sábado, 17 de fevereiro de 2018

Sessão Nostalgia: A história do mahou shoujo, ou por que Sakura Card Captors: Clear Hen presta .

  
 Olá, gente!

O post da vez que escrevo no calor do ônibus da viagem a trabalho é  para contestar e dissertar sobre um assunto que li muito por ai: Clear Card Hen estar chato. Li marmanjos falando por aí. Eu não quero convencer ninguém de que não está chato, e eu mesma não aguentei me atualizar ainda porque dá aquela sonolência quando vou assistir. A questão são os motivos. Tem gente em verdadeiras crises: quem sou eu? Pensei que gostasse de Sakura se até Tsubasa eu curti pacas? CLAMP, volte a sua forma original!!.

Quem é você para falar que... Olha, Sakura foi meu primeiro mangá e se eu aprendi alguma coisa em 24 anos de vida certamente não foi Física Quântica.  Eu venho pensando, confesso, em deletar ou mudar radicalmente o blog porque afinal #meublogminhasregras e retomar o ar personalista que tinha no começo, porque sinto que tenho pouco a oferecer aquela velha competição por publicações rápidas sobre series in que poucos têm tempo de ler infelizmente . Mas então me surgiu isso, e eu lembrei exatamente por que tenho um aniblog: para falar sobre aquilo que gosto e tenho propriedade para falar sobre, e dar voz a vozes raramente ouvidas ou tomadas por relevantes. Então, diga ao povo que fico. E agradeçam CCS ^_-  

Então, vamos do começo.

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Aku no Hana, a sociedade e sua instabilidade

Provavelmente o timing para se falar desta obra já se foi há muito tempo, porém, Aku no Hana é um caso que vale a conversa, e bem, eu já estou enrolando esta conversa faz um bom tempo, afinal, Aku no Hana é provavelmente a obra japonesa mais injustiçada dos últimos anos.

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Anime: Impressões da Temporada de Inverno/2018

Eu virei o que eu mais temia, o adulto de 4chan que não vê mais anime mas critica todos e finge ver. 

Olá! Chell aqui. O Gus também participará disso, mas queria escrever a introdução porque com certeza todos os leitores vão ficar chocados com uma postagem sobre anime nesses cantos. Pasmem! Nós escrevemos sobre... anime! 

Para variar eu não escrevi as expectativas para a temporada atual. A verdade sobre o motivo é porque eu não queria assistir, e não queria assistir porque não queria me deprimir por não ter a capacidade de acompanhar e terminar todas as séries que eu gostei no tempo devido, que foi o que aconteceu com 90% das séries que tentei assistir em 2017. Infelizmente conciliar trabalhos e faculdade com blog não é tarefa tão fácil. A saúde mental foi pesando, mas eu tô pagando Hidive, tenho um blog a cuidar e dessa vez resolvi escolher algumas poucas séries - apesar de querer acompanhar vinte - e comentar. Fria. Calculista. Direta.

A temporada poderia ser resumida em personagens fofos fazendo coisas fofas! *-* ^_^ '3' à exceção de mais Overlord, mais Nanatsu no Taizai, mais Basilisk, mais Touken Ranbu, mais Precure, mais Yowamushi Pedal, mais Dagashi Kashi, mais Gin no Guardian e Killing Bites ("mas é a primeira temporada!" gente, só o mangá disso já não nos bastou...) e por último e não menos importante, mais Gintama, que até hoje eu tenho que seguir a promessa que fiz para a Hinata e ver! De resto, é bem pouca coisa que sai de slice-of-life, o que me leva a refletir sobre como um gênero que só viu a luz do dia há basicamente 10 anos dominou a indústria de anime. Ainda não tão crítico quanto os booms de anime de idols ou anime de culinária mas, ainda assim, bem curioso. Boa sorte galera!

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Jogos: Cute Japanese Games



Olá, pessoal ~

O primeiro post do ano é super breve, apenas para justificar parcialmente minha ausência e tentar me redimir parcialmente. Talvez vocês não saibam mas eu tenho um canal do Youtube com Let's Plays de jogos em japonês, e eu gosto muito deles. É uma coisa que venho fazendo por hobby e também para servirem de inspiração, e não tem nenhuma relação com o blog ou obrigações, mas uma vez que é pertinente às temáticas do blog achei que seria legal compartilhar finalmente, já que vou tentar gravar um vídeo por domingo e vou consequentemente ter menos tempo para o blog (que segue recrutando!). Os LPs estão em inglês, e são majoritariamente de jogos em japonês ótimos. Espero que gostem ^_-

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Música: VAV


Eu prometo que não somos um blog de música asiática.

...

VAV no Dreams!! *escreve post* 


*caham* 

Para quem ainda não sabia, ano que vem vai ter Anime Dreams novamente. Lembram? O evento da Yamato que coexistia com o Ressaca Friends nesse período de férias de fim de ano até eles decidirem que era irrelevante e cancelarem sem aviso prévio? Pois é. A Yamato vendeu alguns eventos, e decidiu que vai voltar com o Anime Dreams em compensação. Basicamente a estratégia das empresas inteligentes de vender um negócio que tem certeza que vai flopar nas mãos de outro grupo e lançar um concorrente para ganhar muito dinheiro no final. E sinceramente, merece. 

