sábado, 25 de março de 2017

Cosplay: Atualizações no meu diário cosplay.

O que ficou pronto ou: um batom lindo de Michiru. Só.

Olá!

Venho trazer algumas atualizações sobre minha lista de cosplays e coisa e tal, justificando minha ausência. Talvez vocês saibam que eu sou cosplayer, e tenho uma lista de cosplays imensa que planejo fazer. Eu pensei inicialmente em fazer posts individuais, mas talvez vocês já estejam cansados dos tutoriais de cosplay individuais, então eu resolvi jogar vários comentários e tutoriais em um post. Espero que curtam!

domingo, 19 de março de 2017

Anime: Flying Witch - Simples lições com uma bruxinha

 Kon kon kon kon kon kon kon kon kon

Olá!

Hoje eu vim trazer uma resenha de um anime que eu acabei não acompanhando quando saiu, mas me interessou. Sucede que eu estou doente e "de molho", e depois de ler um post muito interessante no little anime blog sobre a tendência de animes de bruxas que não são mahou shoujo, a la Majokko Shimai no Yoyo to Nene [resenha] ou Junketsu no Maria [resenha no Gyabbo], eu decidi ver Flying Witch, um slice of life da temporada de Primavera de 2016 sobre uma bruxa em um mundo como o nosso, daquelas com vassoura e coisa e tal. É um daqueles slice-of-life tranquilos tipo Amanchu!, que são ótimos pra acalmar qualquer pessoa estressada no melhor estilo Crunchyroll 'n chill.

quinta-feira, 16 de março de 2017

Celular: Sing!, da Smule



Olá, pessoal!

Vim compartilhar hoje um dos motivos principais do meu sumiço da Internet nas últimas semanas. Se você é igual a mim no que diz respeito a gostar muito de karaoke, talvez você já tenha visto algum aplicativo assim, mas talvez nao. Eu tenho me entretido com um aplicativo de karaoke que já é super popular mas eu ainda não conhecia, chamado Sing, da Smule.

Aplicativo de karaoke é um negócio maravilhoso. Eu adoro 2017. (Er, ou 2014 2012, né, enfim)

sábado, 11 de março de 2017

Filme: Kotonoha no Niwa - O jardim das palavras ou "pedofilia é crime"



Olá, galera!

Queria mostrar um pouco das minhas experiências com Kotonoha no Niwa, filme lançado em 2013 com apenas 43 minutos de duração, animado por CoMix Wave Films (Vozes de uma Estrela Distante, Kanojo to Kanojo no Neko, 5 centímetros por segundo) e dirigido por Makoto Shinkai (famosíssimo por todos os filmes supracitados, ok). Eu tinha o filme na minha Plan to Watch há 3 anos, até que descobri que tem na Netflix e resolvi curtir um dia (no Chromecast, aliás; pessoas com Crunchyroll Premium e Chromecast devem curtir bastante, percebi, inclusive). Agora, eu preciso falar uma coisa...

Ô pedância é Makoto Shinkai.

sexta-feira, 10 de março de 2017

K-pop parte 7: O pop, os flops e os nopes

Eu não consigo parar de ouvir a musica acima, sério.

Ah, k-pop. Eu confesso que não estou tão k-popper quanto eu estava há um ano atrás ou um pouco menos - especialmente porque o Block B tem passado por problemas e nem me lembrem do Royal Pirates... :( - mas eu ainda tenho ouvido algumas das minhas músicas favoritas e especialmente curtido o último comeback do Block B. Confesso que esse post é uma desculpa para divulgar o comeback do Block B antes de qualquer outra coisa, mas enfim, é também para falar de flops que eu curto. Porque aparentemente tudo que eu gosto, seja k-pop, j-music ou o que for está destinado a flopar.


quinta-feira, 2 de março de 2017

Sessão Nostalgia: Sendo otaku no começo dos anos 2000

O ápice da edição de gráficos no Photoshop 6.0.

Olá! Vim trazer nesta incrível madrugada alguns comentários extremamente pessoais. (spoilers: é... uma madrugada de insônia e procrastinação no laptop enquanto observo na TV a retomada do Carnaval pelos hipsters de São Paulo.)

A ideia de escrever sobre o que era ser otaku no passado surgiu de algumas leituras; de textos da Escritora Otaku do Animecote, mas também desse texto em homenagem ao aniversário de 20 anos de Utena, e outras leituras eventuais Internet afora. E então eu tenho pensado muito sobre as coisas que mudam, e crescer na Internet tem o diferencial de que as coisas que mudam não tem nem um espaço concreto, físico; o que resta delas são memórias e eventuais páginas na Wayback Machine. Portanto, eu achei pertinente compartilhar memórias queridas com os curiosos e historiadores de Internet. ^_^ Eu comecei a acompanhar páginas de anime na Internet em 2001 - talvez não pareça para os mais velhos, mas já fazem 16 anos. Uma década e meia ou pouco mais. Muita coisa mudou e eu não vou falar só sobre os fansubs não (ô teminha batido)...

quarta-feira, 1 de março de 2017

Pra não dizer que não falei das flores, sobre yuri.


Não on ice. O contrário.

Olá, gente! O assunto de hoje é um que eu venho querendo falar há um tempo, mas sempre me esqueço ou não dou a devida atenção. Mas eis que nos últimos tempos me peguei curtindo quatro séries que lidam com homossexualidade feminina de alguma forma - Hibike! Euphonium 2,Aoi Hana, Kobayashi-san Chi no Maid Dragon e o mangá de Utena - e achei que não teria momento melhor (ainda que eu esteja literalmente com 3 abas de trabalhos abertas, uma cólica e uma tristeza fodidas, mas se respiro eu posso) para escrever sobre.