as resenhas - que eu escrevi de quase todas ^_^ ; ; ; - e de que maneiras elas me impactaram e coisa e tal. E, concluindo, o impacto que causa a todos nós os eventos recentes.