Enfim, e esse Anime Dreams vai trazer uma estrela do k-pop! Eles lançaram a aposta na página do Facebook e descobriram que é o VAV, grupo debutado em 2015 que é em grande parte nugu mas que acabou mudando muito sua formação em 2016 o que resultou em estarem fazendo um comeback ótimo atrás do outro esse ano e finalmente ganhando algum reconhecimento nesse planeta. Eu comentei sobre eles justamente por conta desses comebacks no último compilado de k-pop que eu fiz, e adivinhem se não fiquei super feliz com a notícia? E no final das contas eles acabaram anunciando que iam realizar fansign e show em diversas capitais, então vai valer a pena. 

Eu resolvi escrever esse post porque, conforme eu comentei no último post de k-pop e minha seleção usual, eu não conhecia os garotos do VAV até pouquíssimo tempo mas acabei escutando e gostando bastante. Flower é extremamente catchy com o seu "uh-huh-huh" e o xilofone é gracinha, ABC foi ótima, e o último comeback She's Mine simplesmente terminou bem o ano dos meninos. Para um grupo que conforme descobri depois começou mal falado por ter músicas ruins, bem... confesso que é um dos poucos grupos de k-pop da atualidade que eu levaria tranquilamente um amigo para ir ver o show comigo e diria sem medo que gosto das músicas. São pop legaizinhas! Somando esses fatos com os meninos em si serem super simpáticos - deram algumas entrevistas em português, eu vi um dia sem conhecer e curti - e serem adultos - o que deixa meu eu de 24 anos menos self-conscious sobre gostar deles. Afinal, metade tem mais idade e a outra metade não é tão novinha... Bem, o que dizer? Simpatizei. Não poderia estar mais feliz com a vinda deles nesse momento oportuno, então queria entrar no fandom e ao mesmo tempo puxar gente comigo. Vamos gritar muito *^_-*

sábado, 25 de novembro de 2017

Moda: Estilos de moda japonesa - ou inspirados em moda japonesa - recentes


 Para contrapor um pouco o tanto de velharia que eu postei aqui quando falei de gyaru, o post da vez é para falar sobre estilos em alta. Afinal, gyaru pode ser qualquer coisa menos "in", mas existem vários estilos de moda atualmente "in" no Japão e é sobre eles que eu quero falar hoje.

Afinal, nem todos tem acompanhado o que acontece na moda japonesa ao longo dos anos e a gente realmente não devia ter a obrigação de procurar em dezenas de websites japoneses até descobrir por que tem uma galera se pintando de verde. Apesar de não ser tão fã de todos eles, meu intuito é fazer um resumão que não se encontra tão fácil na Internet, infelizmente. Então espero sinceramente que meu guia ajude algumas pessoas. *^_^* Agradeço de coração!

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Moda: Gyaru - História, subestilos e opiniões


Finalmente eu me pus a escrever o tal post sobre Gyaru que prometi há muito tempo quando falei de Agejo. O que era pra ser um postzinho falando sobre como eu conheci gyaru e dando uma geralzona acabou virando um post enorme pra explicar de uma forma bem geral o que é Gyaru, porque eu senti que faltavam fontes com expertise e pouco viés na Internet brasileira em geral, e daí deu nisso aí. Se vocês gostarem, talvez depois eu escreva alguns outros individualizados sobre alguns dos meus subestilos favoritos. Por hora, espero que curtam a Gyaru Bible que eu escrevi! Talvez - provavelmente - você tenha menos de 18 anos se nunca ouviu falar em gyaru, porque é um estilo que teve seu auge no início dos anos 2000 - na época da Gwen Stefani Harajuku e anime de Super Gals! e tal - e depois praticamente su-miu. Ué, por quê? Vem ler o post que você descobre o que raios é gyaru, por que sumiu e várias outras coisas que vão te fazer querer aderir ao estilo!

Gostaria inclusive de observar antes de iniciar que eu realmente não seria a melhor pessoa no planeta para escrever a postagem porque a) não sou japonesa nem descendente, b) não tenho um entendimento firme de história e cultura japonesa além da cultura popular - admito! - e c) não sou gyaru. Com o aviso, quero deixar claro que o que fiz foi apenas traduzir alguns artigos e fazer algumas associações com o que eu conheço e gosto. É difícil também explicar as nuances porque o que parece perfeitamente normal na nossa sociedade - encurtar saias? Ué - é extremamente rebelde e desafiador em uma sociedade tão conservadora quanto a sociedade japonesa dos anos 70, como podem imaginar, e as pessoas que viviam esses estilos de vida eram completamente desviantes dos padrões da sociedade japonesa - talvez mais até, em certo sentido, que os criminosos. Dessa forma, eu tento apenas transmitir o que sei nesse post. Espero que ajude e sintam-se livres para me corrigir ali nos comentários - se você se considerar a melhor pessoa no mundo (ou ao menos no país, estado, sei lá) para falar sobre o assunto, por favor deixe um comentário me corrigindo e sinta-se livre para escrever um post. Eu até apago esse aqui ou linco o seu, sério. É uma história muito interessante e muito difícil de encontrar qualquer material sobre em português.

Uma última observação - Muitas informações foram tiradas de sites que infelizmente nem existem mais como o maravilhoso Galaxy 109 e outras foram tiradas da minha memória, então carecem de muitas fontes, mas garanto que são fidedignas e espero que essa série ajude quem está querendo conhecer sobre Gyaru e entrar nesse mundo maravilhoso agora ou mesmo quem quer expandir os conhecimentos acerca do estilo. Sejam bem vindos! Divirtam-se e vamos lá ~